sphere

um olhar mais demorado

Literatura de Cordel

O nome deu-se em conta da corda delgada, espécie de barbante, ou cordão que amarrava e dependurava os pequenos livretos de prosa e poesia. Transformou-se na expressão artística literária da cultura popular, principalmente, na região nordeste do Brasil.


Um gênero literário de instrumental típico, onde os versos escritos na forma rimada, de origem em relatos orais e declamações do improviso passaram a ser produzidos e impressos.

No cordel é comum encontrar traços significativos da cultura portuguesa, e seus autores são os trovadores que declamam poesias cantadas, utilizando-se de recursos percussivos - pandeiro, viola, triângulo.

Um estilo de literatura que também foi expressivo para as culturas francesa, espanhola e portuguesa, por seus artistas populares que se apresentavam em praças públicas, uma herança do movimento literário "trovadorismo".

Em exposição amarrados em cordões, em Portugal, passou-se a utilizar o nome "cordéis" para designá-los.

No Brasil, a produção poética é popular, dentro deste gênero, cuja forma mais frequente de apresentação é redondilha maior, (o verso de sete sílabas poéticas). A estrofe mais comum é a de seis versos, chamada sextilha é impressa e divulgada em folhetos ilustrados, usualmente com xilogravuras - gravuras talhadas em madeira para posterior reprodução e gravação em papel, em prensa tipográfica ou manual. Também são utilizadas imagens zincografadas - quando a transferência à superfície de uma lâmina de zinco, especialmente preparada, para impressão, por meio de fotogravura e gravação com ácido.


Para informações gerais e complementares sugerimos acessar o site da Academia Brasileira de Literatura de Cordel


luhana pires

arrisca-se na autoria de textos e excertos poéticos, movida por uma espécie de paixão pelas palavras..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious, @obvioushp //luhana pires