Ryano Mack

Historiador, Professor, Músico, compositor, vocalista e guitarrista da banda Bendito Mal, amante de café, leitura e música. Procurando muitos inícios e poucos finais.

Professor Bom Joga VideoGame

Existe uma grande problemática no campo da educação, relacionada a gerações que estão falando linguagens diferentes, o aluno mudou, então é necessário atualizar as metodologias de ensino. Os jogos digitais assim como outras ferramentas tecnológicas podem ser de grande auxilio para a atividade docente e também dispõe de um idioma com o qual a maioria dos alunos está familiarizado.


150401_FT_GameClassroom.jpg.CROP.promo-mediumlarge.jpg

Em 2001, o pesquisador norte-americano, Marc Prensky publicou um curto artigo chamado “Nativos Digitais, Imigrantes Digitais”, e desde então o nome de Prensky tem sido a grande referência para aqueles que pesquisam as relações dos jogos eletrônicos e o processo de ensino-aprendizagem.

De acordo com Prensky, os alunos de hoje, fazem parte de uma geração que cresceu cercada por inúmeras ferramentas digitais, ou seja, passaram a vida inteira cercados e utilizando computadores, vídeo games, celulares, dentre outros instrumentos com recursos digitais. O autor sustenta que o tempo de vida que essa geração esteve em relação intima com as tecnologias, contribuiu para que o modo de processamento de informação se diferenciasse das gerações anteriores, a forma como o aluno atual aprende mudou com o tempo.

Na perspectiva de Prensky, existe uma grande problemática no campo da educação, relacionada a gerações que estão falando linguagens diferentes, os professores estão usando uma linguagem ultrapassada para tentar ensinar estudantes que falam um idioma totalmente novo. A esses, incompreensíveis as novas gerações, Prensky denomina Imigrantes digitais, isto é, todo aqueles que se apropriaram da tecnologia, mas ainda tem algum sotaque, do tipo que fala para um nativo digital “caiu a ficha” e recebe como resposta “o que utiliza ficha? ”.

Não acredito que o mundo deve ser divido em nativos e imigrantes digitais, mas confesso que sigo convencido de que os professores deveriam usar metodologias que utilize a linguagem dos alunos, se o aluno mudou, então é necessário mudar a metodologia de ensino. Os jogos digitais podem ser um grande auxiliar para a atividade docente e também dispõe de um idioma com o qual a maioria dos alunos está familiarizado. As diferenças entre gerações hoje, são muito maiores que a de outros tempos, a as inovações tecnológicas são a essência dessa questão, cabe aos educadores estarem sempre se atualizando e reavaliando o sistema de ensino.

danisperle-videogame-instagram.jpg

Como profissional da área, me surpreende ter colegas “Nativos Digitais” resistentes a esse debate, bem como, repetindo as formulas conservadoras, seguros em não desenvolver qualquer simpatia pela discussão ou renovação. Mas não se trata de abandonar convicções pedagógicas, mas sim de conhecer e combinar estrategicamente aulas com instrumentos novos, para não se acomodar com práticas pedagógicas ultrapassadas e que não instigam interesse, mas isso não é tarefa fácil, requer muito estudo, pesquisa e principalmente criatividade.

O aprendizado subsidiado com jogos eletrônicos, pode substituir o modelo conservador de ensino, onde os professores falam e os estudantes escutam e tomam nota. Através dos games, os estudantes são ativos e também estão imersos em simulações que permitem que eles interajam e manipulem mundos virtuais. Através do videogame, é possível reproduzir situações críticas, envolvendo riscos, em que se desenvolve habilidades especificas e tomadas de decisões. A Educação, de um modo geral, não tem atingindo aos jovens de maneira plena, e é possível questionar a linguagem utilizada para chegar até o aluno, na era digital, se tornou necessário a utilização de recursos, principalmente tecnológicos para as aulas.

A atual geração de videogames e o grande número de jogos eletrônicos disponíveis, tornou possível muitas abordagens, e vem se mostrando como uma das principais ferramentas de interatividade nos processos dos jovens e das crianças. Todo esse poderio de atração, pode também ser melhor explorado para fins educativos. Existem muitos exemplos de aplicações e estudos em andamento, mas ainda é preciso uma longa caminhada e esforço dos profissionais da área para utilizar toda potencialidade dos jogos eletrônicos na educação.

REFERÊNCIAS:

GHENSEV, R. O Uso dos Games na Educação. Trabalho de Conclusão de Curso – (Pós Graduação em Mídias Interativas) - Centro Universitário Senac, Lapa Tito, São Paulo, 2010

PRENSKY, M.: Digital Natives Digital Immigrants. In: PRENSKY, Marc. On the Horizon. NCB University Press, Vol. 9 No. 5, October (2001a). Disponível em: http://www.colegiongeracao.com.br/novageracao/2_intencoes/nativos.pdf


Ryano Mack

Historiador, Professor, Músico, compositor, vocalista e guitarrista da banda Bendito Mal, amante de café, leitura e música. Procurando muitos inícios e poucos finais..
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/tecnologia// @obvious, @obvioushp //Ryano Mack