Monique Cougo Rodrigues

Reflexiva, amante de literatura, fotografia, filosofia e artes em geral. Vejo poesia nos detalhes, questiono até o que é mais simples e valorizo além do que é apenas essencial

Por que esperar a reciprocidade?

Um apelo à autenticidade nos sentimentos.


jogo.jpg É comum vermos pessoas temerosas de demonstrar seus sentimentos a outros, isso se dá devido ao medo da rejeição e ao costume, cada vez mais presente nessa geração, de “fazer jogos”. Essa última opção refere-se às situações em que ambos os participantes do relacionamento procuram demonstrar menos interesse, pois, nesse jogo, o mais envolvido sentimentalmente, “perde”. A lógica é bem simples: Ser indisponível está super na moda.

Nesse jogo, um não procura o outro. Para quê vencer o orgulho e chamar o outro para conversar, se isso poderá demonstrar carência e apego? Ninguém quer ser o "carente" da história. Se a pessoa recebe uma mensagem, deve esperar algumas horas para responder, do contrário, corre o risco de parecer desesperado. Recebeu um convite pra sair? O mais seguro é dizer que está ocupado e adiar o encontro por mais uma semana, para dar a impressão de indiferença. Os sentimentos? Ah, esses não importam muito. Aqui, o que conta não é ser sincero, e sim dissimular um comportamento, a fim de passar uma imagem segura.

A vontade era de responder logo e de aceitar o convite na primeira oportunidade, mas o jogo sempre vence. O grande problema dessas ocorrências, é que isso demonstra que a imaturidade emocional está cada vez mais presente nas relações. Está difícil olhar nos olhos, elogiar, ligar, mandar mensagens, demonstrar interesse no dia da outra pessoa, pois, absurdamente, o “gostar” agora se tornou sinônimo de “ser fraco”.

O medo da rejeição é outro ponto a ser pensado, porém é bem mais profundo. O “jogo” existe para que a insegurança seja escondida, mas, na prática, são nesses momentos que ela mais aparece. Sou a favor de falar dos sentimentos, mesmo que estes sejam ignorados. No fim das contas, o que vale é ser verdadeiro consigo mesmo. Houve rejeição? Bola pra frente. A maturidade emocional nos faz perceber que isso é normal e que talvez, em uma próxima oportunidade, surja alguém que saiba valorizar uma pessoa sincera. Além do mais, mesmo em relacionamentos cheios de jogos, existem separações e muito mais situações de desprezo.

A maturidade também nos faz perceber que, ser verdadeiro é muito mais divertido do que esconder o que pensa e o que sente. Talvez não seja necessário esperar a reciprocidade para começar a ser fiel a suas emoções, até porque, ser leal a si mesmo te ajudará a não perder tempo com pessoas erradas (vale lembrar que a racionalidade também não pode ser deixada de lado, agir por impulso também não é legal). Um brinde aos que buscam amadurecer emocionalmente!


Monique Cougo Rodrigues

Reflexiva, amante de literatura, fotografia, filosofia e artes em geral. Vejo poesia nos detalhes, questiono até o que é mais simples e valorizo além do que é apenas essencial.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Monique Cougo Rodrigues