sem papas na língua

O que eu tenho pra te dizer é que...

Daniella Lins

Amante de boas histórias, escritora por amor e professora por formação. Gosta de tocar a alma das pessoas através das expressões artísticas, principalmente por textos. Gosta de cativar e ser cativada. Autora do Blog Sem Papas na Língua. http://sempapasnnalingua.blogspot.com.br/

Para de generalizar as pessoas! Você precisa sentir o TCHÃ

Não podemos generalizar situações ou pessoas, as situações são diferentes, as pessoas e os momentos também, delas e seu. Não somos os mesmos de ontem.


tumblr_m3b327byo71qgr5ofo1_1280.jpg

Tenho ouvido relatos de amigas e vivenciado também, discursos de homens cheios de carinho e atenção que duram cerca de poucos dias. Quando os caras querem alguma coisa, logo nos enchem de atenção, de palavras bonitas, de frases prontas, como: "Você é linda!" (poderia inventar outra coisa pra falar), "Gosto muito de conversar com você", "O que eu preciso fazer pra você entender que eu não sou que nem os outros?" A resposta é: Nada. Atitudes. (Na verdade nós mulheres também somos assim quando estamos interessadas num cara.)

Ai o cara consegue o que quer ou percebe que não conseguirá e mete o pé, literalmente, nem lembra que você existe. PRÓXIMA! Tem os que falam na lata o que querem (correto, parabéns! Fale a verdade.), não gostam de perder tempo com joguinhos ou saídas e etc.. E ao invés da mulher também esquecer o que passou e dizer: PRÓXIMO! Ela fica tentando entender o que aconteceu, o por quê do cara ter feito tanta mirabolância. Se apega por pouco. Ai depois de um certo tempo o que ela faz? De tanto ser "enganada", ela cria uma armadura, ultra resistente, que só os fortes conseguem burlar ou ela coloca os homens no mesmo patamar. Muito ruim isso. (PARA DE BOBEIRA!).

E sabe por quê isso é ruim? Porque os homens não te enganam, você que se permite enganar, na conversa e no tipo de tratamento que ele tem com você, já dá pra perceber as intenções dele e geralmente não dá pra perceber mesmo, tem que arriscar e confiar que certas coisas sejam verdades. Não existe receita de bolo. Outra coisa, não podemos generalizar situações ou pessoas, as situações são diferentes, as pessoas e os momentos também, delas e seu. E quanto mais você se fechar acreditando que TODOS OS HOMENS SÃO IGUAIS, TODAS AS MULHERES SÃO IGUAIS, você cada vez mais irá impedir que alguém com pensamentos próximos aos seus se aproxime ou dificilmente você reconhecerá essa pessoa. PARA DE GENERALIZAR! Ninguém é igual a ninguém.

O ser humano tem o vício de querer colocar as pessoas em certos personagens ou lugares, como: o coitadinho/a, o culpado/a e por aí vai. Não existem culpados, existem pessoas com caráter diferentes, personalidades diferentes. Há aqueles que estão no momento de "pegar sem se apegar", ("Teoria do não se apegar", repercutido por Isabella Freitas) os que estão em busca apenas de um "rala e rola" (se é que você me entende...), os que desejam compromisso sério, os que querem "curtir" alguém pra ver no que vai dar, sem a intenção de namoro, e os que caem do cavalo quando vão com uma intenção e acabam se apaixonando. RAAAAAAA hahaha'

Enfim, não fazem nada na intenção ou maldade (algumas pessoas, hein!). Ninguém é obrigado/a à permanecer conversando, saindo, se relacionando com alguém que não deseja, que não sente afinidade, o famoso "TCHÂ" (TCHÂ: sentir algo por alguém ou sentir química sem explicação nenhuma). Se você se considera inteligente, bonita/o, simpática/o, ama ler, ama conversar (sabe conversar sobre todos os assuntos), respeita as pessoas e os animais, se considera uma boa companhia e ainda assim você se questionar o por quê de determinados "alguéns" não enxergarem isso em você, a ponto de permanecer... Amore, existem muitas hipóteses: ele/ela não percebeu isso; ele/ela não procura essas qualidades em uma pessoa; ele/ela está aguardando outra pessoa ficar disponível (tadinho/a); essa pessoa ainda está indecisa (e não é você que fará ela se decidir ou esperar essa decisão dela, vá viver! Que a vida continua!); ou meu amor... essa pessoa não sente o TCHÂ por você.

Até porque pra se estar com alguém, não precisa de muitos motivos. Basta estar feliz com a presença dela, essa pessoa te oferecer um friozinho bom na barriga, te proporcionar emoções, maluquices, coisas que você nunca havia pensado antes. Se essa pessoa ainda não apareceu ou você não foi essa pessoa pra alguém ainda, tenha calma! Há sempre alguém que procura um alguém "assim ou assado". rs' Não vale a pena se desesperar. Enquanto isso aproveite a vida da melhor maneira, o amor prefere os distraídos, ele é meio metidinho, chega de fininho. Como diz minha tia: "Desencana, que a vida engana."

Você de repente sofre porque está carente, precisa de algo ou alguém que cubra essa carência, seja com pessoa ou coisas. Cuidado com a carência, hein! Reavalie sua vida, para e pensa.

Agora te digo algo primordial... Não se apegue a quem você pouco conhece. Na verdade, não se apegue a nada, nem a ninguém. E quando eu digo "apego", é no sentido dá cegueira emocional, de que você só vê os pontos tos positivos sem considerar os seus sentimentos. Deixa ir!

Comece a esvaziar as gavetas com aquelas coisas que não tem mais serventia. Não só as gavetas de madeira, mas as que existem dentro de você também. Amontoadas de neuras, medos e traumas. Não se agarre a nada, nem a ninguém. Deixe ir, o que é pra ficar, vai ficar, não precisa forçar. E não suporte e não se permita nada que não queira ou algo que você não possa aguentar. O amor é leve. Cuide de você. Troque o apego pela liberdade. E verás como é bom simplesmente viver, porque de repente, você quem cria as coisas dentro de você. Deixa rolar.




Daniella Lins

Amante de boas histórias, escritora por amor e professora por formação. Gosta de tocar a alma das pessoas através das expressões artísticas, principalmente por textos. Gosta de cativar e ser cativada. Autora do Blog Sem Papas na Língua. http://sempapasnnalingua.blogspot.com.br/.
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/recortes// @obvious //Daniella Lins