A roda do tempo de Robert

Robert Jordan foi um escritor estadunidense, reconhecido mundialmente pela saga “Uma roda no tempo” iniciada em 1977 trazendo uma nova perspectiva para a literatura fantástica. Jordan utiliza uma abordagem extremamente detalhista, tornando possível para os leitores uma viagem mental a todos os cenários descritos nos 14 livros que englobam a saga. Além disso Jordan explora as particularidades de seus personagens de modo a ligar intimamente os leitores a cada um.


a-roda.jpg

A saga “A roda do tempo” escrita por James Oliver Rigney Jr., utilizando o pseudônimo Robert Jordan, está em ascensão entre os amantes do mundo literário. O autor criou com extrema maestria um universo novo de possibilidades, aventuras, romance e guerras. Explorando as inúmeras vertentes da escrita fantástica trouxe personagens carregados de emoções e particularidades, cada qual com sua história explorada eventualmente ao decorrer da saga.

Os livros são narrados em terceira pessoa, o que possibilita uma visão ampla de todos os personagens, sem deixar espaço para especulações Robert faz questão de chegar ao âmago de seus personagens, mostrando aos leitores cada uma de suas peculiaridades, desde trejeitos simplórios até o mais profundo medo ou aflição.

O autor não poupou na criatividade, os livros estão repletos de criaturas fictícias esplendidas como Aes Sedai: mulheres e homens capazes de canalizar poderes, Trollocs: bestas hibridas que matam por puro prazer, Shai’tan: a representação do mal em si , Ogier: Criaturas extremamente dóceis e gentis detentoras de um enorme conhecimento e muito ligadas a natureza, Aiel: povo do deserto que tem o mundo como inimigo, capazes de lutar e se camuflar como ninguém, além de cenários variados descritos detalhadamente que vão de simples fazendas à imensas cidades e castelos, entre muitas outras maravilhas que cativam os olhos de leitores ávidos ao redor do mundo.

A vida do escritor em si serviu de imenso arsenal na construção de suas obras. Desde criança mostrou-se excepcional, começando a ler sozinho quando tinha apenas cinco anos. Serviu dois turnos na guerra do Vietnã e seguiu na carreira militar trabalhando como engenheiro nuclear para a marinha, trabalho que ainda desempenhava quando começou a escrever seu primeiro livro, “O olho do mundo” em 1977. O livro fora publicado em 1990 e vem reunindo fãs desde então, tendo hoje em sua homenagem uma reunião anual nos Estados Unidos, intitulada JordanCon.

Após ser diagnosticado com amiloidose cardíaca em 2006, Robert passou por uma série de tratamentos incluindo uma droga chamada Revlimid, na época ainda não testada em pacientes portadores da doença. O autor mesmo doente se preocupou com seus fãs, tentando por meio de postagens acalentar aqueles que tanto o admiravam. Em 16 de setembro de 2007 sucumbiu à enfermidade, teve seu corpo cremado e enterrado na Carolina do Sul, onde nascera.

Os 20 anos que passou escrevendo foram de imensurável valor cultural para o mundo literário, com enfoque na saga previamente citada, cujos 14 livros capturaram a glória e magnitude de James Oliver entre suas páginas.


version 3/s/literatura// @obvious, @obvioushp //Millene Lima