reforma íntima

Autotransformação com leveza e esperança

Ana Cristina Sampaio

A educação dos sentimentos é a maior transformação que podemos almejar. O esforço pessoal nesta jornada é menos penoso se nos cercamos de boas leituras e amizades. Compartilho com vocês minhas reflexões para juntos plantarmos consciência.

O medo tem muitas máscaras. Você sabe quais medos esconde?

Permitir que o medo não reconhecido comande nossas experiências e determine nosso destino é trazer infelicidade para o convívio. Reconhecer quando o medo está no comando é uma das maiores conquistas que podemos almejar para nossa existência.


medo.jpg

O medo é uma das quatro emoções básicas do ser humano, junto com a raiva, a alegria e a tristeza. Apesar de básico, o medo não tem nada de simples e é justamente essa característica de sentimento primário que o torna capaz de se esconder sob as mais variadas formas em nosso inconsciente.

O medo é tão sutil nessa competente habilidade de parecer ser tudo menos medo que, em nossa ignorância a respeito do que sentimos, não tomamos contato com essa emoção que é a base de comportamentos geradores de grandes conflitos e destinos infelizes.

O medo da crítica e do julgamento

Vejamos o medo de sermos julgados, da crítica, do que pensam de nós, de não estarmos a altura das expectativas alheias. Esse tipo de medo está por trás de inocentes pessoas tímidas, que evitam falar em público, que são consideradas caladas ou quietas, às vezes sem expressão, mas que quando as conhecemos mais de perto mostram-se verdadeiras usinas de críticas e opiniões revoltadas. Tratam-se de pessoas com um enorme medo de exporem seus conflitos, de demonstrarem o que verdadeiramente pensam e serem consideradas de forma negativa.

Por trás de um tímido pode haver alguém exigente ao extremo consigo e com o outro, de forma que o medo do julgamento alheio bloqueia a participação social. Sem reconhecer que se trata de medo, a pessoa assume a postura tímida como se fosse sua própria personalidade, criando um círculo vicioso em que cada vez mais se exclui do contato social. O resultado é uma vida triste e solitária, além de um constante sentimento de inadequação.

O medo do fracasso e da inferioridade

O medo também pode estar por trás do tirano, do briguento, do arrogante. Quem tem medo de perder e se sentir inferior assume uma postura de ataque constante. São os que em posição de poder tornam-se ditatoriais, mandões, carrascos. Por trás de chefes assediadores, de maridos que batem em mulheres e filhos, de quem quer que use de violência física e emocional está um tremendo medroso.

O medo é de que descubram suas fraquezas e carências. Ao não trazer à tona e tratar seus próprios medos, a pessoa os esconde por trás de uma postura de altivez e superioridade. Quantos conflitos e vidas infelizes poderiam ser evitados ao se reconhecer o medo que está debaixo de tanta arrogância?

Como descobrir e enfrentar os nossos medos?

Quando compreendemos e honestamente nos propomos a enfrentar nossos medos a vida se transforma. O exercício de vasculhar nosso íntimo à procura do medo que nos paralisa ou imobiliza é a mais salutar atitude que podemos ter conosco e com quem nos cerca. Para isso, é preciso mudar crenças que remontam à nossa infância, como a de que devemos enfrentar tudo com coragem, que os fracos não têm vez, que o mundo é dos mais fortes, que homem não chora, e por aí vai.

Como emoção básica, o medo faz parte do mundo íntimo de todos nós. A coragem está justamente em identificá-lo e observar como ele comanda nossas atitudes de forma impensada se não o acolhermos. Sim, porque antes de o enfrentarmos, devemos acolhê-lo, reconhecê-lo e finalmente perguntar de onde vem. Pode ser que o medo nos tenha sido incutido por uma dinâmica familiar. O medo de nossos pais pode ser também o nosso medo no futuro, se não soubermos identificá-lo. Ou às vezes o medo surge após uma experiência dolorosa.

Você sabe quando o medo está no comando?

De onde quer que ele venha, é preciso tomar contato com o sentimento para que, à luz da consciência, tomemos a atitude que vai nos conduzir para uma vida mais plena e evoluída.

Permitir que o medo não reconhecido comande nossas experiências e determine nosso destino é trazer infelicidade para o convívio. Reconhecer quando o medo está no comando é uma das maiores conquistas que podemos almejar para nossa existência.


Ana Cristina Sampaio

A educação dos sentimentos é a maior transformação que podemos almejar. O esforço pessoal nesta jornada é menos penoso se nos cercamos de boas leituras e amizades. Compartilho com vocês minhas reflexões para juntos plantarmos consciência..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Ana Cristina Sampaio
Site Meter