sphere

um olhar mais demorado

Sobre a felicidade

“A questão da poesia da vida é mais importante do que a da felicidade.”


a-edgard-morin132_thumbnail.jpg

Quantos de nós já nos perguntamos o que é a felicidade e como alcançá-la? Há milhares de pensamentos e teorias a respeito. Alguns mais particulares que outros, mas seja nos livros ou na boca dos boêmios - que recitam a busca da felicidade em notas etílicas - a questão é algo que atormenta a mente e o coração humano há séculos.

15072009204915125961484.jpg

O que é a felicidade? Uma busca, uma jornada? O agora, o futuro, o que já foi? Os momentos, as histórias, a capacidade de sonhar? São lembranças? É prosa? É poesia?

edgar_morin.jpg

O filósofo francês Edgar Morin nos auxilia nesta reflexão, comentando sobre o quão frágil e complexa é a felicidade. Para ele, esta busca contínua é impossível, pois a felicidade depende de uma multiplicidade de condições. O que devemos fazer é favorecer os elementos que permitam uma vida poética, buscando o que nos faz florescer, o que nos faz amar e nos comunicar.

"O verdadeiro problema não é a felicidade - é a questão que faço a mim, porque a felicidade é algo que depende de uma multiplicidade de condições. Eu diria que que o que causa a felicidade é frágil. Por exemplo, se uma pessoa que amamos morre ou vai embora, cai-se da felicidade à infelicidade. Em outras palavras, não se pode sonhar com uma felicidade contínua para a humanidade."

Morin possui currículo e diplomas em incontáveis áreas. Sociólogo, antropólogo, historiador e filósofo, ele é doutor honoris causa em 17 universidades, sendo um dos últimos grandes intelectuais da época de ouro do pensamento francês do século XX. Autor de mais de 60 livros sobre temas que vão do cinema à filosofia, da política à psicologia, e da etnologia à educação, ficou mundialmente conhecido por sua defesa do pensamento complexo.

download.jpg


rejane borges

Gosta das cores de folhas secas ao chão. E das cores das folhas velhas dos livros..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/literatura// @obvious, @obvioushp //rejane borges