prática urbana

arquitetura, política e urbanismo

Hugo de Freitas

Aos meus olhos bola, rua, campo, sigo jogando porque eu que sei o que sofro e me rebolo para continuar menino como a rua que continua uma pelada.

Guia do anti-petista inteligente (ou como parar de falar abobrinha na internet)

O ódio irracional contra o PT é um dos principais motivos para o comunismo ser temido na segunda década do século XXI. Como outros partidos em diversos países no pós-guerra Guerra Fria, o PT representa (ou representou?) a chegada de forças populares ao poder. O PT teve seus erros e acertos e pode (e deve) receber todo a sorte de críticas, mas por favor, pelo motivo certo.


28out2012---militantes-do-pt-e-eleitores-de-fernando-haddad-pt-eleito-prefeito-de-sao-paulo-neste-domingo-comemoram-vitoria-na-avenida-paulista-na-zona-central-de-sao-paulo-haddad-e-1351471098873_956x500.jpg

Me pergunto o que há por trás do ódio disseminado contra o PT. A luta de classes sempre existiu, desde Mem de Sá até os tempos modernos, sempre muito violenta e banhada de sangue. Obviamente o jogo nunca mudou, apenas embaralharam as cartas do mesmo e único baralho. Logo o ódio que alguns mantém contra o pobre, preto, nordestino e gay, ou qualquer outra minoria, é compreensível dado ao panorama sociológico brasileiro. Porém o discurso de ódio contra o PT se alastrou pela sociedade, onde pobre vota em candidato de extrema direita e chama o Lulinha de dono da Friboi e ladrão sanguinário canalha e corrupto.

Tudo começou no dia seguinte às eleições. Assim que perderam, após culpar os nordestinos e os beneficiários do Bolsa Família e praguejar aos ventos, começou-se o movimento de Impeachment. Ora pois, se antes de pedir Impeachment entendessem que este processo só pode acontecer quando se tem a maioria no Congresso, teriam ficado calados desde o início. Mas a ignorância política que nos persegue desde o berço produz gente que defende Eduardo Cunha mas acredita que o Brasil só prosperará quando a Dilma sair do poder, ou melhor, se ela for morta. Para entender, nada melhor que visitar o notório historiador, José Honório Rodrigues que em seu clássico Conciliação e Reforma no Brasil (1965) diz com palavras que parecem atuais: ”Os liberais no império, derrotados nas urnas e afastados do poder, foram se tornando além de indignados, intolerantes; construíram uma concepção conspiratória da história que considerava indispensável a intervenção do ódio, da intriga, da impiedade, do ressentimento, da intolerância, da intransigência, da indignação para o sucesso inesperado e imprevisto de suas forças minoritárias”

Esse discurso de ódio e imbecil produz algumas afirmações e é o objetivo desse post esclarecer algumas.

1- O PT É DE ESQUERDA Não. O PT pode ser classificado como um partido de Centro-Esquerda e cada vez mais distante dos movimentos sociais e do diálogo com a sociedade.

2- MAS NÓS VAMOS VIRAR UMA DITADURA COMUNISTA Não. O PT nunca se preocupou com as políticas macros do comunismo, como saúde para todos, educação e transporte. Se existe algo que o PT absorveu do comunismo, especificamente como o da União Soviética, é o Estado e Partido como um. Na URSS por exemplo, o secretário geral do Partido Soviético tinha mais autonomia e poder do que o próprio presidente. O PT priorizou programas sociais de distribuição de renda, optou por um governo populista maravilhado com a experiência na América Latina e se aliou à grandes empresas para promover um Capitalismo de Estado.

3- SÓ COM A DILMA SAINDO PRA ESSE PAÍS MELHORAR Também não. E aqui é o ponto mais grave. A ignorância política e quando me refiro a este termo, é uma ignorância por completo. Não se conhece, de forma popular, os processos legislativos e jurídicos. Não sabem como funciona um processo de Impeachment, a votação de um projeto de lei ou emenda constitucional (ou qual a diferença entre os dois), o que faz um vereador e qual a diferença do Deputado Estadual para o Deputado Federal. Não se aprende na escola e tão pouco nas universidades. Assim formamos uma geração alienada em política e que acha que se a Dilma sair quem assume é o Aécio.

4- SE A DILMA SAIR QUEM ASSUME É O AÉCIO Agora deixe-me explicar brevemente o cenário político se a Dilma sair. Primeiro, se ela sair, quem assume é o vice-presidente, Michel Temer. Se esse também for impedido, teremos a seguinte situação: Se o processo de impedimento acontece na primeira metade do mandato, o presidente da Câmara, no caso o deputado Eduardo Cunha (PMDB), assume interinamente e uma nova eleição é marcada em até 90 dias. Caso a cassação ocorra na metade final do mandato, o presidente da Câmara assume e é realizada uma eleição indireta para a escolha do sucessor. Na eleição indireta, votam apenas senadores e deputados federais. Ou seja, se a chapa da Dilma sair agora do poder quem assume é o querido Eduardo Cunha. Mas a Dilma obviamente irá recorrer ao STF, o que em média leva 1 à 1 ano e meio para julgar o processo. Teremos então quase 2 anos sem governo. Um cenário desagradável e que a elite política e econômica não quer presenciar, por isso é muito mais fácil chantagear o governo e dar autonomia total á Câmara dos Deputados.

Este ódio irracional contra o PT é um dos principais motivos para o comunismo ser temido na segunda década do século XXI. Como outros partidos em diversos países no pós-guerra Guerra Fria, o PT representa (ou representou?) a chegada de forças populares ao poder. Símbolo da esquerda latino-americana. Os lucros de montadoras, bancos e empreiteiras nos últimos anos, além da nova classe consumidora inserida ao sistema capitalista são apenas alguns dos exemplos disso. O PT teve seus erros e acertos e pode (e deve) receber todo a sorte de críticas, mas por favor, pelo motivo certo.


Hugo de Freitas

Aos meus olhos bola, rua, campo, sigo jogando porque eu que sei o que sofro e me rebolo para continuar menino como a rua que continua uma pelada..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @obvious //Hugo de Freitas