tantas palavras

Um olhar aprofundado sobre as coisas e as pessoas do mundo

Bruno Lemos

É imprescindível sempre estar disposto a aprender mais com cada ser humano que cruza nosso caminho, pois a Estrada do Conhecimento é infinita.

Entre o Transitório e o Permanente

O texto traça, em rápidas linhas, a preferência do público em geral por bens transitórios, em franco detrimento dos valores permanentes que nos caracterizam como humanos e que nos diferenciam de todos os outros seres da Criação.


rest.jpg

Em tempos de Narcisismos e Individualismos, o "quente" das meninas é postar selfies com as amigas, sempre sorrindo e cantando, na praia ou na piscina, em boates e shows, bebendo todas e celebrando.

Problemas ninguém tem, pessoas tristes não são convidadas, não podem entrar no grupo.

Microvestidos decotados apenas pra se exibir, ninguém quer conquistar. É a cultura do hedonismo, de viver a vida unicamente pelo prazer.

Parceiros ou companheiros leais, que é bom, NADA. As taxas de suicídio andam pelas alturas, as de depressão já ultrapassarem os limites do improvável.

Homens e Mulheres perderam a capacidade de se comunicar uns com os outros. As únicas linguagens são o sexo casual e os interesses financeiros.

Os encantos são outros: é o carro, é o apartamento, é a viagem para o Exterior. Exteriormente, elas nunca foram tão lindas. É muita plástica, cirurgia bariátrica, alisamento de cabelos, botox e detox. Muitas pedaladas nos domingos e feriados, nas pistas exclusivas para ciclistas. Muitas saladas nos pratos, taxas de sangue tinindo.

Ter uma clínica de cirurgia plástica ou um salão de beleza viraram sinônimos de minas de ouro. O interior, a alma, o espírito, estes no entanto, continuam verdes, imaturos, subutilizados. Ninguém quer este papo chato "com conteúdo".

Será que estamos aqui somente por curtição? Será que todos não viemos em missão menos fútil? E quando acabar a Juventude, o que fazemos? Viveremos apenas de recordações?

Assim, no final da noite e da balada, no final da vida e da caminhada, todos eles, meninos e meninas narcisistas, acabam sozinhos, mesmo no meio da multidão que os deseja ou desejou, acumulando mil parceiros medíocres, inúmeras camas inúteis. Gastaram fortunas se produzindo, transaram horrores, conheceram o mundo inteiro, mas a evolução pessoal foi pífia. Nunca fizeram a grande e inadiável Viagem Interior...Nunca conheceram a si mesmos.

E entre pelancas e rugas abundantes, vão descobrir, de forma tardia, que barrigas-tanquinho e bíceps lindos, que seios e bumbuns durinhos excitaram seus corpos, mas o Amor que podia aquecer seus corações e suas velhices, este os Narcisistas nunca deixaram entrar...


version 1/s/sociedade// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Bruno Lemos