queime depois de ler

A arte imitando a vida

Aline Rollo

Essa metamorfose ambulante

Crônica do frenesi de um recomeço

A ansiedade é um frenesi maluco de pensamentos, ideias, soluções e conclusões que se passam em segundos, tudo ao mesmo tempo. As ideias passam na cabeça como um flash de imagens e diálogos futuros frenéticos. O tratamento é difícil mas a gente recomeça quantas vezes forem necessárias. A gente consegue.


É um domingo à noite e eu acordo de um cochilo (que durou 3 horas). Fiquei deitada um pouco mais pensando: me sinto sozinha. Mas como me sentir sozinha se estive com meus amigos o final de semana todo? Já começa o mimimi. Vejo o celular e tem uma mensagem de um amigo para irmos a um bar. Dei uma olhada rápida em outras mensagens e descubro que minha melhor amiga, com quem não estou falando, também irá ao bar. Missão abortada.

Já penso: pronto, estou deprimida. Porra, eu estava indo bem! Me lembro de outra discussão com uma outra amiga, que aconteceu ontem. Quer saber? É cansativo perceber que as coisas mudam em momentos tão delicados. E que quando a vida resolve te dar uma rasteira, ela usa golpes ninjas de capoeira e você tem que enfrentar um monte de coisa de uma só vez.

frenesi.png

Me vem à mente o cara que eu estava saindo. Uma relação estressante, eu maluca tentando não me afundar no poço de novo e ele agindo de uma forma que eu não consigo entender. E eu não aceito mais o que não me faz bem. Isso é algo bem claro pra mim. Algo que o yoga me trouxe. Gosto muito de ficar com ele, temos bons momentos. Mas não dá. Não tem como conversar agora. As energias estão diferentes. Quem sabe algo muda um dia.

Levanto da cama e tomo meu remédio. Um deles, porque agora são 4 medicações diferentes, com caixinhas radiantes que expressam: vamos te ajudar a sair dessa! Iupi. Ok, estão me ajudando, de fato. Estou de pé, conseguindo trabalhar, enfrentei uma balada ontem! Recebi amigos incríveis em casa para comemorar esse mais novo recomeço. Mas tenho tanto sono que já começo a me incomodar com isso, mesmo sendo dorminhoca por natureza (e não por causa de remédios tarja preta).

Acendo um cigarro e penso: como a vida é maluca. Tanta coisa chata acontecendo comigo em todos os aspectos da minha vida, eu tentando novamente todos os tipos de tratamentos possíveis (tradicionais e espirituais), e mesmo assim estou de pé e ri muito alto esses dois últimos dias. Estava chateada por causa do cara, a briga com as amigas, e principalmente, porque vivo dopada. É a sensação que eu tenho. Mas mesmo assim fiquei bem. Talvez realmente esteja dopada.

Meu corpo está cheinho dessas drogas legalizadas, que prometem curar sua depressão e seu transtorno de ansiedade. Quando vejo uma caixinha de algum deles, vem na minha cabeça aquelas propagandas de cigarro de antigamente, que vendiam o produto como se fosse muito chique e fizesse bem à saúde.

Mas eu preciso delas agora então vamos seguir o tratamento. Eu reclamo mas tenho esperanças que agora vai funcionar. Achei o médico certo, minha terapeuta é incrível e voltei a cuidar do meu lado espiritual através do yoga e do kardecismo.

Esses pensamentos passaram em segundos na minha cabeça. Parece que eu fiquei pensando nisso por uns dez minutos mas não. As ideias passam na minha cabeça como um flash de imagens e diálogos futuros frenéticos.

Mando uma mensagem para um amigo. Batemos um papo e ele me passa o link de um jogo criado por uma brasileira voltado para pessoas com depressão e ansiedade. A coisa toda é bem temática, tem barulho de chuva no fundo e você vai fazendo as escolhas que são propostas. O objetivo é você enxergar como de fato age quando está em depressão, eu acho. Mas achei uma grande sacada.

Contei para meu amigo que tenho trabalhado legal em minha página do facebook, e a receptividade tem sido incrível. Cada vez mais eu vejo que não estou sozinha nessa, mesmo que pareça. É enorme a quantidade de pessoas com depressão e transtornos de ansiedade no mundo. Recebo muitas mensagens e me sinto bem ajudando de alguma forma, mesmo que eu precise de muita ajuda agora.

Espanto alguns pensamentos idiotas que poderiam me aborrecer (a situação está boa assim Aline, pra que mexer nesse assunto agora e começar o mimimi?) e resolvo escrever esse texto. Eu tenho conseguido. Me sinto mais centrada (mas posso estar dopada). As peças soltas já começam a se juntar na minha cabeça. Tenho chorado menos e pensado mais em soluções. Tomei decisões tristes mas práticas para me preservar no momento. É, estou conseguindo.

A ansiedade é um frenesi maluco de pensamentos, ideias, soluções e conclusões que se passam em segundos, tudo ao mesmo tempo. Só preciso de mais um pouquinho de paciência.

Quem quiser conhecer o jogo que mencionei, o endereço é https://thaisa.itch.io/rainy-day


Aline Rollo

Essa metamorfose ambulante.
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Aline Rollo