Amanda Moura de Carvalho

Estudante e amante da Filosofia, vivo numa utopia interna e tento esclarecer determinadas verdades todos os dias da minha vida.

O Cartunista Quino e sua personagem Mafalda

O cartunista argentino Quino, conhecido pelas criações célebres de humor, especialmente a personagem Mafalda e suas tirinhas de caráter crítico que permitem uma reflexão sobre os fatos, em todas as faixas etárias da sociedade.


Noticia-102390-mafalda-quino-principe_de_asturias.jpg

Quino, Joaquín Salvador Lavado – o cartunista - nascido na região andina de Mendoza na Argentina em 17 de Julho de 1932, foi nomeado Quino para distingui-lo de seu tio Joaquín Badger. Aos três anos, Quino, descobriu sua vocação: pintor e designer gráfico. Aos treze anos ele se matriculou na Escola de Belas Artes, mas em 1949 “Cansado de desenhar ânforas e moldes" pensa em uma possível profissão de cartunista e humor dos desenhos animados.

Firmemente determinado a atingir seus objetivos, com dezoito anos, mudou-se para Buenos Aires em busca de uma editora disposta a publicar seus desenhos, mas teve três anos de dificuldades econômicas antes de ver seu sonho realizado. Afirma, o cartunista “No dia em que publiquei o meu primeira página - ele se lembrou de sua estreia no semanário - Eu passei o momento mais feliz da minha vida", em 1954. A partir de então seus desenhos humorísticos foram publicadas continuamente em inúmeros jornais e revistas da América Latina e Europa.

Seu primeiro livro de humor, "Mundo Quino”, lançado em 1963, foi uma coleção de desenhos de humor mudo. Um ano após surge Mafalda, a menina de cabelos negros que odeia sopa e é contrária aos adultos. O personagem surgiu quando Quino foi convidado para ser encarregado de uma campanha publicitária para uma linha de produtos eletrodomésticos chamados Mansfield, razão pela qual começa a pensar e criar uma personagem começada pela letra M e assim nasceu a Mafalda. A agência acabou não fazendo a campanha, mas Quino aproveitou a personagem e começou a trabalhar nas primeiras histórias da Mafalda, que foram publicadas pela primeira vez em "Gregorio", um suplemento do humor da revista "Leoplán", que publicou três tiras da Mafalda.

f_229154.jpg

A partir de 29 de setembro de 1964, as histórias em tiras da Mafalda passaram a ser publicadas regularmente no semanário "Primera Plan" de Buenos Aires. Para Quino é o dia do nascimento de Mafalda como personagem de desenho animado. Em 9 de março de 1965, Quino passou a publicar as tiras da Malfalda no jornal "El Mundo" onde, Quino publicou seis tiras por semana. Um ano depois, o editor Jorge Álvarez reuniu as primeiras tiras em ordem de publicação e publicou-os no primeiro livro da Mafalda, numa tiragem de 5000 exemplares que se esgotaram rapidamente.

A personagem Mafalda fez tanto sucesso que em novembro de 2008 foi aberto o mural "O Mundo Segundo Mafalda" na linha A estação histórica Peru, metrô de Buenos Aires, Argentina.

DSC3040.jpg

E em agosto de 2009 foi aberta, a escultura de Mafalda, no bairro de San Telmo (Buenos Aires, Argentina). O trabalho foi feito pelo artista Pablo Irrgang. No evento também foi inaugurada uma placa em frente ao prédio na rua Chile onde Quino viveu e criou Mafalda com a legenda "Aqui viveu Mafalda".

mafalda-and-quino.jpg

Atualmente, a personagem Mafalda permanece viva, seja nos desenhos ou tirinhas com sua marca de fazer comentários com ideias que refletem as preocupações sociais e políticas dos anos 60. Filha de uma típica família da classe média Argentina, a Mafalda representa o anticonformismo da humanidade, mas com fé na própria geração. O que mais odeia é a injustiça, a guerra, as armas nucleares, o racismo, as absurdas convenções dos adultos e, obviamente, a sopa. As suas paixões são os Beatles, a paz, os direitos humanos e a democracia. Em 2014 Mafalda completou 50 anos.

4333958955_efa0eff0e8_o.gif


Amanda Moura de Carvalho

Estudante e amante da Filosofia, vivo numa utopia interna e tento esclarecer determinadas verdades todos os dias da minha vida..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/artes e ideias// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Amanda Moura de Carvalho