sem papas na língua

O que eu tenho pra te dizer é que...

Daniella Lins

Amante de boas histórias, escritora por amor e professora por formação. Gosta de tocar a alma das pessoas através das expressões artísticas, principalmente por textos. Gosta de cativar e ser cativada. Autora do Blog Sem Papas na Língua. http://sempapasnnalingua.blogspot.com.br/

Eu já fui a Summer

Quem nunca teve um amor não correspondido que atire a primeira pedra...


5000 dias com ela

E quem nunca nunca se sentiu como a Summer?

É muito ruim sofrer por gostar muito de alguém e esse alguém não corresponder aos nossos esforços incessantes em parecer agradável, inteligente, bem humorado e outras qualidades mais, que talvez nem aguentamos sustentar por muito tempo, ser ou gostar de algo em favor da aceitação do nosso ser amado. (Seja você mesmo, faz o favor!)

Mas quando essa tal dedicação ou afeto não é correspondido da maneira que desejamos nos afundamos nos tantos por quês de não termos sido aceitos na vida do outro. Quando na verdade a resposta está ali pronta pra qualquer um que queira ver,(Queira mesmo, porque geralmente não queremos) o outro NÃO TE QUER e não tem porquê.

Somos egoistas e pensamos só no que é importante que aconteça conosco. Não nos colocamos no lugar do outro. No filme '500 Dias com Ela' Summer é aquela que parece se aproveitar de Tom que está perdidamente apaixonado ela, o beijando e dando a entender que Tom era especial. Negativo. Em nenhum momento ela deu certeza a ele, e por quê ele se agarrou tanto a um alguém simplesmente pelas afinidades em comum? Isso não basta para que alguém goste de nós...

Imagina que alguém insista em sempre estar puxando papo com você e que lhe diga todos os dias 'bom dia' e 'boa noite', (porque é realmente isso que a pessoa deseja que você tenha e não que isso seja ruim), que lhe faça mil convites pra sair e você não sinta o minimo de vontade de sair, as vezes muito menos de conversar.

Você começa a achar a pessoa muito chata, grudenta e outros adjetivos mais, é ou não é? Mas se fosse alguém pelo qual você tivesse interesse? Isso seria muito bom, não é?! Pois bem, acontece isso no seu caso também. Ninguém é obrigado a "amar" alguém, só porque é boa pessoa, sabe conversar bem, é inteligente, [email protected] ou até mesmo de boa aparência, [email protected] Amar ou gostar vai muito mais além do que repostas prontas, muitas vezes nem tem explicação. Como diz na letra da canção de Renato Russo:"Quem irá dizer que existe razão nas coisas ditas pelo coração?"

Se assim fosse, só um perfil de pessoas encontraria o seu par. E olha que eu disse par. Os pares somam e não se completam, porque pra você poder viver bem com o outro alguém, você já precisa estar completo. A responsabilidade de preenchimento por um outro alguém, pode ser frustrante e inatingível. Ninguém deve ter essa responsabilidade e muito menos de jogar isso no outro. Muito menos fazer alguém responsável por nossa felicidade, isso é consequência dos momentos.

Você acha justo alguém estar com um alguém que não vê em você as qualidades que tem, só enxerga seus defeitos? Eu acho que não, não é justo. É perda de tempo. Todos merecem ser amados de verdade, por querer, por desejo. Não vale ser frio e destratar o outro porque não gostamos na mesma intensidade, deve se haver um respeito também.

Eu já estive no lugar do Tom em maior parte da vida, e de Summer também, mas nem por isso uso ou destrato ninguém. Devemos ser sinceros com os outros e com nós mesmos. Não devemos estar onde não queremos pra esquecer um outro alguém, não devemos tentar amar alguém pelo fato de estar na 'solidão'. E principalmente não devemos estar em busca da perfeição, ela não existe. E muito menos exigir de alguém o que nem nós mesmos podemos oferecer.

Cabe a nós lembrar que na vida, nem sempre temos respostas para tudo. A vida vai acontecendo e a gente vai aprendendo. Sofrer de desamor também faz parte. Não era par ser você, não era pra você. E quando o sentimento não é correspondido, reconhecer que não dá mais é preciso, não se apegue ao que existe apenas na sua cabeça.


Daniella Lins

Amante de boas histórias, escritora por amor e professora por formação. Gosta de tocar a alma das pessoas através das expressões artísticas, principalmente por textos. Gosta de cativar e ser cativada. Autora do Blog Sem Papas na Língua. http://sempapasnnalingua.blogspot.com.br/.
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/recortes// //Daniella Lins