tagarelicious

Escrever, pensar, falar e tagarelar sobre muitos assuntos é preciso

Taís Kerche

Viciada em ver, interpretar, analisar e tagarelar sobre qualquer manifestação artística, cultural e social. Tagarelar e vivenciar é preciso!

Eu corrompo, tu corrompes, ele corrompe, NÓS corrompemos. Imagine ELES!!

As leis são claras, as regras são definidas, mas se houver uma forma de economizar ou ganhar um dinheirinho extra burlando todas elas, nós damos um jeitinho e levamos vantagem. Não é só em Brasília.


corrupção.jpg

A lei é clara, é terminantemente proibido vender balas dentro do ônibus, a não ser que o vendedor agracie o motorista e o cobrador com um pouquinho de açúcar e afeto.

E por falar em motorista, pensamos em carteira de habilitação. O futuro condutor, seja de moto, carro, ônibus ou caminhão, precisa passar por uns testes ou não. Para se livrar, basta fazer feliz a conta bancária do instrutor e avaliador. Este mesmo instrutor dá o seu jeitinho quando leva uma multa decorrente de uma infração de trânsito, é só engordar o cafezinho de um fiscal ou policial qualquer.

O fiscal, sabendo que pode pagar metade do valor no cinema, não pensa duas vezes e falsifica a famosa carteirinha de estudante.

Já o verdadeiro estudante, não pensa duas vezes em colocar a avó para comprar ingressos na fila preferencial do show mais concorrido da temporada, só pra garantir. A mesma avó que já embolsou uns troquinhos quando ainda trabalhava e pegava um táxi a serviço da empresa e pedia ao gentil taxista para colocar uns reais extras no recibo.

Esse tão gentil taxista, com pompa de esperto, vira e mexe fica se gabando com os colegas por ter conseguido agilizar o processo de licença na prefeitura para colocar seu lindo táxi para rodar, colaborando financeiramente com um colega que tem um amigo que por coincidência e com a graça divina, trabalha na prefeitura.

O amigo, quando chega em casa, assiste aos canais por assinatura que, vejam só, não assinou, mas que puxou de um fio que estava passando perto da janela da sala. Ele aprendeu a fazer o 'gato' com um outro colega, que até assina o pacote básico da TV a cabo, mas tem aquele super aparelhinho que abre todos os canais, até o Telecine.

Os técnicos da TV a cabo, que instalaram o serviço, para fazer gentilezas um ao outro, em algum momento de necessidade, batem o ponto um para o outro no trabalho, são apenas gentilezas. Uma gentileza tão parecida com aquela em que o amigo fica guardando lugar em uma fila qualquer para a chegada de mais uma meia duzia de amigos, isso quando, na mesma fila, não há alguém vendendo seu próprio lugar com altas taxas de serviço e exclusividade.

Em meio a esse grupo, tem aquele amigo que trabalha naquele departamento de compras de uma empresa qualquer e que vive ganhando aqueles presentinhos especiais daqueles pequenos e grandes fornecedores que procuram sempre só fazer aquele agrado, só para o amigo comprador se lembrar daquele presentinho especial na hora de fechar aquele contratinho de fornecimento bacana ou aquela grande comprinha, nada de mais, só um agradinho.

Um agradinho tão parecido quanto a doação de dinheiro para a campanha de um determinado político em algum cargo público estratégico, de preferência aqueles cargos que promulgam leis, que abrem licitações e editais para beneficiar diretamente a empresa que fez a generosa doação.

Essa empresa, quando contratada pelo governo para uma obra pública, tem privilégios, superfatura materiais, mão de obra, inventa problemas para adiar o término da obra e outras maracutaias, um dinheirinho extra nunca é demais.

Tudo com o aval dos camaradas públicos que dependendo do montante depositado em suas contas na Suíça, abrem e fecham portas conforme interesses escusos. São apenas agradinhos, afinal, uma mão lava a outra que costuma lavar o dinheiro em empresas fantasmas ou bem vivas com a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, Amém.


Taís Kerche

Viciada em ver, interpretar, analisar e tagarelar sobre qualquer manifestação artística, cultural e social. Tagarelar e vivenciar é preciso!.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Taís Kerche