sphere

um olhar mais demorado

Mentiras que alimentam nossos Gremlins

A mentira está a serviço de algum proveito pessoal e mentir não faz de você uma pessoa má. Mas, uma das mentiras que precisamos parar de contar a todo momento, diante da análise da própria vida: projetos, anseios, sonhos e desejos, explicando vitórias e fracassos é a clássica: "não tive escolha".


Procuramos proteção em algumas desculpas corriqueiras, mecanismos de defesa para situações de exposição social e para evitarmos os julgamentos. Somos convenientes, buscando o convencimento do público alvo e culpamos o engarrafamento como pretexto para um atraso. Somos humanos e os humanos mentem.
Não devemos exagerar, nem entrar no ciclo vicioso do "mentir para si".
A mentira está a serviço de algum proveito pessoal e mentir não faz de você uma pessoa má. Mas, uma das mentiras que precisamos parar de contar a todo momento, diante da análise da própria vida: projetos, anseios, sonhos e desejos, explicando vitórias e fracassos é a clássica: "não tive escolha".


E reagir ao instinto primário das mentirinhas que acabam por exercer uma sabotagem personalíssima sobre o "eu".

Mentiras que contamos a nós mesmos para nos fazer dormir:

1 O tempo não é suficiente
Desta forma, o que fazer? Mudar para outro planeta, onde o dia dure mais que 24 horas?Sem definição clara para as prioridades, todas as etapas não iniciadas, ou projetos inacabados, incompletos, perdem-se neste tópico. Um curso de idiomas, a academia, ler um livro. Elegemos a falta de tempo como desculpa universal.

2 Precisar de mais dinheiro
O dinheiro é um grande facilitador, mas não é o único início para os pequenos passos, que levam a outros na construção de uma trajetória. Existem muitas coisas que podem ser feitas sem patrocínio financeiro, outros catalizadores sociais podem ser acionados (amizades, voluntariado, network). O mundo se move, mesmo sem dinheiro.

3 Aguardando a chuva ou o Sol - Se isso acontecer... se aquilo acontecer...
Quando o principal requisito é justamente aquilo que está faltando. Fica estabelecida a armadilha do "se", um evento especial que não é inteiramente sabido, ou completamente entendido. Sem a precisão de onde, como, quando ocorrerá e se ocorrerá. É uma forma de amarrar as próprias mãos (mente), na tomada de decisões e soluções.

4 Não sei fazer diferente - síndrome da Gabriela
Negar outro resultado antes de tentar alguma alternativa ao que é usual, habitual e comum pela prática e rotina. Reconhecer-se incapaz de mudar, mesmo sem ter tido a experiência. É uma maneira de não arriscar e, assim, não perder. Paralisar.
A Gabriela é uma personagem do romance "Gabriela, cravo e canela", do escritor Jorge Amado, que teve seu perfil biográfico traduzido na canção composta por Dorival Caymmi - Modinha para Gabriela: "Eu nasci assim, eu cresci assim / E sou mesmo assim, vou ser sempre assim / Gabriela, sempre Gabriela".

Nota de contextualização cinematográfica:
Gremlins - O pequeno monstro (PT) - um filme de 1984 - que mostrava a transformação de um bichinho fofinho em criaturas descontroladas e aterrorizantes. Uma das maneiras de se obter este desastre era alimentando-o depois da meia-noite.
Não alimentar estas pequenas mentiras pode ajudar a erradicar alguns gremlins que nos impedem de pensar e arriscar coisas diferentes.


luhana pires

arrisca-se na autoria de textos e excertos poéticos, movida por uma espécie de paixão pelas palavras..
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/recortes// @obvious, @obvioushp //luhana pires