Daniela Santos

Se sua mente parar de duvidar das verdades, parte de você já estará morta.

A vida após a morte...emocional


Diagnostica com Borderline, transtorno não muito conhecido entre os brasileiros, mas vivido por muitos. A vida passou por períodos caóticos, não só depois da descoberta, porque a vida sempre foi um caos, mas parece que depois que você enxerga a ferida, começa a doer de verdade, não é?

Pois é, independente do que me foi dito há uns dois anos atrás, algo não estava certo desde sempre, desde o primeiro olhar de alguém ao meu encontro. Ou até do meu próprio olhar diante do espelho.

Parece um conto qualquer, mas não é. O refúgio buscado foi necessariamente na Arte, como se de certa forma ela me entendesse. Na escrita, na divagação de temas que me causava o dobro de transtorno que deveria.

A busca por respostas veio em formas diferenciadas de ferimentos, na sua maioria físicos, para que de certa maneira eu pudesse sentir que ainda pertencia a esse mundo. Mundo esse que me machucava constantemente, sem nem saber, mas de uma silenciosa maneira que não me permitia olhar ao redor, sentir ou até mesmo me envolver com qualquer que fosse.

Estou falando no pretérito, não porque estou curada, tão pouco porque parou de machucar ou de vagar pela mente, mas porque hoje não compreendi tudo, não aceitei, mas entendi que isso tudo, toda a dor, todos os dias pedindo uma morte vã, todos os choros deitada no travesseiro, todos os remédios tomados de forma displicente, todos os relacionamentos perdidos. Tudo isso me trouxe uma nova vida, um renascimento, que hoje me proporciona algo inacreditável, algo que nunca, e nunca mesmo em minha vida havia imaginado ter, algo chamado felicidade.

É difícil, eu sei, ainda estou longe do ideal. Ainda acordo numa manhã ensolarada, desanimada, como se aquela velha força me quisesse de volta ao seu aconchego. Mas então fico mais um tempo deitada e reflito...ela é velha, está no meu passado, sou o que sou hoje, eu já a venci, e hoje é só mais um dia a se vencer.

plenitude.jpg

Não sou a única, quisera ser, porque então saberia que ninguém mais passa por isso que passei. Não só pela Borderline, mas por outros diversos transtornos que matam a vida de alguém diariamente, que fazem com uma pessoa apenas exista...

Por isso estou aqui, por elas, por essas pessoas que ainda não compreendem ao certo o que se passa consigo. Mas saiba, você não está sozinho. E quando pensar isso, chore. Chore de soluçar, porque depois, no outro dia, mesmo que doa a alma...será mais um dia para você vencer.


Daniela Santos

Se sua mente parar de duvidar das verdades, parte de você já estará morta..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/// //Daniela Santos