pensando e andando

Impressões e imaginações sobre as coisas e não-coisas da vida

Daniel Belvino

E agora, vamos discutir?

O melhor sistema multimídia para seu carro está no seu bolso

O problema é que você não o usa com responsabilidade. Se você tem um smartphone, provavelmente está melhor do que qualquer carro do mundo em termos de música, comunicação, conectividade, navegação e possibilidades.


interior mercedes cla.jpg Interior do Mercedes CLA: é um iPad colado ali?

Eu me maravilhei com as possibilidades de um smartphone quando a Nokia anunciou o modelo N91 em 2005, principalmente porque ele traria uma facilidade relacionada à minha paixão de infância: carros. Com um microHD de 4GB e uma entrada de fones de ouvido comum (o que não era muito comum na época), eu poderia ter muitas músicas no meu bolso e conectá-lo no meu toca-fitas com entrada auxiliar facilmente. Eu até escrevi um texto contando essa experiência e o que veio depois, com transmissores FM permitindo mandar mandar minha música para qualquer rádio, se quiser pode ler aqui.

Nessa época, o importante era conectar o smartphone por áudio da maneira mais prática e ter bastante memória. Até tentei fixá-los em algum lugar, mas somente para facilitar uma troca ou escolha de músicas, ou fazer/atender uma eventual chamada. Mas com os smartphones de hoje e tudo que eles fazem, sua localização pra mim é essencial.

nokia_n91.jpg Fabuloso Nokia N91

Esse local, em um número cada vez maior de veículos, está sendo ocupado pelas centrais multimídia que já veem dos fabricantes. O problema: esses equipamentos são todos (que conheci) horríveis se comparados com os smartphones atuais.

Por smartphones atuais me refiro a celulares com sistemas operacionais Android, Windows Phone e iOS, esse último exclusivo dos iPhones. Para o objetivo desse artigo, não importa qual você usa. Eles são os três que conheço, um pouco menos o Windows, mas que considero um bom sistema com bons aparelhos que cabem na definição de “melhores que qualquer coisa que vem em um carro”. Se é o seu smartphone e você gosta, cabe nesse argumento.

Esses smartphones nos dão a melhor experiência existente de uso multimídia em uma tela pequena. Uma boa sensibilidade ao toque é quase uma unanimidade hoje em dia neles e podemos escolher entre uma diversidade imensa de aplicativos para as atividades que já fazemos em um carro, como muitos apps para navegação por GPS e para ouvir músicas, assim como novas possibilidades, como velocímetros precisos com dados da rota, apps que leem páginas da web como podcasts, dentre milhares de gostos e necessidades (o que você usa no seu smartphone no carro?)

Agora vejamos minha experiência com os sistemas embarcados de fábrica em carros: não posso mudar nada, não posso ter novas funcionalidades e até pra atualizar mapas preciso baixar em um computador e levar um cartão de memória até o carro.

Veja como dois carros atuais e nada baratos, que tive bastante contato, se comportam nesse quesito:

O sistema do Honda Civic conecta automaticamente a um telefone pareado e já continua a tocar sua música, se isso foi feito antes (legal), mas não mostra o nome do artista ou canção na tela do carro. O sistema do Mitsubishi Outlander mostra os nomes da faixa e do artista direitinho, mas cada vez que ligamos o carro, temos que entrar em uma sequência de menus para começarmos a tocar a música.

O Civic me obriga a clicar OK em um aviso de segurança toda vez que ligo o carro pra poder usar o sistema e o Mitsubishi não tem navegação por GPS, que é opcional, apesar de ter o sistema com tela e até o botão para a opção. A BMW ainda usa um sistema sem touchscreen, controlado por um joystick!

Isso são só detalhes desses sistemas que parecem relíquias tecnológicas. Quem sabe fazer dispositivos multimídia e multi-muito-mais-do-que-mídia são as empresas que fabricam smartphones.

Então qual é a solução ideal? Pra mim, atualmente, é ter um sistema de som comum com um bom pareamento por bluetooth e fixar o celular em uma posição de boa visibilidade que seja fácil de colocar.

Ao entrar no carro o celular já é conectado e idealmente você já pode tocar suas músicas, mesmo que ele esteja guardado. Eu já chego e o coloco no painel pra ficar pronto pra qualquer alteração na trilha sonora ou acionamento do GPS.

Outro ponto importante é o carregamento da bateria. Se puder deixar o aparelho sempre conectado à energia no carro, fica sem medo de usar todos os recursos e ainda ganha mais carga pro resto do dia.

Eu decido o lugar que meu celular vai ficar no carro e faço uma gambiarra pra encaixá-lo já conectando o cabo de carregamento. O problema é que não é qualquer um que está disposto á isso, então pode-se achar o seu jeito ou coisas raras como esse sistema da Sony:

sony-car-phone-sound.jpg Sony XSP N1BT Smartphone Cradle Car Audio Deck

Um vídeo de divulgação do sistema da Sony:

Ele é um rádio com CD e tem um encaixe para celulares. Os que tiverem sistema de carregamento da bateria sem fios podem fazê-lo, tornando o processo todo mais prático ainda. Os outros podem se carregar pela entrada USB na frente do próprio aparelho. Bem legal, né?

Sabe por que ele é raro? Porque pessoas usando smartphones ao volante não são bem vistas. Tanto que o que está bombando são os sistemas específicos para carros da Apple e do Android, que usam dados do celular, têm uma tela sensível ao toque, funcionamento parecido e alguns aplicativos de seus sistemas para celular.

As pessoas não têm responsabilidade ou noção para usar esses aparelhos no carro, causando acidentes e mortes, então temos esses sistemas capados, onde só podemos usar o Apple Maps, por exemplo, porque outros navegadores não foram “homologados” para uso durante a direção. Isso faz muito sentido para apps de mensagens, mas navegadores e tocadores de música? Eu também não posso usar algo que rode no plano de fundo, como o velocímetro com vários alertas de velocidade.

E quando estamos parados, por exemplo, esperando alguém? Não posso ver um vídeo na tela do painel, não posso trocar mensagens em programas não autorizados, não posso navegar na internet…

Até o Mirrorlink, que seria uma solução perfeita, está “certificando” aplicativos para que sejam usados durante a direção. Não sei se isso vai prestar. Esses sistema replica a tela do seu smartphone, até onde eu sei só Android, na tela do sistema do carro, incluindo os controles por touchscreen. Você faria tudo que faz no seu celular com o dedão na tela do painel, usando o sistema de som do veículo, não é sensacional?

Eu espero que as pessoas se conscientizem… deixa pra lá, isso não vai acontecer. Eu espero que os sistemas de reconhecimento de voz continuem evoluindo e fiquem muito populares, para que todos os usem enquanto dirigem. Eles já são bem bons. Você já usou a opção de ditado no teclado de um iPhone? Não é perfeito, mas impressiona.

up-gt-iphone-dash.jpg Olha que espetáculo esse dock para iPhone no protótipo do Up! GT da VW

Como disse no começo, eu sempre fui da opinião de que o melhor sistema de som e depois de todo o resto era o meu smartphone e agora já vejo até a mídia especializada concordar com isso em alguns artigos, sem ser muito politicamente incorreto. Mais uma vez eu espero um pouco mais de evolução da tecnologia para que eu tenha opções e evite as gambiarras no painel do meu carro.


Daniel Belvino

E agora, vamos discutir?.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/tecnologia// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Daniel Belvino