LUIZ ROSA

Planeta Terra em perigo!

Em pouco mais de 100 anos, o ser humano alterou de forma brutal a vida na Terra. Desde a criação da indústria, tal qual a conhecemos, até o enorme aumento populacional. O impacto é gigante a catástrofe pode ser irreversível se não mudarmos nossas atitudes. O presente texto pretende alertar para poucas questões de enorme impacto e que podem levar a extinção em massa de espécies, incluindo a nossa.


Antes de começar o texto é importante deixar algumas coisas claras. Não sou vegetariano, muito embora consuma pouca carne, e ando de carro com frequência. Assim, quero evidenciar que embora veja a necessidade de mudar nossos padrões de vida, entendo como é difícil mudá-las e como todos nós cometemos deslizes quando se trata do respeito ao meio ambiente.

Posto isso, esse texto visa basicamente levantar questões e alertas sobre a saúde do planeta e sobre o que podemos fazer para ajudar. Ele está divido em alguns tópicos que levantam questões que passam muitas vezes despercebidas em nossa vida cotidiana.

cotonete.png (FOTO: JUSTIN HOFMAN/WILDLIFE PHOTOGRAPHER OF THE YEAR)

I. Abelhas

Não faz muito tempo, li que as abelhas estavam simplesmente morrendo. A taxa de morte das abelhas chegou a 30% das colônias, segundo levantamento feito nos Estados Unidos. Mortandade semelhante tem sido observada em outros países, incluindo o Brasil.

Uma das causas prováveis para isso seria o aumento do uso de agrotóxicos e outros pesticidas. E o efeito dessas mortes, para além da óbvia redução do mel e outros derivados, está na polinização de plantas. Segundo estimativas, o "trabalho" das abelhas corresponde a quase 900 bilhões de dólares por ano. A redução do número do inseto nos EUA causou um prejuízo de 14 bilhões entre 2006 e 2008. Para além disso, como elas são as responsáveis pela polinização, o impacto de sua morte pode significar, em última análise, na extinção da vida na Terra ou pelo menos de parte dela, isto porque o ser humano não possui substituto para o trabalho por elas realizado.

Para saber mais:

Documentário: Rotten (Netflix) - Episódio 1 - "Não tão doce"

http://www.scielo.br/pdf/pab/v51n5/1678-3921-pab-51-05-00422.pdf

https://mundoestranho.abril.com.br/mundo-animal/a-extincao-das-abelhas-pode-acabar-com-a-humanidade/

II. Carne

Embora seja pouco discutido, o impacto da produção de carne bovina é gigantesco. Para se produzir um quilo de carne se gasta entre 12 e 15 mil litros de água e gera 335 quilos de CO2, o mesmo que um carro europeu médio gera ao circular 1600 quilômetros.

Para se ter uma ideia, a agropecuária é responsável por quase 70% das emissões de gases do efeito estufa no Brasil. Isso inclui a emissão de CO2 e metano pelos bovinos e pelo desmatamento, entre outros. Ou seja, na hora de colocar um bife no prato, é preciso pensar que há um enorme impacto ambiental por trás dele.

Para saber mais:

Documentário: Cowspiracy: O segredo da sustentabilidade (Netflix)

http://www.observatoriodoclima.eco.br/me-mostre-os-dados/

https://brasil.elpais.com/brasil/2015/10/28/ciencia/1446060136_851539.html

III. Pesca e poluição marinha

Como atesta Sylvia Earle, no documentário Blue Mission, o oceano era encarado até pouco tempo como uma fonte inesgotável de recursos. Acreditava-se que não importava o que o homem fizesse, ele jamais seria capaz de causar forte impacto na vida marinha. Pois essa percepção é falsa! Cardumes de grandes peixes tem desaparecido, seja como causa da pesca predatória, seja por sofrer com o impacto de diversas atividades humanas, diretas e indiretas.

Em 2008, um relatório de cientistas da ONU alertava para a possível extinção de TODA a vida marinha até o ano de 2050. Sim, TODA a vida marinha.

Segundo um relatório do WWF, em menos de 50 anos o número de especies marinhas caiu pela metade! A população do atum é 74% menor hoje em dia. Os corais podem desaparecer até 2050 causando um impacto inimaginável.

Estamos a beira de extinguir não uma espécie, mas todos os corais do planeta, seres responsáveis por criar ecossistemas inteiros, que serão extintos também. Para além disso, se os corais são extintos e os pequenos peixes também, o que acontecerá com os grandes?! Sim, o cenário é muito preocupante!!!

Para saber mais:

Documentários: Blue Mission e Em busca dos corais (ambos da Netflix)

http://old.unep-wcmc.org/medialibrary/2010/09/07/7e892368/InDeadWater.pdf

https://super.abril.com.br/ciencia/numero-de-especies-marinhas-caiu-pela-metade-em-menos-de-50-anos/

IV. Plástico

Recentemente, surgiu uma campanha para não utilizar mais canudos. A verdade é que o plástico cada vez mais é percebido como um vilão em nosso meio ambiente. Estudo recente afirma que a poluição por plástico triplicará até 2025. Outra estimativa diz que até a metade desse século, todas as aves do planeta terão ingerido plástico. Ilhas remotas do Pacífico, sem um habitante a milhares de quilômetros de distância, já possuem plástico espalhado por suas praias.

Além disso, os cientistas hoje sabem que o plástico não desaparece completamente, mas vai se partindo em pedaços microscópicos que são engolidos pelos peixes e depois por nós, como topo da cadeia alimentar. Sabonetes com esfoliantes não raras vezes contém microesferas de plástico em sua composição. Há países que proibiram sua comercialização e aplicativos que já apontam quais marcas fazem uso de plástico em seus produtos.

Assim, a verdade é que quando se utiliza um copo descartável, o consumo do líquido dura poucos segundos, mas o invólucro ficará por décadas (ou talvez séculos) na natureza.

Para saber mais:

Documentário: Plastic Ocean (Netflix)

https://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/redacao/2015/09/03/particulas-plasticas-de-cosmeticos-colocam-vida-marinha-em-risco.htm https://www.youtube.com/watch?v=XwvYzmk-NjY https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Meio-Ambiente/noticia/2018/03/ilha-de-lixo-no-oceano-pacifico-e-16-vezes-maior-do-que-se-imaginava.html https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Meio-Ambiente/noticia/2018/03/estudo-afirma-que-poluicao-de-plastico-nos-oceanos-triplicara-ate-2025.html https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Meio-Ambiente/noticia/2018/03/estudo-afirma-que-poluicao-de-plastico-nos-oceanos-triplicara-ate-2025.html

V. Aquecimento global

Todos os itens acima demonstram o impacto da atividade humana no meio ambiente. O mais popular de todos é, sem dúvida, o aquecimento global. Desde o protocolo de Kyoto, no final do século passado, países vem buscando acordos para enfrentar esse enorme problema. No entanto, pouco se avançou nas últimas décadas, ainda que avanços importantes possam ser notados.

Países, como a França e a Inglaterra, estudam proibir carros movidos a combustível fóssil nos próximos anos. A China planeja um reflorestamento jamais visto. A Índia tem reflorestado áreas enormes também. A África está plantando árvores para conter o avanço do Saara, em um esforço coletivo de muitos países. O investimento em energia limpa tem aumento gradativamente. Nosso país, por exemplo, tem tido crescimento robusto na produção de energia solar.

No entanto, embora tenha havido avanços, a matriz energética de muitos países continua sendo altamente poluidora (carros elétricos tiram energia de algum lugar e essa energia precisa ser limpa também!), nosso modo de vida continua inalterado, geleiras derretem sem parar em uma progressão geométrica e ainda impera a lógica de consumo sem se preocupar com as consequências.

Em um mundo globalizado, com tecnologia de comunicação veloz, faz sentido ainda o trabalho presencial quando muitas vezes poderia ser substituído por trabalho à distância? É preciso repensar muitas coisas para que possamos amenizar o impacto humano no planeta.

Para saber mais:

Documentários: Verdade Inconveniente, Seremos História? e Chasing Ice

https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/investir-em-energia-solar-traz-bons-resultados-financeiros/

https://g1.globo.com/natureza/noticia/iceberg-gigantesco-se-desprende-de-plataforma-de-gelo-na-antartica.ghtml

https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2016/11/desmatamento-na-amazonia-cresce-29-em-relacao-ano-passado.html

https://g1.globo.com/carros/noticia/frota-mundial-de-carros-eletricos-cresce-55-em-um-ano.ghtml

https://epoca.globo.com/ciencia-e-meio-ambiente/blog-do-planeta/noticia/2018/01/2017-foi-o-segundo-ano-mais-quente-ja-registrado.html

https://www.youtube.com/watch?v=4xls7K_xFBQ

Há muitas outras questões envolvidas, incluindo a lógica de que a redução da produção (necessária para frear os impactos humanos no meio ambiente) resultaria em mais desemprego, pobreza e fome, criando-se assim um paradoxo de difícil solução, o aumento de refugiados pelas mudanças climáticas, a diminuição das chuvas pelo desmatamento, etc.

O cenário não é fácil, como podemos perceber, mas ações urgentes precisam ser tomadas. Cenas como a que ilustram esse texto só enfatizam o horror causado por nós e que muitas vezes nós sequer notamos.


version 1/s/sociedade// //LUIZ ROSA