rumos

quando não há verbetes para o porvir

Rudson Vieira

..rumos seguem, mesmo em silêncio. Dobrei o horizonte sob os joelhos e ponderei; rumos seguem, mesmo introspectivo.

  • unnamed (1).jpg
    Padrões para relaxar

    Há uma tendência em padronização do comportamento social que intriga quando olhamos as plataformas de comunicação. A padronização pode castrar, mas ela também "ambienta" o indivíduo em uma zona de conforto. Coloca ele em fase de automatismo naquela questão para ter energia e atenção disponíveis para outros processos e fluxos.

  • flor chuva
    Conversas e Conexões

    Tudo nas nuvens e quando chove, poemas podem surgir, usuários se banham, se escondem, erguem guarda-chuvas, são inundados, outros nutridos; cada qual em seu instante, demanda e interesse. Dentre outras coisas, choveu live na pandemia e se instalou como a nova primeira tela da sociedade. Cada qual com sua programação.

  • IMG_4989.jpg
    Entre fibras musculares

    Somos a sociedade da carne; para comer, se abster e para se relacionar. Sonâmbulos, erguemos civilizações, com breve consciência da aparência do real. Nosso desejo move-se para saciar ou punir a carne, destrinchar o que se faz frágil e expor as vísceras do corpo social. Nos embrenhamos entre as fibras musculares com ideologias que alteram o corpo social sem compreender profundamente os desdobramentos das ações, escolhas e consequências.

  • IMG_6695.jpg
    Gestão além das cifras - o emaranhado de indicadores

    Controlar os investimentos, prospectar verba, planejar execução, mensurar resultados, acompanhar execução. Todo gestor conhece bem as diversas ferramentas disponíveis no mercado, as mais ousadas, usuais e as de difícil manuseio, tudo para gerar relatórios e leituras das cifras que perpassam a área em questão. Estas medidas devem incorporar o planejamento da área de comunicação e nortear a maneira como são estruturados os fluxos e plataformas.

  • DSC_0171.JPG
    Tensão Superficial

    A partir da leitura da realizada pela abordagem de Zygmunt Bauman, onde a modernidade revela uma sociedade líquida, podemos expandir o olhar e refletir acerca da percepção dos movimentos da organização social. A liquidez da sociedade, seus conceitos e suas relações, atribuem ao indivíduo uma nova vertente de comportamento e de busca para alcançar um estado de harmonia. A perenidade já não é mais um estado viável, pois segundo Bauman, "Nada foi feito para durar", tudo então é transição. A referida transição, segundo a liquidez de Bauman se ampara no desejo individual extrapolado para o coletivo.
    Diante de um mundo líquido, onde cada um é potencial produtor e reverberador de conteúdo, é preciso ter muita maturidade ao se falar de política e não apenas ter o vigor da paixão. O ser humano, animal político e social, não pode confundir esta vocação de sociabilização (por meio da política) com paixão, desejo íntimo de saciar-se. As intermitências da ética materializam os lapsos humanos em defender os interesses íntimos travestidos de bem comum e bem-estar social. A história das nações e seus ciclos de poder revelam como cada vez mais a sociedade sofre com os abalos da moral humana.

  • DSC_4322.jpg
    Regimes Democráticos e a iminência da ruptura

    O retrato social revela um comportamento popular que exemplifica as interferências sociais do sistema político vigente. A sociedade leiloa seus direitos a poderes e representantes que mais empatia geram. Legislativo, executivo e judiciário estão repletos de protagonistas que defendem um projeto político que manipula a população em função das facilidades de sempre: aumento e garantia de poder aquisitivo. Uma reforma do sistema político deve partir do rompimento deste paradigma: o das facilidades e das riquezas. Quando o fazer política, uma vocação natural humana, deixar de ser um negócio, quando passar a reunir a sociedade de forma que ela possa compreender as ferramentas que possui para forjar um novo sistema que vá além dos precedentes.

  • DSC_0013.JPG
    estabilidade do Estado?

    “A falta de alternativas clarifica maravilhosamente a mente.” Henry Kissinger.

  • veias secas (1).JPG
    Estado Poder e Bem-estar Social

    Antes de olhar o Estado e suas configurações, olhar o indivíduo. Pensar o querer geral e ser racional (lembrando Immanuel Kant) e também perceber a relação dos seres com os espaços a partir do interesse e suas vertentes diversas. Os indivíduos com objetivos específicos, interesses pessoais se tornam seres sociais. Os seres sociais buscam estabelecer um ordenamento embasado no interesse coletivo. Todavia, o interesse coletivo é por muitas vezes uma roupagem aceitável do Interesse Dominante. Ou seja, um indivíduo articula seu interesse pessoal de forma a viabilizá-lo como o interesse de um ser social com potencial de se transformar em interesse coletivo. Por persuasão, submissão ou identificação para alcançar fins pessoais, outros seres sociais tornam-se adeptos do interesse proposto tornando-o Coletivo. Quando analisado em profundidade, este interesse nada mais é do que o interesse dominante não de um grupo, mas de um ser com poder articulador às vezes imperceptível em sua ação, mas evidente em suas consequências.

  • s (1).JPG
    Títeres

    Espera-se compreender o ser humano e o desdobramento de suas ações na manutenção da sociedade. Para isso, faz-se necessário observar suas diversas relações e padrões de comportamento e evolução. Alguns sociólogos e antropólogos acreditavam que para atingir a desejada análise do ser, era necessário destituí-lo de tudo que o compõe e observa separadamente e depois verificar o conjunto. Uma busca por constantes universais do traço humano.

  • Jean-Michel-Basquiat-50-cent-Piece.-1983.jpg
    Conteúdo Social - as narrativas pulsam

    Uma matriz de conceitos rege organizações e até mesmo confunde gestores em uma promessa de êxito de fluxos complexos em busca de transparência, que aparentemente deveria ser o resultado de processo simples. Matriz de risco, sustentabilidade, responsabilidade social, engajamento profissional, territorialidade, compliance, stakeholders, brandend content e tantos outros.

  • IMG_6410.JPG
    Novo do mesmo

    Se todas as possibilidades na ordem e relação das forças já não estivessem esgotadas, não teria passado ainda nenhuma infinidade. Justamente porque isto tem de ser, não há mais nenhuma possibilidade nova e é necessário que tudo já tenha estado aí, inúmeras vezes. (Friedrich Wilhelm Nietzsche).

  • DSC_0174.JPG
    Individuus

    A organização social contemporânea impele ao indivíduo um comportamento de egocentrismo. Para coexistir o ator social com esse perfil precisa de público e referência, para então impor suas singularidades, legitimando-as como objeto de consenso ou bem-estar social. Importante considerar a etimologia; do latim medieval individuus (indivisível), que é formado de in + dividuus. O vocábulo dividuus vem de dividere (dividir). O processo de formação de indivíduos compreende interferências da sociedade, ou seja, depende das relações sociais e culturais (variando o grau de intensidade), formando assim a identidade do ator social.

  • rsdpass.jpg
    polegares em riste

    Além de estabelecer um novo modus operandi na comunicação, as novas mídias (se utilizadas de forma equilibrada) expandem as fronteiras da evolução humana e flexibilizam distâncias físicas e intelectuais para estabelecer aquilo que entendemos como um mundo melhor agora.

  • aspargos.jpg
    Aspargos - Assim

    Assim, o dicionário voltou para a estante, ao lado dos livros. Lauro tinha a mente em
    repouso, uma inquietude saudável lhe afagava, tinha o corpo em exercício, como
    Aspargo-de-jardim e seus turiões comestíveis.

  • aspargos.jpg
    Aspargos - Falo!

    "O que tem a dizer? Quais palavras dizer? Tudo é linguagem, tudo é. Tudo se faz aos outros
    por meio de representação. Toda representação utiliza linguagem. Tudo é linguagem." Não
    havia mais o que falar. O vento retirou dos olhos a poeira; agora todos podiam ver sem
    problemas, sem obstáculos. Não havia onde jogar a culpa por realizar algumas escolhas.