questão de ser coaching

Terapia e coaching para mulheres e relacionamentos

Carol Daimond

Carol Daimond, escritora, coach de mulheres e relacionamentos e terapeuta reikiana. Fundadora do www.questaodesersite.wordpress.com e do programa de coaching online Abra(ce) ao amor, em parceria com Dani Bizão. Escreve sobre a vida e sobre o amor, e assim sobra amor!

A vida é como uma colcha de retalhos, uma peça de mosaico.

De repente você se encontra em uma situação que não faz a mínima ideia de como foi parar ali, tanto pela percepção positiva, quanto pelo olhar pejorativo, e de repente o que estava uma bagunça se organiza por completo. A vida é como uma colcha de retalhos ou uma peça de mosaico, você vai costurando, sem entender muito bem qual vai ser o resultado, emenda daqui, aperta de lá, costura acolá e de repente tem uma linda colcha, cheia de lindas histórias, e como uma peça de mosaico, vamos tenta encaixar as pecinhas, algumas parecem perfeitas, foram feitas sob medidas, enquanto outras precisam ser reposicionadas ou recortadas, o que importa é que no final, tanto a colcha quanto o mosaico se tornam uma linda história, cheia de pedaços recortados, de momentos que pareciam o fim e foram superados, uma história de amor e o real sentido da vida!


A vida se parece muito com uma peça de mosaico, se você já observou a técnica ou já viu alguma peça produzida, vai entender do que estou falando. Recebemos um monte de pecinhas recortadas, bem parecidas com um quebra-cabeça. As pecinhas, muitas vezes não se juntam, precisamos encaixar algumas, outras no entanto parecem que nasceram para se unir aquela parte que está solta ali, uma esperando para outra. E a vida é assim ou não? Em todas as áreas, seja ela amorosa, profissional, espiritual, em qualquer parte da vida que você se dispõe a olhar e mexer, vai encontrar peças soltas que parecem não se encaixar, mas que você vira de um lado, mexe de outro e de repente, ela está perfeita, parece que sempre pertenceu aquele lugar.

mosaico coração.jpg

Muitas vezes encontramos parceiros amorosos que parecem fazer parte da nossa história, aquela pessoa que parece que nasceu para se dedicar a você e vice-versa e de repente, essa peça que parecia encaixada se solta, não se adaptou ao processo do mosaico, mas outras peças virão, sem molde, outras parecendo que vão servir até que quando você encaixa ao modelo ela não tem nada a ver com o contexto e assim, peça por peça, seu modelo de mosaico vai sendo montado. Interessante é pensar nesses elos que ligam as peças, fico imaginando como Deus vai costurando essa colcha de retalhos que liga uma história a outra e a outra e de repente, aquilo que você não conseguia entender, se torna uma grande peça linda, seja um mosaico, seja uma colcha de retalhos, vale a pena pensar nesses fatos isolados que acontecem e que você se pergunta: Porque? Lá na frente, algo se une a isso e você terá a sua resposta. Você já imaginou os quantos “não aconteceram” na sua vida para que o que acontecesse chegasse até você? Quantos elos você quebrou ao não se permitir vivenciar determinada história? Já parou pra pensar que tudo que acontece com você tem uma razão única determinada pela sua própria vontade, que foi sonhada por você juntamente com Deus antes mesmo que você pudesse estar aqui no planeta terra?

A vida vai tomando forma sem a gente entender bem o que tá acontecendo, sinto que isso acontece assim, estou aqui, tentando montar uma parte do mosaico, então procuro pela peça que vai se encaixar perfeitamente, mas ela está bem escondida, porque ainda não é a hora dessa peça, exatamente ela, fazer parte do meu processo, então eu coloca várias outras que não servem, ficam grandes ou pequenas demais, a cor não combina, o formato não é adequado e então, de repente, bem ali debaixo do meu nariz está a peça que faltava para completar essa pequena parte. Ao mesmo tempo, sinto que algumas peças eu não chego nem a escolher, porque elas simplesmente nasceram ali, parece que brotaram. A vida é assim, um tabuleiro de jogo, uma peça de mosaico ou uma colcha de retalhos, ela vai tomando forma o que a gente precisa fazer apenas é viver, sentir, nos entregar para o momento, aceitar as mudanças, esperar pelo melhor, acreditar sempre que algo muito maior está se formando em prol da nossa existência. As vezes essa tarefa é um grande desafio, nos momentos de tristeza, dissabores, luto, perda, não é fácil entender que aquilo deveria estar acontecendo assim, mas tá tudo bem, depois de um tempo, as peças se encaixam e você entende que não haveria outra forma de viver, que essa história está sendo costurada pela mão de Deus e que Ele sabe o que é melhor, ele tem a visão do todo e consegue ver o que daria a sua colcha um belo colorido ou não.

filme colcha.jpg

Confie na sua história, na versão maior do seu Eu, confie na sua escolha de estar aqui e na intuição que fala o tempo todo através do seu coração. Confiar é um ato de fé e coragem. Coloque-se a disposição da vida para que ela entregue o que só você pode viver. As vezes tudo vira uma bagunça, falta paciência, otimismo, criatividade e até a fé da uma balançada, mas até isso faz parte de todo o processo, por isso é tão importante aquele mantra com 4 palavrinhas que transformam qualquer situação desafiadora, são elas: entregue, aceite, confie e agradeça! Lembre-se sempre, até a bagunça faz parte do processo, ela levará você ao próximo elo, e a peça que compõe muito bem o seu modelo de mosaico. Esteja sempre de coração aberto para enxergar o essencial!

colcha.jpg


Carol Daimond

Carol Daimond, escritora, coach de mulheres e relacionamentos e terapeuta reikiana. Fundadora do www.questaodesersite.wordpress.com e do programa de coaching online Abra(ce) ao amor, em parceria com Dani Bizão. Escreve sobre a vida e sobre o amor, e assim sobra amor!.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/recortes// @obvious //Carol Daimond