rumos

quando não há verbetes para o porvir

Rudson Vieira

..rumos seguem, mesmo em silêncio. Dobrei o horizonte sob os joelhos e ponderei; rumos seguem, mesmo introspectivo.

Perspectiva... seu olhar em mim

Conforme o ângulo, eis a revelação; seja diante de uma arte 3D ou da realidade de nossos relacionamentos e vida. Entre as imagens e a melodia de um pleno amor, enfrentamos a sobreposição dos desejos. Gastamos palavras em busca de compreender o que acontece em nossa mente, com nossas vidas, nossos sonhos e escolhas. E se não nos for possível compreensão, nos vemos em Textos, páginas e lágrimas; olhares ao ermo em busca de um aconchego ao menos.


Tiger Cooling Off from the Heat 1600 share.jpg

A análise do comportamento humano: o tsunami de clichês, metáforas e paráfrases. Quando o eterno retorno é uma ida sem fim. A complexidade de uma imagem e qual a maneira que ela se firma em nós como significado nunca será compreendida entre as linhas de um texto; quiçá nas entrelinhas. Talvez nos suspiros sorrateiros entremeio à leitura. Jorramos textos pelas redes sociais digitais (web) e físicas (praças- nem tanto - e rodas de bate papo) em busca de não apenas reconhecimento, autoafirmação e audiências, mas sobretudo à procura do aconchego para nossas aflições. Dentre elas, a de manifestar o pandemônio divino que perpassa nossa mente e escorre pelos nossos gestos cotidianos.

Vivemos perplexos com as atitudes de um cotidiano cada vez mais próximo, orgânico e menos midiático e distante. Nossa conveniência (coletiva e individual) é a bússola natural. A globalização das mazelas humanas e dos flagelos comportamentais nos faz rever padrões sociais em busca do resgate de uma moral que nos dê paz de espírito e permita a evolução humana (não necessariamente desenvolvimento tecnológico). A postura diante dos fatos determina os respectivos desdobramentos.

CDlX--6WEAA2PsJ.jpg

O famigerado "ponto de vista" é o que determina como a sociedade enfrentará problemas como a violência física e moral, bem como as aflições sentimentais (algo tão sutil e vulnerável). O gozo e a dor; o sonho, a fantasia e a realidade. Se o olhar é de afago, o gesto de devorar, ou de se distanciar... ah, sempre o ponto de vista e a argumentação sobre o significado.

A semiótica há tempos rastreou e tentou explicar como o significado é formado na mente de cada indivíduo e como esse significado se torna um conceito social a partir da interação entre os seres. Entretanto, é preciso que cada um pense como mudar o significado de algo que nos faz mal, para assim mudar de forma efetiva a vida (pessoal ou profissional). Perspectiva. Quando nos permitimos a observar e refletir sobre nossos códigos de linguagem e comportamentos por outro viés, conseguimos interferir no significado que eles têm em nossas atitudes e pensamentos, em especial nos aspectos que forjam nosso caráter e personalidade (identidade). É mais do que dizer se o copo está meio cheio ou vazio. É rever se o que vemos é mesmo um copo, é mesmo de vidro, pequeno ou grande, é mesmo água lá dentro, e o mais interessante: para quê serve e para quê será utilizado. A perspectiva do olhar pode transformar a realidade que há em nós.

Compreender como é volúvel a vida, que é dinâmica e inerente à dimensão tempo, sem fórmulas fechadas, mas apenas apontamentos; pode contribuir para o processo de ressignificação das coisas. Talvez deste modo possamos vivenciar melhor os tropeços e as peripécias dos sentimentos, dos anseios e da efetiva conquista. Olhando de perto, toda distância ganha nova dimensão: a de dentro.


Rudson Vieira

..rumos seguem, mesmo em silêncio. Dobrei o horizonte sob os joelhos e ponderei; rumos seguem, mesmo introspectivo..
Saiba como escrever na obvious.
version 8/s/sociedade// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Rudson Vieira
Site Meter