Agatha Andrade

Em meio a milhares de vidas amontoadas buscamos o que está dentro de nós mesmos para nos sentirmos mais autônomos em um mundo tão igual. É só ao observar o vazio que tememos que ele, também, esteja além das estrelas. Medo de que essas estejam tão perdidas quando nós. Blog:www.screepeer.com.br

O que é estar pronto ?

Há uma idade em que o mundo parece nos querer prontos. Prontos para agirmos de acordo. Prontos para escolhermos a profissão dos sonhos. Prontos para agradarmos a todos. Pontos para aparentarmos que estamos prontos para escolher. Mas, a questão é que não estamos prontos, talvez nunca estejamos.


the-breakfast-club-1985-ally-sheedy.jpg

Os filmes dos anos 80 falam tanto sobre a idade do se encaixar. Pare para lembrar de alguns filmes da Sessão da Tarde, por exemplo. Aquelas dos filmes adolescentes em que se tem grupos pré-definidos, as famosas tribos. O roqueiro, o surfista, a patricinha e assim por diante. O elenco do Clube dos Cinco. A idade em que queremos ser parte, e, o estar pronto não importa tanto, afinal se tem muito o que viver.

Mas, há uma idade depois dessa fase em que tudo muda. A idade em que você se forma no ensino médio e suas decisões começam a ser tomadas. Decisões que muita das vezes te guiarão pelo o resto da vida. É o período em que mais analisamos a nós mesmos e que tememos o que teremos de ser.

As identidades foram formadas e agora elas serão questionadas, criticadas e translucidas diante de um mundo tão visado. Uns buscam o emprego para o hoje, outros a universidade, outros param para observar em um período complexo demais. É o momento que mais se busca fugir ao invés de encarar.

O momento em que não se quer falar sobre isso. O momento em que música tem que ser mais alta. A diversão líquida deve sobrepor os problemas. Queremos conhecer mais o externo, pois o interno incomoda demais. Não importa como, pois só queremos fugir por onde a vida nos levar para que os nossos problemas parem de tentar nos afogar. Não existe mais a escola para nos preocuparmos com o se encaixar ou não, mas uma vida estranha e externa a isso que é bizarro tentar enfrentar.

A ideia do agradar o externo começa a se perder no querer encontrar a si mesmo. A idade em o mundo mais espera de nós e menos temos o que mostrar. Pois, só se quer acordar, viver e ir para o lugar que queremos que seja nosso lar. Não precisa ser perfeito, mas real e sem esperanças alheias. Não queremos que escolham por nós, pois escolhemos querer escolher. Escolhemos escolher se iremos casar ou ter filhos. Se iremos trabalhar ou estudar, talvez os dois, talvez nenhum. Escolhemos escolher que não escolheremos, mas se irá deixar acontecer. Fugimos e nos encontramos tantas vezes para no fim do dia, só desejar que o julgamento alheio não alcance nossos ouvidos.

São bilhares de padrões novamente para se escolher. Saímos da escola e cada um vem se apresentar: Oi, o que acha de ter gatos ? Quando será o casamento ? Não irá fazer faculdade ? Esse curso ? Tem certeza ? Essa profissão ? O que você quer da vida ? Quer ser ator! Isso dá dinheiro ?

Todas essas perguntas acabam vindo de todos os lados. As vezes se quer responder por educação, outras apenas se deseja ser livre para não responder nenhuma. Pois, os caminhos estão ali, mas só se desejar construir o seu próprio. Tem que gente que deseja pegar uma estrada de um caminho ou outra, mas um individuo não define os demais. Sinceramente, o que mais tenho visto e conhecido são pessoas de diversas idades. A maioria não tem a vida típica que uma cultura externa diz que se deve ter. Nunca me afirmaram que as duvidas acabam ou que os problemas diminuem, apenas que no fim somos apenas crianças. Nunca estamos, realmente, prontos. Então, é hipocrisia alheia desejar que sim.

A vida gosta de tirar sarro de todos nós posando de adultos. Gritando como se dominássemos o tempo e soubéssemos tudo o que devemos fazer para sermos felizes. Talvez, responder todas aquelas perguntas ou apenas continuar a ignorá-las. É engraçado pensar que que talvez a idade das escolhas nunca passe. Que todas essas cobranças estarão ali de alguma maneira, podendo ser alheias ou internas. Se nunca estaremos prontos, então o que significa o mundo desejando isso? Talvez, só se queira viver, e, escolher diversas vezes. Não com um objetivo final, mas com diversos deles. Valorizando o caminho e não a chegada.

Ser parte de um mundo com tantas culturas, as vezes pode significar querer fugir para uma distante. Sem cobranças alheias, mas internas. Dessas nem sempre se pode fugir. Mas, nessa pelo menos sabemos que o importa não é estar pronto para escolher isso ou aquilo, pois o que tiver de ser acontecerá quando, realmente estivermos prontos. Afinal, nem sabemos o que isso significa de verdade.


Agatha Andrade

Em meio a milhares de vidas amontoadas buscamos o que está dentro de nós mesmos para nos sentirmos mais autônomos em um mundo tão igual. É só ao observar o vazio que tememos que ele, também, esteja além das estrelas. Medo de que essas estejam tão perdidas quando nós. Blog:www.screepeer.com.br.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/recortes// //Agatha Andrade