Pedro Zuccolotto

Amante da arte de fotografar, com um desejo eterno por livros, estudante de jornalismo, músico, viajante e também um simples escritor. Vivendo a vida com meu sarcasmo natural e fazendo o simples ser belo

Escuridão Total sem Estrelas (Stephen King) - Crítica e análise

Uma obra prima de Stephen King sobre a escuridão dentro de cada um de nós.


DSC_00422.jpg

Análise pré-leitura (sem spoilers)

Stephen King consagrou seu nome na história da literatura de forma definitiva, e não foi por um mero acaso. Com dezenas de obras já escritas e extremamente famosas – como Misery, It e O Iluminado – seu talento continua surpreendendo a cada lançamento. E um exemplo de lançamento é o livro Escuridão Total sem Estrelas, lançado em 2015 aqui no Brasil, que reúne de forma majestosa quatro contos com narrativas fortes e chocantes.

O primeiro, intitulado “1922”, conta a história de uma família de três pessoas – mãe, pai e filho adolescente – que vive na fazenda. Apesar de parecer uma situação normal no início, tudo desanda quando pai e filho têm de tomar uma decisão mortal: abrir mão das terras da família ou da esposa e mãe.

O segundo, nomeado “Gigante do volante”, retrata uma história que apesar de tenebrosa, pode não ser tão difícil de se ocorrer. Tudo ia bem na vida de Tess – uma famosa escritora – quando o pior acontece: ela é estuprada. Sem reação e desnorteada, Tess resolve traçar um plano de vingança, revelando um lado de si mesma que nem ela conhece.

O terceiro, que carrega o nome de “Extensão justa”, conta a história de uma situação delicada, onde um homem à beira da morte tem a chance de estender sua vida com um pacto que levará a vida de outros à ruina. Mas será que realmente vale a pena?

E por último há “Um bom casamento”, onde a esposa descobre que uma caixa guardada na garagem pode dizer mais sobre seu marido do que os vinte anos de convivência com ele.

A edição lida, da Suma de letras, além de muito bem traduzida – algo que se não for feito com maestria, pode arruinar toda a ambientação -, possuí um design incrível, pois consegue transpassar todo o clima dos textos da obra: escuridão e medo.

Por fim, Escuridão Total se mostra mais uma excelente obra de Stephen King, levando seu leitor a momentos de incômodo e de reflexão usando contos de terror simples, porém extremamente envolventes e bem escritos.

02.jpg

Análise pós-leitura

Essa análise é para as pessoas que já leram o livro. Aqui, farei algumas observações e explicarei algumas metáforas da obra. Se você não leu, recomendo que primeiro o faça, mas sinta-se livre para continuar.

É preciso ter um fato em mente ao ler uma obra de um escritor tão renomado como Stephen King: nada é colocado no livro por acaso. Cada detalhe tem sua importância, ainda mais quando é uma história relativamente curta. E são esses detalhes que dão um significado importante – e as vezes metafórico – para as histórias de Escuridão Total.

O conto “1922”, narrado pelo fazendeiro Wilfred, conta toda a situação ocorrida com sua família, e desde o momento que o crime de matar sua esposa foi cometido, há uma figura que o acompanha até o final: o rato. Apesar de ser usado pela esposa falecida como instrumento para castigar Wilfred pelo crime cometido, este animal não foi escolhido à toa. O rato representa em muitas culturas a simbologia da perda e da traição – além de ser um animal que muitos deploram -, e essa representação é carregada até hoje na nossa cultura. Há, por exemplo, na cena final do filme O Infiltrado, um rato, simbolizando as traições durante o filme. Na cultura indiana, o rato é visto como a simbologia dos desejos, porém se não são controlados, nos tornamos egoístas, trazendo muitas vezes dor e sofrimento. Na cultura cigana, ele representa os desgastes e perdas. No livro, os ratos perseguem Wilfred até o fim, representando a culpa na sua consciência – pela morte da esposa e do filho – que em nenhum momento o abandona. Os ratos no fim do livro matam o fazendeiro, roendo-o até a morte sem misericórdia, mostrando não só que o filho e a esposa não o perdoaram, como também que ele mesmo não se perdoou ou aceitou o que ele fez. A culpa consumiu seu ser até o último instante, porém, já era tarde demais para desfazer seus erros.

countryside-918722_12802.jpg

“Gigante no volante” passa uma mensagem ao fundo que é extremamente assustadora por poder se encaixar na vida de qualquer pessoa. Tess se transforma completamente após o ocorrido, se transformando gradativamente de uma simples escritora para uma pessoa vingativa que vai atrás de tudo para poder apagar a existência de todos os envolvidos no estupro. Creio que a mensagem nisso tudo seja expor o monstro que existe dentro de cada pessoa. E o mais assustador, isso mostra como a linha que separa a bondade e a maldade dentro de cada um é tênue.

“Extensão justa” conta o que, no fundo, todos que estão à beira da morte desejam: mais tempo. Contudo, o conto passa uma lição de moral quando mostra o quanto as pessoas estão dispostas a sacrificar para obter isso, e o terror neste conto se encontra justamente nesse fator da história, pois Dave sacrifica não a sua vida, mas sim a de outras pessoas. Ele tem na mão a escolha, e movido pelo egoísmo e pela raiva, arruína a vida de uma família inteira para poder viver mais. No fim, Dave avista Vênus no céu, e diz para sua esposa fazer um pedido. Ela diz que já tem tudo o que quer, e Dave diz que também já tem tudo, porém, como consta no livro, ele afirma isso “pedindo mais”. O conto acaba aí, porém ele mesmo disse antes que “as coisas costumam se equilibrar no final”. Acredito que a magia dessa história se deva ao fato de tudo ficar suspenso no ar e assim transmitir essa filosofia. Afinal, vale a pena passar por tudo o que ele passou? Vale a pena conviver com a culpa?

E por fim, “Um bom casamento” passa uma mensagem semelhante à de “Gigante no volante”. Movida por circunstancias extremas, Darcy se transforma para colocar um fim em seu marido. Mas o que chama mais a atenção nessa situação é o fato de que, não importa quanto tempo você conviva com a pessoa, nunca será possível conhece-la totalmente.

No fim, Escuridão Total sem Estrelas conta histórias que são assustadoras não apenas pelo seu enredo de terror, mas também por apresentarem a possibilidade de se encaixar no cotidiano de alguém facilmente – afinal, que nunca se culpou, ou agiu de forma egoísta, ou mudou de forma extrema em situações difíceis? O que importa no fim de tudo, é você permanecer você mesmo, e não deixar que sentimentos ruins tomem conta do seu ser a ponto de mudar completamente a pessoa que você se tornou.

Trechos que valem a pena serem citados:

“ Tudo sempre pode piorar. ”

“ O novo sempre se desgasta, e geralmente não demora muito. ”

“ Dinheiro demais é uma tentação constante. “

“ Esperar que um adolescente veja a luz da razão é como fazer uma aposta arriscada em uma corrida de cavalos. “

“ Às vezes a fruta amadurece cedo demais, e uma geada a mata. “

“ No fim, somos todos pegos por nossas próprias armadilhas. “

” O veneno se espalha como tinta na água. “

“ ...e então começou a rir. Às vezes é tudo o que se pode fazer. “

“ Às vezes é melhor não deixar que certas coisas façam, parte de nossa vida. “

“ Quando você se arrisca, é forçado a supor uma coisa ou outra. “

“ É impressionante como a vida, algumas vezes, imita a arte. E quanto mais crua a arte, mais parecida fica a imitação. “

“ Todo mundo odeia alguém em algum momento. “

“ Nós nunca deixamos de querer aquilo que queremos, não importa se nos fará bem ou não. “

“ Merdas acontecem, e às vezes milagres também. “

“ Há uma primeira vez para tudo. “

“ O pensamento se partiu como um galho seco. “

“ E quando certas ideias entram na cabeça, é difícil tirá-las. “

“ Quando já se experimentou a coisa real, a fantasia não serve pra nada. “

“ Velhos hábitos custam a morrer. Na maioria das vezes, pensou ela, não morrem até nós morrermos. “

“ Você precisa sair antes que crie raízes. “

“ Sim, ganhei um bom dinheiro escrevendo minhas histórias, mas o dinheiro foi uma consequência, nunca o objetivo. “

“ É impossível conhecer alguém completamente, até mesmo aqueles que mais amamos. “

DSCF2942_bw2.jpg

Quer ver uma análise como essa sobre algum livro que você gosta ou quer conhecer mais? Coloque nos comentários!


Pedro Zuccolotto

Amante da arte de fotografar, com um desejo eterno por livros, estudante de jornalismo, músico, viajante e também um simples escritor. Vivendo a vida com meu sarcasmo natural e fazendo o simples ser belo.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// @obvious, @obvioushp //Pedro Zuccolotto