rascunhando

Um Elogio ao Acaso

Bruna Richter

Cabem tantos mundos da minha janela tímida que transbordo em palavras tudo o que me conduz para muito além de mim

Fome de Toque

A vida necessita de ilusões...


PhotoGrid_1496439058488.jpg

Nesse exato momento há gente que a gente não sente. Podem ser aqueles que cruzam nossas vidas e tantos outros que desconhecemos. Sujeitos de diferentes ruas em incontáveis casas. De inúmeras infâncias que se desdobram até onde não podemos enxergar. Vastos e dispersos. Os que promovem encontros e desencontros. Aproximações e despedidas. Pessoas chegando e partindo.

Cada um deles deixa no mundo as pistas que pode. Quanto a mim, meus legados dissipei pelo caminho. Dispo-me insistentemente. Arranco minha própria pele e já não há fronteiras. Permaneço, eu mesma, do lado de fora. Contato direto com o mundo. Eu que já não durmo de tanta vontade acumulada, de tanto anseio represado. Eu que sempre me expando para alcançar alguém.

PhotoGrid_1496438692493.jpg

Passo dias intermináveis arquitetando pessoas. Imaginação minha ou quem sabe, talvez, apenas devaneios. Eu que era continente antes me torno imponderada, entretida sabe-se lá com que pensamentos fantasiosos. Desato-me constantemente por não ter me abreviado. Sinto o que há de mais lascivo, absolutamente intimo e visceral. Sobram-me vícios e desejos. Pelo outro, nunca me falta fissura.

Seja assim, você para mim, algo além do que é repetição. Revele uma função que ainda não tenha sido preenchida por ninguém. Longe de um filho, de um pai, longe até mesmo de um primo distante. Assuma sua própria personagem. Surpreenda-me. Goste de misturas. Goste de movimentos e de formas. Goste de boca, de cintura e (muito) de pescoço. Respeite o tempo, acolha as vontades e, definitivamente, não me obedeça sempre.

PhotoGrid_1496439047863.jpg

Convido ao pecado todos os princípios e normas que você traz consigo. Escute com calma: eu dou permissão. Pode invadir ou chegar com delicadeza e tomar para si o que lhe parece de direito. Abriga-me por completo e aceita o que já é seu. Rapte-me e comece a me ler - nas entrelinhas e por inteiro. Invada, recheie, preencha. E se nada disso funcionar apenas aproxime-se e toque.

Tirando o resto, a alma é tudo o que sobra...

PhotoGrid_1496438899551.jpg


Bruna Richter

Cabem tantos mundos da minha janela tímida que transbordo em palavras tudo o que me conduz para muito além de mim.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious //Bruna Richter