pensando nessa gente da vida...

Reflexões de um educador que escreve para que não lhe falte o ar...

Marcel Camargo

"Escrever é como compartilhar olhares, tão vital quanto respirar"

A SAUDADE ARDE, MAS CURA

“Saudade é amar um passado que ainda não passou. É recusar o presente que nos magoa. É não ver o futuro que nos convida.” (Pablo Neruda)


asaudadearde.jpg

Enquanto vivermos, acumularemos saudades, de momentos, de pessoas queridas, de empregos, de comidas, cores, sabores, do que éramos, dos sonhos amortecidos pelo peso do cotidiano. Será necessário aprendermos a conviver com a falta do que se foi, ao longo de nossas vidas, transformando a dor da saudade em combustível aos recomeços que teremos pela frente.

O saudosismo é uma característica dos novos tempos, uma vez que o mundo anda cada vez mais complicado e violento, levando-nos a idealizar ainda mais os momentos idos, reforçando a ideia de que houve um ontem bem mais feliz do que hoje. Da mesma forma, voltamo-nos às épocas de nossas vidas mais tranquilas e despreocupadas, como a infância ou juventude, haja vista estarmos imersos em um tempo presente pontuado por preocupações de todo tipo.

Muito provavelmente, lá em nosso passado, convivíamos com pessoas que já não se encontram mais conosco, atrelando-as à felicidade que então desfrutávamos. Nesse sentido, o hoje se encontra menos prazeroso também porque não podemos mais contar com a companhia de quem partiu. Temos a certeza de que, caso pudéssemos ouvir a voz do pai saudoso, descansar o corpo no colo da mãe ausente, confortar o olhar no semblante do filho que partiu, ou mesmo ver o sorriso daquele amigo distante, enfrentaríamos os reveses à nossa frente com coragem e força maiores.

Saudade dói, cutuca, fere, assombra a gente, calando fundo a tranquilidade de nossos corações. É o preço que pagamos por ter vivido momentos especiais com pessoas que abençoaram nossa jornada, de uma ou de outra maneira. O tempo amortiza seu peso, mas ela permanece como parte de nossa alma, ou seja, sendo a saudade um sentimento de que não conseguiremos nos furtar, cabe a nós a convivência harmônica com tudo o que ela ocupa dentro de nós.

Por mais que machuque, de início, é preciso entender que a saudade é extremamente útil ao nosso equilíbrio interior, no sentido de que servirá de alento e motivação a que continuemos caminhando, a despeito de todas as quedas, de todos os óbices que parecem atravancar o nosso respirar. Revivermos as lembranças serenas dos momentos felizes de nossas vidas aumentará em nós o desejo de buscarmos de volta caminhos prazerosos, para desfrutarmos novamente o sabor da alegria verdadeira que já tivemos o privilégio de provar.

Como se vê, a saudade também é esperança, pois serve de exemplo daquilo tudo que vale a pena na vida, norteando nossos passos na direção das verdades que devem sustentar a felicidade a que todos temos direito. Assim, que não fiquemos presos às lembranças saudosistas, estagnados no mesmo lugar passivamente, mas sim nos libertemos das amarras que aprisionam os nossos sonhos, deixando que a memória das pessoas amadas nos fortaleçam e nos tornem cada vez melhores, mais humanos, mais felizes e esperançosos.


Marcel Camargo

"Escrever é como compartilhar olhares, tão vital quanto respirar".
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Marcel Camargo
Site Meter