subliterato

Por mais sensibilidade.

Raul Trindade

Estudante de direito. Amante da filosofia. Ótimo leitor, péssimo escritor. Procura desconceitualizar todos seus preconceitos.

namore uma arquiteta

Namore, viva, conviva, conheça, uma arquiteta(o) ou estudante de arquitetura. O ideal é que essa pessoa ame o que faça. Sim, eu sei, o título é muito incisivo, mas é só uma sugestão, fique tranquilo. A realidade, é que após você passar por esta experiência, você descobrirá do que são feitas as estruturas dos prédios, e dos seus sentimentos.


namorearq1.jpg

Sou daqueles que não sabia o que era o pé direito de uma casa. Ainda não descobri, que diferença prática faz, uma construção ser face Sul ou face Norte. Demorei para aprender que assoalho e piso de madeira são coisas incrivelmente diferentes, e para aceitar, que uma planta ou um projeto, são infinitamente mais complexos do que eu imaginava. Compreendi que, ao lado de uma arquiteta, aquele comentário 'nossa que prédio bonito' que você faz passeando pela rua, sempre vem acompanhado de um jargão ou terminologia que só eles entendem, e isso, dá uma beleza especial nas construções de nossas vidas.

É inevitável não se surpreender, com a sensibilidade de quem estuda o que ama, um passeio na Paulista ou uma visita a um decorado, pode ser algo mágico! São coisas tão comuns, concreto e aço, mas com aquele olhar treinado e atendo, começam a fazer um derradeiro sentido, um sentido novo, um ponto de vista específico, e você acaba se sentindo bastante ignorante, mas no bom sentido, no sentido de que somos infinitamente inferiores diante de uma grande cidade, te forçando a aceitar o poder que as construções exercem sobre nós, o tempo todo, e isso pode trazer um resquício de humildade, neste ser tão exaltado, que é o ser humano.

namorearq2.jpg

Receber panfletos de venda de apartamento no farol, não será mais massacre, afinal, você tem alguém ali, que abrirá com brilho nos olhos aquela planta impressa, e te explicará se o AP é bem dividido, ou, que estilo de sacada ele tem! Lhe ensinado o que significa aqueles traços transversais no móvel, e os números minúsculos no canto das paredes. Claro, sem perder a oportunidade de fazer alguma crítica àquele modelo de planta, afinal, se o projeto tirasse a parede X e diminuísse em 1m a divisória Y, daria maior mobilidade aos visitantes. Você ouve com atenção, sabendo que tudo aquilo não faz muito sentido pra você, e tendo certeza que essa picuinha toda e só charme, e é esse charme que a gente se encanta.

Como é engraçado revisitar uma praça arborizada da cidade, só para ouvir os comentários de como aquelas árvores estão plantadas, ou, se uma construção inteira teve que ser feita em volta, pois as árvores são protegidas por alguma Lei Ambiental e não podem ser desmatadas. Ver a descrição de como aquele jardim vertical foi feito, quanto tempo levou para preencher aquele edifício de concreto cru, e como o arquiteto que projetou teve que se desdobrar para que houvesse uma boa isolamento térmico num local onde bate muito Sol. São pequenos detalhes, que fazem toda a diferença.

namorearq3.jpg

O melhor de tudo é que você pode perguntar muita coisa que tem vergonha de perguntar para pessoas não arquitetas, por achar que elas já sabem, como por exemplo, a diferença entre folhas A4 e A3, como se faz o assentamento de um piso, porque os túneis são circulares, ou como que o MASP fica suspenso daquela forma.

Se você ficar entediado, ainda pode iniciar uma discussão que tira qualquer arquiteta dos eixos, é muito simples, compare Arquitetura com Engenharia Civil e se prepare para dormir no sofá. É tão engraçado quanto perigoso, no final das contas, se tudo der certo, e você for bem perspicaz, você conseguirá se reaproximar devagar, lhe dar um abraço, e receber um beijo desdenhoso, com um olhar meio furioso.

É com tanto carinho que você aprende todas estas coisas, que acaba concluindo no final, que arquitetura é mais que construção civil, ou coisa parecida, é muito mais que plantas, e folhas A0, vai além do Autocad e Revit, além de projetos para conclusão de curso, ou visitas à museus, exposições e parques, arquitetura é arte. E namorar uma arquiteta, é namorar uma artista. E os artistas, possuem sempre, um olhar mais atento, a tudo que os cerca. E é este tipo de pessoa, que deixa, uma estrutura inteira de saudades.

namorearq4.JPG


Raul Trindade

Estudante de direito. Amante da filosofia. Ótimo leitor, péssimo escritor. Procura desconceitualizar todos seus preconceitos..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Raul Trindade