As influências de Di Cavalcanti

A riquíssima obra de Di Cavalcanti traz influências das principais escolas artísticas, no entanto, ele consegue desenvolver uma identidade tão forte que sua obra é reconhecida imediatamente, pela expressividade da sua arte que é genuinamente brasileira. Confira aqui as principais influências nos trabalhos do pintor.


Carnaval 1954 Di Cavalcanti Carnaval, 1954, Di Cavalcanti

Di Cavalcanti teve várias influências durante toda a sua vida artística. As primeiras técnicas de pintura do artista foram influenciadas pelo expressionismo, que também estava presente na obra de Anita Malfatti, pioneira do modernismo no Brasil. Essa primeira influência irá permanecer com o pintor até o fim de suas criações, e inclusive será reforçada após ele ter contato com a neoconfiguração, uma corrente artística que ganha força na década de sessenta e retoma o expressionismo acrescentando outros elementos e retomando elementos urbanos.

mulher deitada com peixes 1956 Di Cavalcanti

Cabare Di Cavalcanti

Carnaval 1972 Di Cavalcanti

Já em 1923, quando parte para a sua temporada de dois anos em Paris, Di Cavalcanti passa a ter contato com as vanguardas artísticas que tomavam conta da França, ao estudar na Acadèmia Ranson de Paris participa do circulo cubista, que se tornaria um dos mais influentes pelo mundo afora naqueles anos do pós-guerra. Todavia, nessa época especificamente, o pintor ficará impressionado pelas criações de Pablo Picasso, e cuidará de dominar as técnicas cubistas do artista, além de se deixar influenciar também pela fase neoclássica de Picasso com o traço simples nas pinturas femininas.

Cena de cafe concerto 1934 Di Cavalcanti Cena de café, concerto, 1934, Di Cavalcanti

Cena de cabare 1951 Di Cavalcanti Cena de cabaré, 1951, Di Cavalcanti

Mural Hotel Jaragua Di Cavalcanti Mural Hotel Jaragua Di Cavalcanti

Mural no Teatro Caetano - 1931 - 1964, Di Cavalcanti Mural no Teatro João Caetano - 1931 - 1964, Di Cavalcanti

Junto com o cubismo também veio a influência do expressionismo alemão de quem eram representantes mais expressivos Dix e Grosz. Uma das obras do artista que é a representação desse seu grande momento de produção influenciado pelas técnicas cubistas e a inserção das temáticas nacionais é a tela Cinco Mulheres em Guaratinguetá, há os tons fortes, a simplificação das formas e a representação das mulheres como sempre comum à obra de Di Cavalcanti. Essa influência do ambiente cultural da França está presente não somente em Di Cavalcanti, mas em outros grandes nomes do modernismo brasileiro como Tarsila do Amaral e Oswald de Andrade. Foi essa influência que os levou à busca de uma arte que fosse expressão da realidade sociocultural de seu país, o que culminou com a efervescência política que atravessa o Brasil.

O Grande Carnaval 1953 Di Cavalcanti O Grande Carnaval, 1953, Di Cavalcanti

Pescadores 1951 Di Cavalcanti Pescadores, 1951, Di Cavalcanti

Obra Sao Joao 1969 Di Cavalcanti Obra São João, 1969, Di Cavalcanti

Outra influência para o artista foi o muralismo mexicano, o de Diego Rivera, marido de Frida Khalo, principalmente. Esse movimento em que os pintores buscavam os muros para criações com tom monumental estava diretamente ligado ao contexto social e político do país marcado pelo Revolução Mexicana, após 30 anos de ditadura militar. Certamente esse viés político-social mais uma vez irá chamar a atenção de Di Cavalcanti e irá influenciá-lo em suas obras muralistas. Embora todas essas influências ele foi capaz de criar um estilo pessoal com traços e tons fortes, originalmente nacional e social.

Mural 1954 centro Sao Paulo Di Cavalcanti Mural projetado por Di Cavalcanti no centro da capital paulista, 1954.


deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 11/s/arte,arte brasileira,brasil,Di Cavalcanti,educação,escola,influências,obras,pintura,quadros,técnica,trabalhos,Arte// //