sphere

um olhar mais demorado

A Herança de Charles Dickens

Com uma propriedade literária admirável e uma forma narrativa inteligente e bem humorada, suas personagens eram a voz do povo e, por isso, o povo o levou ao status de um dos melhores e mais respeitados literatos de todos os tempos.


cd1.jpg

Não é preciso ser leitor de Dickens para conhecê-lo. É preciso ser leitor de Dickens se você gostar de boa literatura, simples assim. Mas, com absoluta certeza, você que nunca leu Dickens, o conhece. Um dos mais célebres autores britânicos - só perde para Shakespeare em número de obras reproduzidas no teatro, no cinema e na televisão - construiu seu nome escrevendo sobre a sociedade britânica da era vitoriana, o que resultou num dos mais extraordinários acervos literários de todos os tempos. Claro que eu acho isso, eu acho sua escrita plausível o suficiente para usar a palavra "extraordinária". O fato é que Dickens era realmente bom com as palavras. E, além de seu talento com a pena, revolucionou a literatura, introduzindo a crítica social no estilo. Por isso, Charles Dickens jamais foi esquecido, pois é atual ainda hoje.

Charles_Dickens_1850.jpg

Dickens era um jovem que enxergava o mundo em palavras, ansioso em expressar seus pontos de vista acerca da realidade ao seu redor. E aos 23 anos o fez. Escreveu e criticou com maestria, ao introduzir à sua prosa, o humor - refinado, sarcástico, mas temperado. Sabia que assim conseguiria atenção.
Começou sua carreira como jornalista e criava sketches sociais, retratando a sociedade da época, ainda com o pseudônimo "Boz". Pouco tempo depois escreveu a hilária série "The Posthumous Papers of the Pickwick Club" (1836), um grande sucesso na época pelo seu viés cômico, mas ainda muito discreto no que se refere a sua mais intensa característica, a crítica social.

cd3.jpg

Seu primeiro forte ataque contra a sociedade da era vitoriana foi com sua novela "Oliver Twist", em 1838. O romance foi publicado semanalmente por meio de folhetins. O modelo de publicação caiu no gosto do povo que ficava ansioso pelo desfecho da estória. E, assim, aconteceu com várias de suas obras.
Nos anos que seguiram, o jovem Dickens produziu feito uma máquina. Vieram, então, "Nicholas Nickleby" (1839) e "Old Curiosity Shop" (1841). Em 1943 publicou o célebre: "A Christmas Carol" - uma das obras mais traduzidas e adaptadas ao redor do mundo, fazendo de Ebenezer Scrooge a mais famosa personagem do Natal. A temática natalina rendeu, ainda, mais cinco livros do autor. Em 1848 publicou "Dombey and Son", dando ênfase à Revolução Industrial que abocanhava a sociedade e os costumes vitorianos.
Seu mais famoso romance veio em seguida, em 1949, "David Copperfield". Um obra autobiográfica, inspirada nas cenas, lembranças, ideais e esperanças do próprio Dickens. E vieram logo "Bleak House" (1852) e "Hard Times: For These Times" (1853).

Dickens_by_Watkins_detail.jpg

Apesar de nunca cair no desgosto do público, que o lia com voracidade e grande expectativa, por causa de sua escrita carismática, a partir de 1854 os romances de Dickens ganharam nova força com dois grandes sucessos "Little Dorrit" (1856) - recentemente adaptada em seriado pela britânica BBC e "A Tale of Two Cities" (1859) - se passa no período da revolução francesa, desde então é um dos livros mais vendidos ao redor do mundo. Em 1860 sua carreira tem um novo, e último, auge com o épico "Great Expectations" - também ocupa o posto de uma das obras mais adaptadas da história. Depois vieram "Our Mutual Friend" (1865) e "The Mystery of Edwin Drood" (1870) - incompleto por causa de sua morte no mesmo ano. Foi sepultado no "Poets' Corner", na Abadia de Westminster.

cd8.jpg
Casa onde passou metade de sua vida e morreu, no condado de Kent, Inglaterra.

Embora suas estórias sempre acabem por um viés otimista e ideal, Dickens retratava o problema, sua pena manchava o cerimonioso sistema britânico, sua pena feria a política, a sociedade, a burguesia e incomodava muitos dos ímpetos humanos, ultrapassando, assim, a crítica social e culminando numa literatura reflexiva, numa forma de escrita das mais sofisticadas e acessíveis já conferidas até hoje.

Em 2012 se comemora o 200° aniversário de Charles Dickens.

cd5.jpg
Nova moeda criada no Reino Unido para comemorar o 200 º aniversário de seu nascimento (7 fevereiro de 1812). Na face, a cabeça da Rainha, à direita, e no reverso a imagem de Charles Dickens, feita a partir de alguns dos títulos de seus romances mais famosos.


Um dos mais famosos lugares dedicados ao artista, aqui.


rejane borges

Gosta das cores de folhas secas ao chão. E das cores das folhas velhas dos livros..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// @obvious, @obvioushp //rejane borges