somos todos aprendizes

Compartilhando impressões

Lígia Bernar

Acredito que somos todos aprendizes e capazes de fazermos o que quisermos. Só não podemos ficar paradas (os). É preciso estar atenta (o), forte e agir! Quem me acompanha?

E se pudéssemos editar as nossas vidas como editamos as nossas publicações no Facebook

Se esse botão de “editar” em nossas vidas existisse mesmo, mudaríamos os nossos caminhos? Seríamos as mesmas pessoas que somos hoje? As nossas trajetórias seguiriam, quais caminhos? Estaríamos morando, em qual cidade? Estaríamos solteiras (os)? Estaríamos casadas (os)?


aryannealmeida-4.jpg Foto: Aryanne Almeida

Quem nunca se arrependeu do que falou para alguém ou do que poderia ter feito ou dito em alguma ocasião? Às vezes, as nossas reações a determinadas ações são bem diferentes de como gostaríamos que fossem. Já perdi as contas de quantas vezes, contei para alguma amiga exatamente o que queria dizer para uma pessoa específica, mas na hora mesmo em que tive a oportunidade de poder dizer tudo o que eu queria, não consegui. E a menina “frustração” se instala em todo o meu ser. E demora muito tempo para ir embora.

Imaginem só vocês, e se fosse possível voltar no tempo, falar/agir da forma como genuinamente gostaríamos? Como se em nossa vida existisse a ferramenta de editar do Facebook. Eu sei, bem direitinho, exatamente os momentos que gostaria de poder voltar no passado e editar. O que vocês fariam, se tivessem a oportunidade de editar algum momento da vida de vocês?

Se esse botão de “editar” em nossas vidas existisse mesmo, mudaríamos os nossos caminhos? Seríamos as mesmas pessoas que somos hoje? As nossas trajetórias seguiriam, quais caminhos? Estaríamos morando, em qual cidade? Estaríamos solteiras (os)? Estaríamos casadas (os)? Etc, etc.

Editar a vida é ter um controle exagerado sobre tudo. É criar uma representação de si mesmo, que pode ser, sim, como somos realmente. Ou poderia ser como gostaríamos de “apare(ser)”.

Se pudéssemos editar as nossas vidas, a espontaneidade e as surpresas que vamos descobrindo ao longo de nossas existências não ocorreriam, não cometeríamos erros, deixaríamos de conhecer pessoas interessantes e até mesmo, as pessoas desnecessárias, que nos ensinam tanto quanto as incríveis. Aprendemos com as desnecessárias a sermos o contrário delas.

Se editássemos as nossas vidas, estaríamos escondendo os problemas e evitando nos magoar. Precisamos da mágoa para crescer, nos tornar homens e mulheres, de verdade. Quando utilizo o termo “de verdade”, quero dizer que precisamos aprender a conviver com todo o pacote que viemos de fábrica: todos os nossos traumas, fraquezas, defeitos e limitações. Pessoas de verdade não tem tempo de editar quem são. São o que são. Falam o que falam. Mesmo que depois, essas ações sejam sucedidas de um pedido de desculpas.

Se pudéssemos editar as nossas vidas, ficaríamos todos loucos. Conhecendo o ser humano, como conheço, ninguém ficaria satisfeito com as suas ações. Viveríamos situações em looping. O tempo inteiro. E no final, não viveríamos a vida como ela precisa ser vivida: sem edições e complicações.


Lígia Bernar

Acredito que somos todos aprendizes e capazes de fazermos o que quisermos. Só não podemos ficar paradas (os). É preciso estar atenta (o), forte e agir! Quem me acompanha?.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @obvious //Lígia Bernar