sem papas na língua

O que eu tenho pra te dizer é que...

Daniella Lins

Amante de boas histórias, escritora por amor e professora por formação. Gosta de tocar a alma das pessoas através das expressões artísticas, principalmente por textos. Gosta de cativar e ser cativada. Autora do Blog Sem Papas na Língua. http://sempapasnnalingua.blogspot.com.br/

A tal reciprocidade

Os sentimentos tem de ser sempre gratuitos, sem ter que dar algo em troca. Amor, carinho e atenção não podem ser exigidos, muito menos mendigados, pois assim viram obrigações e não 'querer'. Também não se pode desperdiçar os sentimentos e as ações à aqueles que não o desejam, são bons demais para serem doados a quem não os quer.


maxresdefault.jpg

Levou um tempo até que eu compreendesse o significado que a palavra "reciprocidade" tem. Foi preciso que eu conhecesse muitas pessoas, me apaixonasse e quebrasse a cara mais de uma vez fazendo papel de trouxa rs', somos sujeitos a isso o tempo todo. Foi preciso eu acreditar e me decepcionar, para compreender que as pessoas possuem desejos diferentes ou semelhantes aos nossos e que não se deve determinar o quão boas ou não elas são por conta disso.

Os sentimentos tem de ser sempre gratuitos, sem ter que dar algo em troca. Amor, carinho e atenção não podem ser exigidos, muito menos mendigados, pois assim viram obrigações e não 'querer'. Também não se pode desperdiçar os sentimentos e as ações à aqueles que não o desejam, são bons demais para serem doados a quem não os quer.

Já percebeu que quanto mais você cria expectativas, mas se frustra? Ninguém é obrigado a cumprir nossas idealizações, muito menos nós as dos outros. Quando o sentimento é expressado por via de mão única, há frustrações, decepções, porque uma hora ou outra você espera que a pessoa te corresponda e isso não acontece.

Os sentimentos tem de ser reciprocos. E o que é reciprocidade? Ser correspondido. Para isso é preciso que você reconheça o seu valor, saiba o que merece e o que não merece, é não aceitar menos do que se dispõe a fazer, ou seja, ser capaz de demostrar e retribuir os sentimentos bons através de ações e não só de palavras.

Um exemplo de falta de reciprocidade é quando, o indivíduo se esforça para encontrar alguém e quando chega a vez dessa pessoa fazer o mesmo, ela não faz, dá desculpas. Se repetida a mesma situação mais de uma vez, essa pessoa não tem os mesmos interesses que você. E aí dependendo do nível da carência, da intensidade da paixão, essa outra pessoa ao invés de lhe dedicar o mesmo, se sente sufocada, não se sente em paz com você. Vai haver um momento que você vai perceber quando o carinho e atenção não estão sendo correspondidos, hora de bater em retirada.

Não quero dizer com isso que você dê na intenção de receber, há casos e casos. Em um relacionamento em pares, onde um doa mais do que recebe, uma hora um lado da balança pesa mais. A outra pessoa não é errada por não corresponder o que você deseja, você que tem de entender que estão em momentos de vida diferentes, com interesses distintos. Cabe a você procurar o que vai de encontro com os mesmos objetivos que os seus, buscar o que for reciproco, semelhante. Você não pode esperar muito de um alguém que não tem os mesmos ideias que você. Assim, você sempre vai se frustrar.

Pode ser que você esteja querendo suprir uma carência sua com o outro, mas lembre-se: ninguém deve preencher certos espaços, pois então você se tornará dependente dessa pessoa e você só será feliz a medida que essa pessoa te faça feliz. Mude! Nas relações tem de haver um equilíbrio, um respeito ao espaço do outro.

Não espere muito de quem não pode dar o que você deseja. Você tem o direito de receber o que deseja e a outra pessoa tem o direito de fazer o que quer também.

Quem quer, quer! E se quiser fará por onde alcançar. Se você não quer ter um relacionamento "step", onde você vira objeto de uso, onde a outra pessoa só quer ficar com você em determinadas situações, ao menos que você queira o mesmo que essa pessoa. Não há problema nenhum nisso, a partir do momento que você esteja seguro da situação que está, se isso não te causar incomodo.

Hoje em dia tenho fugido do que não é reciproco. Se eu percebo que estou fazendo mais e a outra pessoa não corresponde, eu deixo ir o que não tem as mesmas intenções que eu, respeito o desejo do outro e os meus também. Não posso esperar muito de um alguém que já deixou claro suas intenções.

Como eu disse, vivemos em momentos e pode ser que você encontre pessoas em momentos diferentes que os seus, saiba percebê-los e o momento de pular fora de uma relação step. Se valorize! Queira o que queira você também, seja na amizade ou num relacionamento amoroso. A reciprocidade nos passa mais tranquilidade e menos culpas e frustrações. Experimente!

Tão bom ser correspondido, tão bom o que é livre e leve de pressões. Natural.

Que seja reciproco! Sempre.


Daniella Lins

Amante de boas histórias, escritora por amor e professora por formação. Gosta de tocar a alma das pessoas através das expressões artísticas, principalmente por textos. Gosta de cativar e ser cativada. Autora do Blog Sem Papas na Língua. http://sempapasnnalingua.blogspot.com.br/.
Saiba como escrever na obvious.
version 16/s/recortes// @obvious //Daniella Lins