poeta de fim do mundo

um pouco de filosofia, um verso de poesia e boas histórias pra contar.

Júlio Soares

Graduando em Filosofia pela UFPR e Gestão Pública pela Univ. Braz Cubas, escrevo poesias, contos, críticas políticas e tudo que me é necessário

no dia dos namorados seja enamorado

passaram-se décadas e na tentativa de objetificarmos o amor acabamos por mais ainda paradoxa-lo pois das maneiras mais erradas tentamos impor o que ele realmente é, quem é digno e que não e qual tipo de amor é certo ou incerto, existe amor incerto? numa dessas tentativas de idealizar o amor, materializa-lo bem mais do que nas palavras e atitudes, criamos datas, criamos atitudes, culturas e de nada foi tão eficaz em mostrar o que é o amar, do que o próprio ato, amar, mas amar o que? oras, se posso amar algo, posso amar tudo! então comece amando as pequenas coisas, os pequenos gestos por fim chegar na grandiosidade das coisas: uma pessoa. Aliás, feliz dia dos namorados pra você que vê nessa data a sua maneira de amar.


Pra alguns, talvez o dia dos namorados seja realmente uma data especial, como o dia dos pais, mães, crianças e todos esse festival de “dias comemorativos” sejam de fato significativos, por um (diversos) momento o comércio conseguiu usar o sentimentalismo ao seu favor para venda de produtos que são correlatos a data: presentes relacionados ao amor e paixão no dia dos namorados e dia das mães; algo “masculino” que exalte essa masculinidade e/ou mais simples no dia dos pais. Muitos ainda não deram-se conta desses artifícios e colocaram isto como certo, que um dia há de ter comemoração ou homenagem por uma determinada figura (engraçado é que tem gente que condena o fato de haver feriado cristão mas no dia dos pais, fica empolgado, sério?!).

Mas não entraremos no mérito desta questão. Estou aqui para falar exclusivamente do dia dos namorados, mas não a data em si, mas seu significado. A implantação do dia dos namorados no Brasil se deu em conta a “brilhante” e “original” ideia de João Doria em criar um movimento semelhante ao Dia De São Valentim (com o mesmo significado, porém, no hemisfério norte) para claro, vendas (avisei ao início do texto).

Temos essa crença da recompensa, se brigamos, acreditamos que um presente abafará a situação (por muitas vezes funciona) ou como forma de agradecer aquela pessoa por ser o que é (mãe, pai, criança, namorado…) seja lá qual for esse presente, será mesmo que é isso que significa homenagear? Será mesmo que um presente no dia dos namorados agregaria em sua relação, como forma na qual você encoraje seu parceiro(a) pensar que você reconhece-a(o)?

Lisbela-e-o-Prisioneiro.jpg

Seja enamorado! Isso mesmo! Seja enamorado… mostre-se apaixonado, mas não por alguém, por si, pelo mundo, por um motivo além do físico, por pensamentos, palavras, ideais, pela vida! Não há algo mais grandioso e belo que o viver. Preocupe-se menos nesse dia em planejar que o próximo será acompanhado, não sinta raiva ou desprezo por casais já existentes, não sinta-se péssimo pelo término no dia dos namorados (aliás, acabaria qualquer outro dia mesmo), ame e fuja do real significado desta data e preze pelo significado que ela deveria ter, você verá tudo ao seu redor tornar-se mais bonito e prazeroso, até esquecerá que tal dia é o dia dos namorados.

O significado de estar vivo não é ligado ao fato de obter presença de outrem, o poder postar seu relacionamento, suas fotos a fim de não menos, causar inveja ou publicar vaidosamente para que todos vejam que és feliz (ou tenta ser). Alex Supertramp (se não reconhece esse nome assista Into The Wild urgentemente!) dizia em sua mais célebre frase “a felicidade só é real quando compartilhada” porém ele nunca disse que isso seria proveniente de um compartilhamento em redes sociais. O compartilhar envolve muito mais que sua etimologia e mais que ter algum compartilhado, ser feliz também não é proveniente dos desejos e prazeres.

Num momento como esse, onde relacionamentos duram pouco, bem pouco ou nem chegam a se concretizar, valorizar o que tem pra si é uma grande virtude, zelar e manter diariamente um relacionamento é uma tarefa árdua e desnecessária: não é preciso ter alguém pra viver pois é preciso viver pra que se tenha, então viva primeiro, que o amor é subsequente. Também, se você não namora e se pergunta tanto o motivo, é um bom dia pra se refletir, um bom dia pra mudar também se esse for o caso, reconhecer seus erros é fundamental para seu desenvolvimento e mais ainda para seu fortalecimento, não se acomode e melhore, o ser humano é fantástico pois ele consegue quase sempre superar-se! E caso esteja sozinho, por opção ou não, não ache que isso é errado ou abominável, muitas pessoas grandes morreram no ostracismo e nem por isso seu legado abalou-se.

Sorrisos ao andar do shopping, carinhos e abraços nos parques não são sempre provas de amor, por vezes pessoas usam os relacionamentos como âncora para apaziguar seus ânimos e pensamentos que morrerá sozinha ou ficará sozinha, sem ninguém, como se a solidão fosse de fato ruim, precisamos de socialização isso é fato, mas não é uma necessidade vital, não se apegue a isso ou enlouquecerá e será facilmente manipulado por aquele que identificar isso. Por fim, caso namore, dou-lhe uma dica: use esse dia (não leve em consideração o que falo se não identifica-se com o argumento, para muitos, obviamente como verá, é de extrema importância tal dia e não seja egoísta ao ponto de achar que só seus ideais contam, se for o caso, comemore sem pestanejar, doe-se) para mostrar que independente da data, estará lá, durando até o próximo dia ou o fim dos seus dias você será enamorado e não um namorado, pois esse título (quase que nobiliárquico) foi bem estagnado e já não serve necessariamente para uma aliança, que você é enamorado com o mundo, com as pessoas, com a natureza, que amando aos outros, mostrará que sabe amar e mergulharão de cabeça no amor que tens pra dar.


Júlio Soares

Graduando em Filosofia pela UFPR e Gestão Pública pela Univ. Braz Cubas, escrevo poesias, contos, críticas políticas e tudo que me é necessário.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// //Júlio Soares