Edgar Mundulai Barroso

Escrever é preciso. Viver também.

  • Capa HH.jpg
    NÃO DEIXEM A POESIA MORRER... UM BREVE ENSAIO SOBRE O LIVRO "HECATOMBE HIPOTÉTICA", DA ESCRITORA BRASILEIRA CLÁUDIA GOMES

    Em “Hecatombe Hipotética”, a mulher define-se a si mesma como um precipício. Alguém que se tornará numa velha mal amada e rabugenta, um projecto de poesia experimental que tem a presunção de ainda poder vir a salvar o decadente mundo literário destes dias de crise geral. Alguém que se pendura na amalgama bafienta e degradante de um transporte público e mesmo assim viaja, sorridente, pelos trópicos de lugar nenhum onde sempre se venderá, por amor ou por dinheiro.

  • Lula.jpg
    SOBRE A CRISE POLÍTICA BRASILEIRA

    Se a marcha anti-Dilma e anti-PT do dia 13 de Março foi a consumação física da alienação das mentes de cerca de 3 milhões de “gente fina” pelos neoliberais da direita brasileira, a marcha deste 18 de Março pode vir a ser a triunfal homenagem ao PT e à Lula por parte dos 50 milhões de “pé rapados” que ele tirou da miséria e lhes deu comida, educação e dignidade. Tempos ainda tenebrosos se aproximam!

  • 566b55a2f2ce9.image.jpg
    KENDRICK LAMAR, HIP HOP E A ETERNA LUTA PELA EMANCIPAÇÃO DO POVO NEGRO – O ÁLBUM “TO PIMP A BUTTERFLY” EM REVISTA

    O álbum "To Pimp a Butterfly", do rapper norte-americano Kendrick Lamar, lançado em Março de 2015 e recentemente vencedor do Grammy de Melhor Álbum de Rap de 2015, tem estado a passar à margem da atenção e do consumo dos fazedores e entusiastas da cultura Hip Hop em países de expressão portuguesa. Muito provavelmente por duas razões: limitada competência linguística do grosso modo do público-alvo nesses países, aliada ao excessivo conservadorismo da comunidade. Por conseguinte, o presente artigo pretende desmistificar isso, arrolando alguns motivos que tornam "To Pimp a Butterfly" uma obra-prima: a profundidade lírica do disco e a sua maturidade conceptual. Far-se-á uma resenha sumária de cada uma das músicas do álbum e se justificará porquê é que este álbum pode ser considerado, sem sombras de dúvida, como a banda sonora da maior parte da população negra a viver em contextos de segregação, de exclusão e de violência institucionalizada.

  • Casal Inter-racial 2.jpg
    RELACIONAMENTO ENTRE NEGROS E BRANCOS – AMOR, PODER OU MODA?

    Os relacionamentos inter-raciais são, hoje, crescentemente comuns. Mas nem sempre o foram. O presente artigo apresenta, sumariamente, a evolução histórica dos relacionamentos entre indivíduos negros e brancos. Num passado não muito remoto, no período da escravatura e do colonialismo, eram quase impossíveis. Dos existentes, regra geral, aconteciam mais entre homens brancos e mulheres negras e eram essencialmente de natureza servil; entretanto, havia excepcionalmente, casos entre homens negros e mulheres brancas, socialmente combatidos e com finais invariavelmente trágicos. Nos nossos tempos, os padrões de relacionamento inter-racial mudaram significativamente. Há hoje, relativamente, mais casais entre homens negros e mulheres brancas do que entre homens brancos e mulheres negras. Saiba porquê.

  • The Affair.jpg
    Casamento, Rotina e The Affair

    “The Affair” é uma série televisiva norte-americana, retratando a experiência extraconjugal de Noah Solloway e Alison Bailey, numa pacata cidade turística de Long Island. Lançada na segunda metade de 2014 e já a transmitir a terceira temporada, é composta por uma narrativa dualista contada por cada um dos amantes, mostrando a perspetiva em que cada um deles via e percebia o seu envolvimento, ao mesmo tempo que provoca no telespectador um intrigante conflito sobre os limites normativos de uma relação conjugal e as possibilidades abertas por uma relação extraconjugal alternativa.

Site Meter