Thaís Franco

Para se perder no tempo, vagar pelo que pode não ser o que eu acho, nem o que você acha, sendo como for, tem de ser delicioso

  • 15 a mais incrivel revolução.gif
    O essencial é invisível aos olhos

    Você esta lá tranquila, vendo as atualizações que rolam no newsfeed do facebook, pensando nas coisas quem tem que fazer no dia seguinte, em como pode preparar a pauta da reunião de forma completa para que não duvidem, para não ouvir desaforo, sem deixar nenhuma ponta solta, prontinha para ser remendada por algum fulano aproveitador. Num repente, você percebe numa foto, um rosto conhecido, vê ali o boy, com quem estava saindo, postou uma foto com uma fulana e um texto todo declaratório, cheio de amores e intimidade, o primeiro pensamento é que a moça era irmã ou amiga de longa data, afinal no seu perfil não tinha nada, obviamente você entra na página da moça, só pra ter certeza, neste diz, com todas as letras ‘em um relacionamento sério’’ com aquele babaca. E agora, o que fazer?! Liga pra ele e pede algum tipo de satisfação, ou ignora aquilo tudo, espera ele dizer algo a respeito? Melhor ainda: conta tudo pra ela! Isso, você esta determinada, vai falar com ela, chega abrir a caixa de mensagem pra avisa-la que esta sendo enganada. Mas... pensando melhor, e se eles tiverem algum tipo de acordo, ou , ainda pior, e se ela achar que a culpa é sua, que você é a responsável por estragar o relacionamento perfeito deles. Respira, por fim decide: nunca mais vai falar com aquele idiota. Apenas. Pra moça, deseja muita sorte.

  • enganados7.jpg
    Somos enganados, e sabemos disso!(?)

    Segue assim: acorda, bota suas roupas descoladas, pega seu smartphone, seus fones de ouvido, põe pra tocar um Índie, vai pra rua. Mal presta atenção no seu redor, não vê o cara que passa fome, ou a criança que é alienada. Chega, cumprimenta todo mundo, debate as mazelas da humanidade, a frieza do mundo, os seus sonhos. Sente-se incrível, coerente. Com seus all-stars e seus ideais de coca-cola, seguia a vida acreditando em tudo que (ou)via, nem por um momento pensou que era tão ímpar quanto todas as outras pessoas, sua contracultura era enlatada e seus ideais em massa.