A vida pessoal de Tarsila do Amaral

Tarsila do Amaral teve uma infância de privilégios e uma culta educação. Ela teve vários companheiros e uma jornada regada a mordomias e viagens. Mas foi sua arte que enriqueceu sua vida entregue às telas em branco.


Tarsila do Amaral

Tarsila Amaral nasceu no interior do Estado de São Paulo, passou a infância nas fazendas de café dos seus pais, até que foi estudar na cidade de São Paulo, no Colégio Sion e depois continuou os seus estudos em Barcelona na Espanha, lugar onde fez o seu primeiro trabalho como pintora, o Sagrado Coração de Jesus, 1904. Seus pais sempre apoiaram as suas atividades artísticas e intelectuais. A influência e o prestígio de sua família eram tantos que em 1925 o pai de Tarsila consegue anular o seu primeiro casamento com o médico André Teixeira Pinto, de visão conservadora sobre o papel da mulher não permitia que a artista desenvolvesse o seu trabalho de pintora. E então, após a anulação, ela consegue se casar em 1926 com Oswald de Andrade - casamento este que teve como padrinhos o Presidente do Brasil na época, Washington Luís, e o Governador do Estado de São Paulo, Júlio Prestes.

Tarsila e seus irmaos

Suas temporadas na Europa, e a oportunidade de estudar em duas grandes Academias de arte francesas só foram possíveis também por conta da sua fortuna pessoal. No entanto, em 1929, com a Grande Depressão, Tarsila e sua família de fazendeiros são afetados pela crise do café, o que a leva a perder a sua fazenda e quase toda a sua fortuna. Nesse mesmo ano, Tarsila sofre com a separação de Oswald, que a deixa por estar apaixonado pela revolucionária Patrícia Galvão, também conhecida como Pagu. Em 1930 consegue o emprego de conservadora na Pinacoteca do Estado de São Paulo, mas é demitida com a ditadura de Vargas e queda do seu amigo Júlio Prestes.

Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral a bordo do Massi­lia

Sem dinheiro, e após vender alguns de seus quadros, em 1931, ao lado do seu novo marido o psiquiatra Osório Cesar, Tarsila viaja para a União Soviética, onde com a ajuda do seu marido irá construir uma nova concepção política, mais voltada à temática social preponderante no pensamento de esquerda da época. Depois parte para Paris, onde se sensibiliza com a classe operária ao ter que trabalhar como pintora de paredes em construções. Em 1933, então, impelida por tudo que vivera que entra na sua fase social em suas pinturas. Na década de trinta, Tarsila conheceu um escritor, vinte anos mais jovem que ela, chamado Luiz Martins, no começo tornam-se companheiros nas pinturas, mas, ao passarem a andar constantemente juntos, envolvem-se afetivamente. A pintora então se separa de Osório e se casa novamente com Luiz, com quem viveu até a década de cinquenta e teve uma filha.

Tarsila do Amaral Semana 22 Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral, Yvette Farkou, Fernand Lèger, Constantin Brancusi.

Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral com amigos Pagu, Elsie, Lessa, Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade, Anita Malfatti, Eugênia, lvaro Moreyra - Semana 22

Os últimos anos de vida da artista não foram fáceis, em 1965, já separada de Luiz, submeteu-se a uma cirurgia devido a dores fortes que sentia na coluna e um erro médico a deixa sem poder andar. E em 1966, Tarsila perde a sua única filha, que morre de um ataque de diabetes, o que deixou a artista desesperada e deprimida. A partir disso ela encontra na religião, mais precisamente no espiritismo, um consolo, e torna-se doadora do que arrecadava com as suas obras para uma instituição de caridade administrada por Chico Xavier, de quem Tarsila se torna amiga.

Tarsila e sua filha Dulce

Tarsila do Amaral


deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 82/s/Arte,artistas brasileiros,brasil,Dulce,fazenda,Oswald de Andrade,Pagu,pintura,privilégios,Semana 22,Tarsila do Amaral,vida pessoal,Arte// //