paradoxus

aquilo que não é humano, nem sempre é desumano

Cátia Rodrigues

Psicóloga, Professora Universitária, Pesquisadora da Essência Humana. Paradoxal desde o início, acredita que viver é sempre buscar ampliar horizontes.

Alvorecer de um Ano

Até 30 de Dezembro, é Ano Novo. Vamos viver cada dia como o primeiro. Pode rasgar a lista de resoluções de Fim de Ano. Vamos realizar o projeto de Ano Novo.


alvorecer7.jpg

Existe uma percepção física de que a existência passa, ao que chamamos de tempo. Mas contabilizar o tempo é de uma sacada genial. Outro dia, minha vizinha de seis anos teve uma conversa séria comigo a este respeito. Ela me disse que o dia 31 de Dezembro e o dia 1 de Janeiro eram os dias “malucos”. Como poderia ser o começo depois do último dia do último mês? Como poderia ela, que nasceu em Dezembro, ser mais velha que a amiguinha que nasceu em Maio, já que Maio vem antes de Dezembro no calendário? Nós adultos podemos rir da ingenuidade dessas perguntas, mas a natureza desses questionamentos é profunda e filosófica: minha vizinha estava refletindo sobre o tempo e sua dinâmica cíclica.

Fragmentar o tempo é genial por isso. Sempre tem uma outra possibilidade. Temos nova esperança. Temos outra oportunidade. Tudo continua igual do ponto de vista concreto e objetivo: é só mais um dia depois do outro. Mas determinar um período de tempo para o tempo começar e acabar nos dá perspectiva psicológica, nos dando condição para um fortalecimento moral e emocional de continuar vivendo, ou de recomeçar a vida de um jeito diferente. Renova, simbolicamente, nossas forças.

Na minha experiência pessoal, nunca tinha feito lista de ano novo. Sério, nunca antes tinha feito uma só listinha de ano novo. Achava até engraçado as pessoas fazerem isso. “Neste ano paro de fumar, neste ano emagreço tantos quilos, neste ano concluo aquele curso”. Em dezembro de 2014, na última semana do mês e do ano, resolvi fazer uma lista de fim de ano. E hoje eu a revistei para verificar o que deu daquelas promessas.

Novidade para mim, mas certamente muitos já o sabem: deu em nada. A maioria dessas promessas de fim de ano são fruto de frustrações ou de temores, de sentimento de culpa de algo não realizado. São promessas vazias, no máximo, desejos de mudança. Mas carecem de comprometimento de cada pessoa. E, pasmem, eu aprendi algo fazendo essa lista. Aprendi o motivo de nunca antes ter feito uma lista dessas: Eu sempre tive um projeto de vida para o ano novo.

Geralmente, em Dezembro, eu já estava com o ano seguinte programado, no sentido de ter escolhido um hobby, uma prática física ou um curso para fazer. E logo na primeira ou segunda semana de Janeiro eu já estava envolvida na execução do meu projeto. Nunca esperei o período entre réveillon e carnaval para pensar por onde começar o ano novo. Ao contrário, nem tinha uma promessa, mas um plano de ação.Então, se queria emagrecer, minha primeira caminhada era no dia 1 de Janeiro à tarde, antes de jantar uma saborosa salada. Se era estudar inglês, já passava na escola no dia 2 de janeiro para matrícula.

Como diz a canção, “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”.

Mas eu nunca tinha percebido isso, até mudar a conduta. Lista de fim de ano não funciona, a não ser que seu autor faça dela um projeto de ação concreto, diário, consciente. É uma mudança de hábito. A noção de Ano Novo é sensacional para este propósito, pois nos motiva a transformação, mas ela só acontece se bancarmos as mudanças hoje, tempo presente. Toda vez que eu digo “amanhã eu faço”, adio indeterminadamente a conclusão da minha tarefa, pois amanhã é tempo infinito.

Claro que toda transformação começa no seu desejo pela mudança, mas só se realiza com a sua efetivação: é preciso fixar novos hábitos e programar o compromisso da mudança como uma agenda a ser cumprida. Sem neurose, sem obsessão ou ansiedade, mas como seriedade. Enfim, mais um ano terminou, outro apontou em nosso horizonte. Apenas um dia que passa e outro que nasce. Mas, com nossa capacidade humana de significar a vida, atribuímos um sentido especial a este momento: recomeçar.

O que posso sinceramente desejar é que vivamos a cada um dos próximos dias cheios de Amor, Fé e Esperança, para que tenhamos a Força necessária para cumprir nossos compromissos com nós mesmos, e vencer os desafios diários do viver. Assim, além de mais feliz, o ano que se inicia poderá ser Novo de verdade para cada um de nós.


Cátia Rodrigues

Psicóloga, Professora Universitária, Pesquisadora da Essência Humana. Paradoxal desde o início, acredita que viver é sempre buscar ampliar horizontes..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Cátia Rodrigues