palavratela

Porque literatura e cinema deixam a vida mais bela.

Kananda Magalhães Santos

Acadêmica de Direito, 21 anos, habitando fisicamente a ilha de São Luís, MA (porque psicologicamente meus mundos são vários). Dramática, sentimental e fazedora de tempestades em copo d'água, adoro bancar a escritora e ser a dona da verdade. Gente normal me dá sono e sofro de um pequeno vício, um tanto grave, por filmes e séries. Acredito que o mundo, pra ser melhor, só precisa de mais amor,gentileza, poesia e muito mais de Deus.

Somos delicados, mas não somos feitos de cristal

Porque já passou da hora de entendermos que delicadeza não é sinônimo de fraqueza. Podemos ser delicados, mas não somos feitos de cristal.


AT 4.jpeg

Sim, o mundo em que vivemos é completamente louco. Insano mesmo. E muitas vezes é mais assustador do que aquele filme de terror que você assistiu sozinho de madrugada. E nesse cenário de guerra só os fortes sobrevivem. Os valentões feitos de adamantium, tal qual Wolverine. Para vencer, seja forte, seja duro, seja grosseiro e não derrame uma lágrima sequer. Porque aqui não há lugar para delicadezas, para doçuras ou sentimentalismo barato. Vencedor é quem bate mesmo. Quem sai no tapa com o resto do mundo e não se intimida com choros alheios. Esses são os fortes. Essa gente delicada, que parece feita de cristal e que pode quebrar diante do menor sopro, aqui, não tem vez. Estão fadados ao fracasso.

Tudo bem. Vamos apenas esclarecer as coisas.

Gente delicada não é feita de cristal. Nem muito menos tem ossos de vidro. Também podemos ser feitos de adamantium, se querem saber. Essa história (ou seria melhor “estória?”) de que os delicados são sinônimo de fraqueza é bem infeliz, diga-se de passagem. Que a vida nesse planetinha azul é bem caótica, disso não restam dúvidas. Mas quem disse que o pódio pertence apenas aos duros de coração?

Sim, nós choramos, temos a fala mansa, somos tranquilos como um fim de tarde sem nuvens. Na verdade, se estapear com o mundo não é bem o nosso forte, mas isso não quer dizer que não sabemos brigar. Não quer dizer que não possamos aguentar os socos no estômago que a vida, vez por outra, gosta de dar. Nós sabemos ser fortes. Saibam que diante de uma queda, mesmo com o coração dolorido e as lágrimas embaçando a vista, nós preferimos limpar o sangue dos joelhos e levantar. O chão nunca será nossa opção.

Sabe aquela pessoa delicada e doce que você conhece? Aquela que você trata com os maiores cuidados porque acha que a qualquer instante ela pode quebrar. Aquela pra quem você tem medo de falar a verdade porque pensa que ela vai se atirar em um poço no minuto seguinte. Aquela que vai ser policial militar e você acha que ela não conseguirá nem segurar a arma direito. Essa pessoa. Essa pessoa com a alma recheada da mais profunda delicadeza. Não duvide dela.

Pobres almas que acreditam em estereótipos... Pobres seres que julgam pela superfície... Vocês se surpreenderiam se soubessem a enormidade da força que existe dentro de uma alma delicada. Arregalariam os olhos e diriam: “meu Deus, que estúpido que eu fui!”.

Porque a verdade é essa. Os delicados não são feitos de cristal. Não é qualquer vento à toa que nos atira ao chão. Não é qualquer verdade que torna a vida insuportável. Não é qualquer obstáculo que nos faz sentar à beira da estrada e colocar a mão no queixo, chorosos. Porque nós também queremos vencer e sobreviver a essa loucura institucionalizada que o mundo é. E por isso nós continuamos. Levamos nossa espada florescida à mão, preparados e atentos a qualquer emboscada que um desses saqueadores de meia tigela tenha nos preparado. Temos tanta (ou mais) coragem quanto qualquer valentão que anda por aí com os punhos levantados.

Então, por favor, engulam os seus pré-conceitos e tratem de não vomitá-los jamais. Essa gente delicada já cansou de ser menosprezada, desacreditada e vitimizada. Gente delicada também é forte e também sabe lutar. Gente delicada sabe persistir, teimar, cair e levantar. Só paramos ao romper a fita de chegada, ao subir no lugar mais alto do pódio, ao ter o cinturão da vitória em volta de nós.

Portanto, saibam desse pequeno fato, e jamais esqueçam: podemos ser delicados, mas não somos feitos de cristal.


Kananda Magalhães Santos

Acadêmica de Direito, 21 anos, habitando fisicamente a ilha de São Luís, MA (porque psicologicamente meus mundos são vários). Dramática, sentimental e fazedora de tempestades em copo d'água, adoro bancar a escritora e ser a dona da verdade. Gente normal me dá sono e sofro de um pequeno vício, um tanto grave, por filmes e séries. Acredito que o mundo, pra ser melhor, só precisa de mais amor,gentileza, poesia e muito mais de Deus..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Kananda Magalhães Santos