sphere

um olhar mais demorado

As consequências da atividade física em excesso

Exercícios físicos são ótimos para que levemos uma vida mais saudável. Mas, é preciso prestar atenção no grau de intensidade que fazemos esses exercícios. A atividade física excessiva pode ser traumatizante para o organismo, deixando diversos efeitos colaterais que agridem o corpo, se não respeitado o próprio limite.


Hoje, todos queremos ser saudáveis e levar uma vida ativa. É o que aprendemos e é como melhor conseguimos cuidar de nossa mente e corpo. Um estilo de vida que compreende não somente exercícios físicos mas, também, alimentação saudável e nutrição adequada é essencial uma vez que, dificilmente em nossa vida diária, alcançamos os valores nutricionais recomendados para que nosso organismo funcione a pleno potencial...



Ser sedentário traz inúmeras consequências para nosso corpo e saúde. A falta de atividade física pode gerar complicações no dia-a-dia, impedindo que façamos as mais simples coisas. A fatiga, dores musculares, falta de energia e doenças graves podem ser resultados da falta de exercícios. Por isso, um dia-a-dia ativo, que se encaixe atividades físicas, é a melhor pedida para viver bem.

E aí, somos divididos em dois grupos: aqueles que praticam atividade física de maneira moderada e, até mesmo, menos frequente, e aqueles que a praticam todos os dias, num nível relativamente intenso, como os atletas, por exemplo. Que queimam muita energia e, por isso, precisam de suplementos alimentares para continuarem saudáveis. Aqui, vamos falar deste segundo grupo, que - mesmo sendo considerados ultra saudáveis - o que nem sempre é o caso, estão mais suscetíveis aos problemas que o excesso de exercícios físicos acarreta.

As pessoas que se exercitam demasiadamente apresentam, também, complicações na saúde - tanto quanto ou mais severas do que aquelas que não se exercitam com tanta frequeência - e é preciso tomar cuidado e usar o bom senso para que não se caia no overtraining, sobrecarregando o corpo com uma atividade física muito intensa. Muitas pessoas não reconhecem os sintomas do overtraining e expõe o próprio organismo a um treino excessivo, ultrapassando a capacidade do corpo de aguentar o impacto físico. Este comportamento agride a saúde, desencadeando stress físico como cãibras e dores musculares frequentes, aceleramento cardíaco, espasmos, tonturas, dores de garganta, exaustão, problemas digestivos, nutrição deficiente, etc.
É importante frisar que os sintomas físicos ocorrem durante o repouso, o que é um sinal de que algo em seu corpo não está bem. Isto para não falar dos resultados emocionais deste stresse como, por exemplo, irritabilidade, depressão, insônia, alterações de apetite, ineficiência em outras atividades, pessimismo, falta de concentração, ansiedade, melancolia, etc.

Os sintomas de overtraining, no entanto, são difíceis de serem diagnosticados e, por não perceberem que estão agredindo ao próprio corpo, as pessoas continuam treinando demais. Além disso, quando as pessoas sentem-se extremamente fatigadas, fazem o caminho mais perigoso: aumentam a exposição aos exercícios físicos, achando que isso irá ajudá-las, mas o que fazem é apenas induzir mais estresse ao organismo.

Uma explicação dos profissionais da area em relação ao motivo de algumas pessoas que estão treinando em excesso não sentir que estão sobrecarregando o próprio corpo é de que, durante o esforço físico, as endorfinas produzidas superam o limite dos receptores, inibindo a percepção de dor. Apenas quando os níveis baixam, em repouso, é que sentimos os sinais da agressão para além da nossa resistência.

No entanto, se você pratica exercícios físicos constantemente, ou se você é atleta e respondeu "sim" à maioria dos sintomas físicos e/ou emocionais, procure um médico, pois pode ser um sinal de que você está prejudicando seu corpo ao invés de melhorar sua performance. O excesso de exercícios físicos também resultam em acúmulo de radicais livres, o que causa lesão do tecido muscular.

O diagnóstico de overtraining, ou over-reaching, não é fácil nem imediato já que não existem padrões de referência ou análises consensuais. Mas, os especialistas listam alguns parâmetros analíticos mais técnicos para quem pratica o overtraining:

- Rácio testosterona livre/cortisol
- DHEA/cortisol
- Diminuição da excreção urinária de catecolaminas overnight
- Sensibilidade dos receptores de serotonina
- Diminuição do rácio Gln/Glu (glutamina/glutamato) no plasma
- Redução da hemoglobina e hematócrito, decorrente das alterações hormonais
- Diminuição da T3L

Lembre-se sempre de procurar seu médico antes de começar qualquer tipo de treinamento. E para aqueles que querem se manter saudáveis, atenção à maneira correta de se alimentar. Durante uma sessão de atividade física, seja ela qual for, o corpo gasta energia que precisa ser recomposta saudavelmente, pois sem um suporte nutricional adequado o corpo começa a perder musculatura e não gordura, o que, eventualmente, criará mais problemas para a saúde o para o funcionamneto do organismo como um todo. O uso de suplementos podem ser necessários para ajudar o corpo a queimar apenas o necessário, sem afetar a musculatura.




version 16/s/lifestyle// @obvious, @obvioushp //Frederico Albuquerque
Site Meter