Pedro Zuccolotto

Amante da arte de fotografar, com um desejo eterno por livros, estudante de jornalismo, músico, viajante e também um simples escritor. Vivendo a vida com meu sarcasmo natural e fazendo o simples ser belo

Cowboy Bebop

Se eu pudesse te recomendar apenas dois animes, esse seria um.


HwArtdR3mQc.market_maxres.jpg

Atenção: texto completamente livre de spoilers.

Me considero um novo explorador no vasto universo dos animes. Nunca fui uma pessoa com muita paciência para séries, que geralmente têm vários episódios de quase uma hora. Eu tinha, de certa forma, um preconceito com esse tipo de mídia — afinal, para mim anime se resumia a Naruto ou outras coisas que eu considerava “bobas”. Até que, em um belo dia, uma grande amiga minha me indicou Fullmetal Alchemist Brotherhood — meu xodó dos animes— e eu resolvi dar uma chance. Assisti tudo, demorando, claro, e percebi o quanto eu gosto desse tipo de mídia. Comecei então a assistir outros animes como One Punch Man, Attack on Titan, Serial Experiments Lain — alguns inclusive indicação dessa mesma amiga. Contudo, nunca cheguei a sentir tanta necessidade de escrever quanto tive ao terminar de assistir Cowboy Bebop.

vlcsnap-2017-03-05-19h22m42s891.png

Contexto

O anime foi criado em 1998 e a história se passa no ano de 2071, uma época em que naves e viagens interplanetárias são normais. Com o desenvolvimento tecnológico cada vez maior, a humanidade passou a colonizar outros planetas e luas do sistema solar. A sociedade teve que se adaptar a isso, levando à criação de novas leis e mudando seu estilo de vida. Devido ao aumento estrondoso da criminalidade em vários lugares e à criação de máfias, o Sistema Inter-Solar de Polícia (ISSP), responsável por todos os planetas, autorizou a criação de um sistema de caçadores de recompensas — referidos popularmente como Cowboys.

O arco principal da trama acompanha a vida de Spike Spiegel e Jet Black, ambos com passados bem diferentes e que agora são caçadores de recompensas, vivendo em sua humilde nave chamada Bebop com o dinheiro ganho por capturar bandidos. Posteriormente, ao longo dos episódios, Faye Valentine, Edward Wong e Ein — um corgi — se juntam à tripulação e participam de suas caçadas mirabolantes.

25876f5805d4b2b8776e4fdf265480e4.jpgDa esquerda para a direita: Spike, Jet, Faye, Ed e Ein.

Por que tão especial?

O primeiro aspecto que me chamou a atenção logo de cara, quando comecei a assistir, foi a trilha sonora. As músicas de muitos animes passam despercebidas por seguirem um certo “padrão” ou por simplesmente não marcarem — claro que há exceções como Fullmetal Alchemist, por exemplo. Cowboy Bebop vai na contra-mão e foca toda a sua trilha sonora no jazz, blues e eventualmente rock — com direito a gaita, violão com slide e outros instrumentos menos comuns. Veja abaixo a abertura do anime, de cerca de 1 minuto e meio.

Música de abertura: Tank! — The Seatbelts

Já encantado pela música, comecei a assistir os episódios e prosseguir pela trama. Apesar da sinopse da história parecer simples — procure isso no Google e você obterá “caçadores de recompensas procuram por criminosos” — ela é extremamente desenvolvida. Os personagens — tanto os protagonistas como os antagonistas de grandes e pequenos arcos — transpassam emoções fortes, com histórias impactantes e que marcam. Os bandidos caçados por eles não são criminosos simplesmente porque é divertido, há uma explicação, uma história profunda por trás disso. O jogo de câmeras bem feito também é um ponto extremamente positivo. Somado a tudo isso, também há o mistério envolvendo os protagonistas, pois além do que foi descrito no começo do texto, o telespectador não sabe nada sobre o passado dos personagens, que eventualmente vem à tona, criando assim um gancho para o próximo episódio.

O filme

386full-cowboy-bebop--knockin'-on-heaven's-door-poster.jpg

Há também um filme do anime, que se passa entre os episódios finais da série original. Lançado em 2001 e com duas horas de duração, o filme conta como os tripulantes do Bebop ajudam a capturar um bio-terrorista que planeja acabar com Marte usando um vírus mortal.

O filme é como um episódio da série, com o mesmo ritmo da série, porém mais longo, com músicas novas e uma qualidade gráfica melhorada. Para quem viu a série e gostou, é um prato cheio para se deliciar.

Veredito

Como disse no começo, eu nunca tive paciência para assistir séries longas com episódios grandes. O anime, entretanto, mesmo tendo 26 episódios com cerca de 20 minutos cada, não é algo cansativo, massante, mas também não é algo bobo, superficial.

Por fim, se você quer assistir um anime de qualidade, com uma trilha sonora impecável, uma história envolvente e bem desenvolvida e com um final que surpreendentemente consegue encerrar tudo com chave de ouro, assista Cowboy Bebop o quanto antes.

“Ah, mas eu nunca assisti anime!” então nada melhor do que sua porta de entrada ser um dos animes mais aclamados da história. Dê uma chance, eu prometo que você não irá se arrepender.

SEE YOU SPACE COWBOY …

vlcsnap-2017-03-05-18h21m03s626.png


Pedro Zuccolotto

Amante da arte de fotografar, com um desejo eterno por livros, estudante de jornalismo, músico, viajante e também um simples escritor. Vivendo a vida com meu sarcasmo natural e fazendo o simples ser belo.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Pedro Zuccolotto
Site Meter