palavratela

Porque literatura e cinema deixam a vida mais bela.

Kananda Magalhães Santos

Acadêmica de Direito, 22 anos, habitando fisicamente a ilha de São Luís, MA. Por dentro, meus mundos são vários. Dramática, sentimental e fazedora de tempestades em copo d'água, meus hobbies incluem bancar a escritora e ser a dona da verdade. Gente normal me dá sono e necessito de tratamento que combata o vício por filmes e séries coreanas. Acredito piamente que o mundo, pra ser melhor, só precisa de mais amor,gentileza, poesia e muito mais de Deus. Carpe diem! ;)

DOS DISSABORES DIÁRIOS E DA INCRÍVEL CAPACIDADE DE DEIXAR PRA LÁ

Você perde a hora. O pneu fura. O celular quebra. O jantar queima. O que fazemos, então? Reclamamos. Mas e quando a nossa vida se converte em um enorme desfile de lamúrias? Talvez o que temos deixe de ser vida. Que tal tragédia jamais se abata sobre nós, mas que aprendamos a deixar pra lá.


186119981.690x460.jpg

Sabem de uma coisa? A vida não é perfeita. E essa não é uma novidade para nenhum de nós. Todos somos pessoas movidas a vontades, desejos, sonhos e afazeres que necessitam ser executados da melhor forma possível. E nós tentamos. Tentamos fazer com que tudo dê certo dentro da nossa rotina desenfreada. Só que às vezes não dá. E esse “às vezes”, por vezes, é bem frequente. Se você tem uma reunião importante no trabalho e não pode se atrasar, o maior engarrafamento da história do país resolve acontecer. Você se atrasa. Se você tem uma prova na faculdade da qual depende a sua aprovação naquele semestre, o seu celular descarrega durante a noite e o despertador não toca no horário certo. Você perde a prova. Se está um dia fantástico para ir à praia e seus amigos te convidam, você adoece a ponto de não poder sair da cama. Você não aproveita o dia. Você planeja uma viagem espetacular para comemorar dois anos de namoro, mas a sua namorada termina com você. Tudo mais vira um desastre.

mulher-chateada.jpg

E ainda tem o assalto no seu ônibus, o fone de ouvido que você perdeu, o bolo que queimou, os trabalhos acumulados que você não fez, o aniversário da mãe que você esqueceu, a briga com aquele parente que você detesta, o seu filme preferido que passou e você não viu, o seu cachorro que ficou doente e a droga da bateria do seu computador que ficou viciada. Essas coisas irritam. Todos esses pequenos (ou grandes) desastres diários que rotineiramente se abatem sobre nós são capazes de causar o inferno em nosso humor. Destroem nossa capacidade de sentir prazer. De sorrir. Talvez, até mesmo, de sermos felizes. Porque a gente reclama. A gente reclama, e depois ainda reclama mais. E o problema nem é reclamar, porque afinal de contas, somos seres humanos, e como tais, somos passíveis de emoções, sofremos com os dissabores rotineiros, com as turbulências diárias. Simplesmente não dá para ficar insensível a nada disso.

r-COUPLE-UNHAPPY-large570.jpg

O grande problema, meus caros, está no momento em que transformamos a nossa vida em um grande desfile de lamúrias, quando permitimos que todos os contratempos e dificuldades da vida matem as luzes de alegria que poderíamos desfrutar. Como diz aquela música, “não há tempo que volte”, então não vamos gastá-lo em meras murmurações e muxoxos de reprovação quando as coisas não saírem como planejado. Cresçamos e aprendamos. E é aqui que devemos desenvolver a incrível capacidade de deixar pra lá. Deixar pra lá não é sinônimo de indiferença ou irresponsabilidade, como muitos podem pensar. Deixar pra lá, aqui, é sinônimo de seguir em frente, de conseguir abrir um sorriso ainda que o ônibus se atrase. A receita é muito simples e lógica: os contratempos vão acontecer? sim. Então, se é tão líquido e certo que existirão, não seria bem mais trabalhoso reclamar e se enfurecer todas as vezes do que simplesmente deixar pra lá e tentar de novo? Que não nos transformemos em pessoas reclamonas e rabugentas. Ninguém gosta de gente assim. Mas o pior é que gente assim não sabe como ser feliz, já que todas as suas energias estão concentradas na grotesca tarefa de reclamar.

44228.jpg

Então, ainda que as coisas não deem certo, mesmo que o pneu fure, o celular descarregue ou o jantar queime, não jogue fora sua capacidade de sorrir disso tudo e apenas fazer o jantar novamente. Aprenda que a melhor forma de enfrentar os dissabores diários é prestando atenção naquilo que ninguém mais vê, é passando pelos problemas com elegância e otimismo, confiando que, ainda que esteja ruim, no final do dia pode melhorar. Mas só melhora se você quiser. Deixar pra lá significa aceitar que a vida não é perfeita, que pequenos desastres rotineiros sempre estarão prestes a acontecer, mas que a sua missão como ser humano não é se apegar a esses problemas e dar a eles o banco do motorista na sua vida. A sua missão como ser humano é aprender a lidar com esses dissabores e mostrar a eles que quem senta no banco do motorista é você, e o lugar deles é lá atrás, no porta-malas. E que se deem por satisfeitos. Então, aprenda a deixar pra lá. É o melhor a se fazer.

convidado-animado-no-casamento.jpg


Kananda Magalhães Santos

Acadêmica de Direito, 22 anos, habitando fisicamente a ilha de São Luís, MA. Por dentro, meus mundos são vários. Dramática, sentimental e fazedora de tempestades em copo d'água, meus hobbies incluem bancar a escritora e ser a dona da verdade. Gente normal me dá sono e necessito de tratamento que combata o vício por filmes e séries coreanas. Acredito piamente que o mundo, pra ser melhor, só precisa de mais amor,gentileza, poesia e muito mais de Deus. Carpe diem! ;) .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Kananda Magalhães Santos