rubinho borges

Falando sobre as coisas da vida

Eustáquio Borges

Apaixonado por textos desde criança. Acha que escrever é deixar a alma voar para a mente não enlouquecer.

A esperança não nos pode ser roubada

Fellini nos mostra em seu filme Noites De Cabíria a história de uma prostituta que sonha em receber da vida a única coisa que não pode ser comprada: o amor. Cabíria é a mulher que vai te ensinar a manter a esperança mesmo que coisas ruins aconteçam.


cabiria3.jpg

A esperança pode ser uma coisa muito perigosa.

O que você faria se o amor da sua vida te enganasse, roubasse seu dinheiro e tentasse te matar? Pois bem, é assim que começa essa obra prima de Fellini, embora pouco conhecida, Noites de Cabíria é um dos filmes mais marcantes da história do cinema. A história tinha tudo para ser um desses clichês de Hollywood, alguma comédia romântica que faz sucesso de bilheteria e logo é esquecida, mas, com certeza não é o que acontece.

Cabíria é uma prostituta pobre dos arredores de Roma, num período logo após a segunda guerra mundial, e que se orgulha muito da sua pobre casa que ela conseguiu comprar com o suor de seu trabalho, na verdade é a única que ela tem na sua vida. Logo após seu namorado, e que ela acha ser o grande amor da sua vida, embora só se conhecessem há um mês, a roubar e a empurrar num rio, deixando-a sozinha para que morresse afogada, ela volta para sua casa e o defende para sua vizinha dizendo que ele apenas havia se assustado e foi embora, mas que voltará. Tão parecido com a vida real, quando insistimos que alguém mudou, ou que errou sem querer.

Na verdade, o filme inteiro é cheio de cenas que podemos dizer que acontecem ou nas nossas vidas ou na vida de alguém que conhecemos. O sonho de Cabíria é deixar de ser prostituta, algo, que segundo ela, só com um milagre poderia acontecer. Ela é a mulher ingênua que busca alegria em qualquer momento de sua vida, algo que parece ser tão oposto se mantém junto nesse filme: a ingenuidade dentro do coração de uma prostituta já muito sofrida pela vida.

Após perceber que o grande amor da sua vida que ela só conhece há um mês a engano e que ela não merece sofrer por ele, Cabíria queima suas coisas e volta a trabalhar, depois de se encontrar com suas “colegas de sereno” no seu “ponto de trabalho” habitual, ela vai até o “ponto de alto luxo” onde encontra prostitutas “de luxo” que a esnobam; pouco depois um famoso ator de cinema, após brigar com sua namorada, a convida para ir com ele até sua casa e ela, num ato tão humano, grita para as tais prostitutas e mostra que ela foi “a escolhida”. É claro que quando a namorada chega inesperadamente, ela é deixada.

Nesse filme, há duas cenas muito importantes, a de abertura, cena em que ela é abandonada e sua reação já demonstra seu caráter e modo de encarar a vida, sempre com alegria e esperança mesmo após uma situação ruim, e a cena final, que por motivos óbvios eu não contarei como termina, mas, no meio do filme, que vai retratando de forma bem simples, mas nem por isso menos genial, tanto na direção de Fellini quanto na atuação da atriz Giulietta Masina, a vida de Cabíria, há três cenas que poderiam passar despercebidas num contexto geral, mas que se repensadas após, ou durante o filme, isso para uma audiência perspicaz, mostram como a personagem Cabíria foi construída e como nós temos muito dela em nós mesmos, ainda que não sejamos prostitutas.

A primeira cena a ser destacada é a da procissão da virgem Maria e a entrada na igreja por Cabíria e outras prostitutas entre as pessoas do vilarejo. Dois pedidos são feitos, um é o de Cabíria, que chora aos pés da santa pedindo que ela faça com que sua vida mude, o outro é o pedido de um aleijado, cafetão e vendedor de drogas que pede para voltar a andar. Se seus pedidos são atendidos ou não é uma surpresa que só quem vir o filme descobrirá. Essa cena é importante porque mostra, de alguma forma o final do filme, e como o pedido pode ter sido atendido, mas não da forma como Cabíria esperava.

Outra cena muito bela, não por nenhum efeito especial, novamente pela simplicidade, pelo elemento surpresa e por suas falas que nos fazem acreditar na bondade humana, é a cena em que Cabíria, após “prestar seus serviços” a um caminhoneiro que a deixa longe de casa, obrigando-a a caminhar por muito tempo até sua casa, quando ela encontra, no meio da noite, um homem que ajuda os mendigos que moram nas cavernas, ou melhor, buracos na terra e confunde Cabíria com um deles, nesse momento, mais uma vez, orgulhosa de sua casa, ela responde que não precisa, que tem seu próprio teto, ela lhe pede uma carona e enquanto espera ele ajudar os mendigos, ela encontra uma ex-prostituta que fora muito rica, mas que agora vive ali. Durante a carona, Cabíria pergunta para o homem por que ele faz isso à noite e ele responde que durante o dia os mendigos estão pedindo esmolas nas ruas e que ele não os encontraria para ajudar. Outra fala desse homem é que ele não consegue ajudar o quanto seria necessário para que os mendigos não passassem fome. Ninguém sabe se esse homem é rico ou pobre, apenas que é alguém que mesmo com sua vida, ele sai pela noite, ajudando como pode aqueles que a sociedade não vê.

A terceira cena, também a cena que de certo modo traçará o destino de Cabíria, é a cena em que ela está num show de mágica e é hipnotizada, durante o espetáculo o hipnotizador diz que ela está ao lado de um homem que é seu grande amor, um homem chamado Oscar, inconscientemente, Cabíria abre seu coração e conta seu desejo mais profundo, o de encontrar um grande amor que a ame desinteressadamente e que a tire da vida que ela tem. Quando o show termina, Cabíria não se recorda de nada, vê a plateia rindo dela e com vergonha fica no teatro ate que todos tenham ido embora, mas, ao deixar o lugar, um dos homens do público a aguardava do lado de fora e se apresenta a ela. Seu nome é Oscar D’Onofrio. Seria ele o grande amor de sua vida? A santa teria atendido seu pedido?

Cabíria se recusa a acreditar nesse homem e nesse amor, já havia sofrido, e muito, por causa de amor, mas seu coração é cheio de esperança e ao primeiro sinal da possibilidade ser feliz, Cabíria está decidida a tentar, vende o grande orgulho de sua vida: sua casa, abandona seus amigos e segue com ele para encontrar seu destino. Mais importante do que saber se ela encontrar ou não a felicidade, se ela é enganada novamente ou não, o mais importante nesse filme é que ele nos ensina, do começo ao fim, como as pessoas, até aquelas que nós mais amamos, como a vida ou qualquer outra situação podem nos fazer perder tudo. Podem nos roubar qualquer coisa que tenhamos, a vida pode ser comicamente cruel, mas o que podemos fazer? Noites de Cabíria merece ser visto por todos por ser uma obra magnífica do cinema, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro, e esse filme deve ser visto porque ele nos diz que quando perdemos tudo, só temos duas opções: ou se amargurar e culpar os outros, ou então, pegar a esperança e com os olhos cheios de lágrimas, colocar um sorriso no rosto e seguir a estrada da vida ouvindo a canção do mundo.


Eustáquio Borges

Apaixonado por textos desde criança. Acha que escrever é deixar a alma voar para a mente não enlouquecer..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Eustáquio Borges