rg próprio

amostra gratuita de uma identidade

Luciana Kuchiki Vilar

Observadora atenta do ser humano e do fluxo do comportamento do mundo.
Vive numa eterna descoberta de si mesma e na busca do equilíbrio constante. Questionadora por profissão. Racional e passional. Design de moda é apenas uma das suas facetas, também escreve sobre comportamento, tendências, universo feminino.....Sua identidade está sempre presente no seu blog rgproprio.wordpress.com

por que desejamos boa sorte?

Superstição, acreditando ou não, é sempre válido usar palavras que soem positivas do que amargar dias de tempestade....


four-leaf-clover-978544_640.jpg

Tenho essa mania de desejar boa sorte para as pessoas, principalmente quando me despeço de alguém que vou ficar por um longo tempo sem ver, ou se sinto necessidade, talvez achando que a pessoa esteja precisando de uma palavra positiva. Tem gente por aí que acha que sorte é para aventureiros e que o sucesso, sim é digno de quem se esforça para conseguir aquilo que deseja, sendo uma conquista muito mais batalhada e merecida. Já eu acredito que uma boa dose de sorte não faz mal a ninguém.

Sorte, no dicionário, é descrita como: “um substantivo que pode significar destino ou acontecimento casual”. Para a filosofia é algo que também resulta da casualidade, um fenômeno que não é possível explicar. Já no teatro a sorte vem através do seu antagonismo, desejando-se “merda” ao invés de sorte. Desde o teatro antigo até os dias de hoje, a expressão é utilizada entre os artistas antes da entrada em cena para trazer a boa sorte. O fato nasceu na França, provavelmente no século 19, onde se dizia: “merde”. Quando havia estreia e a casa estava lotada, a movimentação dos cavalos puxando as carruagens era intensa. Sinal de que o rastro (obviamente, os dejetos fecais) deixado por eles, ao longo da entrada do teatro, era a presença de um grande público e um sucesso para aquele espetáculo. Pode ser algo para supersticiosos, pessoas cheias de rituais de fé e crença em algo místico. Sendo subjetivo ou não, acho prudente não arriscar. Melhor crer na boa sorte do que ficar amargando dias de azar, ou melhor, dizendo: pouca sorte!

Mas, voltando à questão acima, enfim acho que não existe uma resposta objetiva, acredito que boa sorte é pra ser dita sempre, como se diz bom dia, simples assim. Como no filme Boa Sorte, onde a personagem de Deborah Secco se despede da vida e do seu amor, simplesmente dizendo: Boa Sorte!

Imagens: Pixabay


Luciana Kuchiki Vilar

Observadora atenta do ser humano e do fluxo do comportamento do mundo. Vive numa eterna descoberta de si mesma e na busca do equilíbrio constante. Questionadora por profissão. Racional e passional. Design de moda é apenas uma das suas facetas, também escreve sobre comportamento, tendências, universo feminino.....Sua identidade está sempre presente no seu blog rgproprio.wordpress.com.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious //Luciana Kuchiki Vilar