Agatha Andrade

Em meio a milhares de vidas amontoadas buscamos o que está dentro de nós mesmos para nos sentirmos mais autônomos em um mundo tão igual. É só ao observar o vazio que tememos que ele, também, esteja além das estrelas. Medo de que essas estejam tão perdidas quando nós. Blog:www.screepeer.com.br

A delicadeza do amor

Que a vida tem seus altos e baixos estamos todos cansados de saber, mas quando de uma hora para outra vemos tudo o que construímos desabar, esquecemos até mesmo de na vida como caminhar. Podemos ter apreendido a nos levantar, mas nas situações onde parte de nós é arrancada na queda, toda esta sabedoria não vale de nada.


5c6ed6a450a77a4400abc9a08265aeeb (1).jpg

Que a vida tem seus altos e baixos estamos todos cansados de saber, mas quando de uma hora para outra vemos tudo o que construímos desabar, esquecemos até mesmo de na vida como caminhar. Podemos ter apreendido a nos levantar, mas nas situações onde parte de nós é arrancada na queda, toda esta sabedoria não vale de nada.

Às vezes apenas deixamos o tempo nos guiar. Seguimos fingindo que tudo está bem e que ainda sabemos caminhar. Levantamos e juramos que ainda sabemos viver. Mas, apenas quando tentamos, realmente, tomar o controle vemos que as feridas da alma demoram bem mais que as do corpo para sarar é que algo pode começar a se alterar. Mas, não é forçando que tudo irá de uma hora para outra melhorar.

A delicadeza do amor (La délicatesse) é um longa metragem frances de 2012, produzido por David Foenkinos e Stéphane Foenkinos. Conta à história de Nathalie Kerr, uma jovem mulher que vive uma bela história de amor com François – um rapaz muito bonito e com uma personalidade que se encaixa perfeitamente com a dela.

8700561967_3b104eb9ff_b.jpg

Eles são muito próximos e aparentam se conhecer como ninguém. Revivem os melhores momentos de sua história e constroem novos a sua maneira. O conto que pertencem apenas a eles, em meio à frieza da modernidade. Não obstante, certo dia o destino os separa – François acaba morrendo.

A partir daí, Nathalie vê seu mundo abalado e caído aos seus pés. De uma hora para outra, todos os seus sonhos com François são interrompidos e nada mais pode ser feito, e, a única coisa que ela pode fazer é aceitar. A maneira que ela encontra de seguir é deixar se envolver por seu trabalho.

Há um contraste no filme, enquanto eles estão juntos é como ver o desenvolver de um conto de fadas. Há os lugares deles, suas piadas e trocadilhos internos. Ela sorri mais e tem uma melhor comunicação com as pessoas de seu trabalho. Após, o acidente tudo isto se transforma e o seu cenário se torna mais dramático e solitário. Assim ela se deixa envolver-se por sua dor.

i541659.jpg

E se eu congelasse este minuto? E se eu me fechasse em minha dor?

Assim, se passam anos. A vida de seus amigos vai mudando, entretanto ela permanece ali focada apenas em deixar o tempo passar sem conseguir olhar para mais ninguém ou pensar em mais nada além daquela realidade. Toda sua vida havia sido planejada com uma pessoa e de uma hora para outra, isto acabou. Ela apenas continua no apartamento dela e de François e vai vivendo automaticamente imersa em tudo que o não a recorde de seu coração.

533265.jpg

Nathalie até tenta sair com seu chefe, mas nenhum sentimento é despertado. Tudo aparenta forçado e ridículo para ela. Ainda, há muitas feridas abertas nela e o seu chefe é um idiota casado. O que não a ajuda nem um pouco. Certo dia imersa em seus pensamentos, Nathalie acaba beijando um de seus subordinados na empresa - Markus - e ele se apaixona por ela. Markus é o cara comum, aquele que as pessoas ignoram e é considerado inferior por todos. Sofre preconceito, este que muita das vezes ele tem consigo mesmo.

A barreira de problemas pessoais de ambos existem, mas a cada conversa e encontro isto vai sendo derrubado. Afinal, ela encontra alguém que a fez lembrar de como ela era – divertida/feliz. É complicado e natural a conexão deles, não é um conto de fadas, mas é real e no momento certo para ela. Eles tem que quebrar, ainda, os preconceitos externos, pois como ela é considerada muito bonita e ele muito inferior a ela, há uma comoção social dos que os cercam.

délicatesse-2.jpg

O cara repleto de imperfeições, mas com qualidades que apenas Nathalie é capaz de enxergar e aceitar. Markus consegue tomar espaço na vida fechada de Nathalie. Esta que cada vez mais vai conseguindo se libertar de todas as prisões da vida em que fora submetida. Voltando a sorrir de verdade, a sentir e a se entregar. Voltando, principalmente, a viver e a ter vontade de lutar por algo que vai do trabalho.

A delicadeza do amor mostra a história de uma mulher que perdeu tudo o que ela considerava importante. Deixou o tempo a envolver e sofreu pelo tempo que foi necessário sofrer. Deixando a vida a guiar, mas assumindo o controle no instante em que precisou ir além das barreiras que os problemas haviam construídos a sua volta. A delicadeza do amor é o tipo de filme que mostra o amor real, que vai além dos atos inesperados. O que vem depois que já se está calejado pelas decepções.


Agatha Andrade

Em meio a milhares de vidas amontoadas buscamos o que está dentro de nós mesmos para nos sentirmos mais autônomos em um mundo tão igual. É só ao observar o vazio que tememos que ele, também, esteja além das estrelas. Medo de que essas estejam tão perdidas quando nós. Blog:www.screepeer.com.br.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Agatha Andrade