Fabrício França

Graduado em Letras. Casado com as letras e amante das palavras. Faz de ambas o gozo da vida.

Ser Poeta

Poetas...


librooososososo.jpg

Alguns colegas escritores perguntam-me por que não escrevo poesias. Eu as respondo, dizendo que para mim, escrever em tal gênero é algo [quase] impossível. Não sou poeta e ponto final. Não vejo poesia como algumas palavras bonitas que depois de muito esforço vão parar em um papel. Isso não é poesia. Falando da forma mais pejorativa possível, acho que aquilo não passa de charlatanice, na maioria das vezes, quando a pessoa não viveu o que disse. Creio que as palavras tortas escritas por um bêbado tem mais poema que as de muitos poetas.

Vejo nas pessoas que realmente sabem escrever poesia algo semelhante àquelas que de uma hora para outra se converteram religiosamente. Não se sabe explicar o tipo de experiência espiritual que ocorrera, mas houve algo muito forte que as fizessem radicalizar sua forma de perceber o mundo, daí então o mesmo acontece ao poeta, neste caso, passando os sentimentos para uma folha em branco. Os melhores poetas que considero ou morreram misteriosamente, ou ficaram loucos, ou estiveram com um pé na cova, e ,depois que regressaram, conseguiram traduzir os sentimentos da melhor forma possível: Baudelaire, Manuel Bandeira, Charles Bukowski, Lord Byron, dentre outros.

Se, realmente, para ser poeta tiver que passar por isso, espero que eu nunca consiga escrever um verso. No contexto atual tá difícil até de descobrir os melhores, pois temos de cavar muito, como se tivesse procurando uma pepita de ouro, entre muitos dos que assim se intitulam. Não consigo entender por que algumas pessoas são tão reconhecidas com escritos tão chulos. Ou que ninguém entende e fingem entender. Temos de reconhecê-los pelo sistema, pelos acadêmicos, ou seja lá por quem for, e acreditar que aquilo ali é poesia, a realidade, o sonho ou são os melhores que existem, desde que estejam nos livros de história literária? Sei de pessoas que escrevem em grupos literários de facebook que são melhores que muitos dos renomados. Às vezes acho que Nietzsche tinha razão, quando disse certa vez: “Os poetas? Os poetas mentem demais” e não muito diferente cantara Fernando Pessoa: “O poeta é um fingidor...”. Será que por isso Platão quis dar um pé na bunda de todos os poetas da polis grega? Por causa das mentiras? Desta forma, tantos poemas de poetas bons para conhecermos e ninguém fala que eles existem, isso é uma pena. Às vezes os mais conhecidos são os mais falsos. E outros que escrevem “com a tinta da melancolia” sequer têm um livro publicado.

O verdadeiro poeta é aquele que consegue captar a realidade que aparece no vagabundo da esquina, na pessoa isolada da sociedade, na dona de casa, no cachorro mancando, no filho que não tem vontade ir à escola, no casal apaixonado... Ou seja, em tudo o que se passa ao nosso redor, e transcrevê-lo com uma visão singular. Diferentemente, dos prosadores que devem ler bastantes histórias de tudo quanto é gênero, percebo que para o poeta não necessite de tanta leitura de poesias, mas sim um olhar profundo da realidade. Portanto, nesta arte o que vale são as experiências de vida. Pelo menos é o que eu acho. Mas como disse, não sou poeta. Nem um finge [dor].


Fabrício França

Graduado em Letras. Casado com as letras e amante das palavras. Faz de ambas o gozo da vida..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/literatura// @obvious //Fabrício França