tantas palavras

Um olhar aprofundado sobre as coisas e as pessoas do mundo

Bruno Lemos

É imprescindível sempre estar disposto a aprender mais com cada ser humano que cruza nosso caminho, pois a Estrada do Conhecimento é infinita.

A Corte Amorosa nos Tempos Modernos

Apesar de tantas evoluções às avessas no mundo moderno, muitas mulheres ainda preferem ser cortejadas do modo antigo - com respeito, educação e cavalheirismo.


casal-jantando.jpg

Fazer a Corte amorosa - "Courting", para os americanos - é tarefa árdua, pelo menos se você quer ganhar a confiança e o amor de uma mulher madura e de valor.

Se você, homem moderno, levar em conta sua jornada diária de 8 horas de trabalho, o trânsito infernal, o stress, a obrigação de pegar os filhos no colégio, as cobranças do chefe, a feira, as contas pra pagar...dá uma boa preguiça também.

É por isso que as hordas de homens estúpidos, que não possuem um minimo de "Know How" de como cortejar uma mulher, só fazem aumentar.

Escolher um restaurante tranquilo pra conversar (difícil), comer pouco pra prestar atenção no papo dela (apesar do estômago grudado nas costas de fome), prestar atenção no próprio papo pra não falar besteira, nem ir rápido demais nem tão devagar que faça ela desistir...todos os obstáculos se erigem.

Tarefa pra gente experiente. Calouros não sobrevivem sem dar passos fatais em direção ao "toco". A não ser que elas gostem de fedelhos. Ou trogloditas. Ou só queiram uma noite de sexo.

Saber conversar é essencial. Sobre tudo e todos. Cultura geral, científica, social, cinematográfica. Os que são leitores inveterados levam grande vantagem.

É preciso saber conversar sem arrogância, sem parecer que sabe tudo, sem "pose de professor". Com um pouco de humor, com uma pitada de pimenta (se for a ocasião). Trocar ideias, experiências, contar fatos engraçados ou dramáticos, mostrar um lado humano e responsável, e um lado família também. Deixar a dama à vontade, mostrar que é um cara legal e não mais um porco chauvinista com máscara de cavalheiro.

Não precisa terminar o jantar num motel. Se ela gostou de você, vai querer vê-lo de novo, então pra que a ansiedade? Muitas garotas detestam esta pressa sexual masculina, parece que o cara só está em busca "daquilo" e elas detestam ser tratadas como objetos. Estas coisas são mais saborosas se conquistadas aos poucos.

Afinal, estas trocas de fluidos corporais são por demais conhecidas do casal que está se conhecendo, com vasta experiência passada. Faça diferente.

Fale de viagens que fez e que gostaria de fazer com ela. De livros que leu, de filmes que influenciaram seu pensamento. Fale da escola de seus filhos ou sobrinhos.

É muito prazeroso quando a conversa engrena, quando há comunhão de químicas, de perfumes e de peles: é meio caminho andado para uma SINERGIA DE ALMAS - algo totalmente novo e excitante. O "encanto amoroso" é energia rara e inefável que é muito buscada pelos casais que já viveram de tudo e ainda buscam algo totalmente novo. Não existe um "encanto" igual ao outro.

Outra coisa: elas querem seu RESPEITO - por mais que estejam com vestidos curtos e decotes ousados. Se você não sabe se controlar no primeiro encontro, nunca vai conhecer realmente ninguém que valha a pena sair ou namorar. Melhor contratar uma garota de programa.

Então, se a conversa de vocês durar horas, as horas podem durar dias e os dias se transformarão em anos. Assim surgem os casais bem casados e os eternos namorados.

No final, nunca - NUNCA - deixe ela pagar a conta - por mais que ela seja rica. Se você não pode bancar aquele restaurante, escolha um mais barato. Esta falta primária de cavalheirismo básico pode pôr uma relação promissora a perder de uma vez.

Albert Einstein, nosso inesquecível gênio, por seu turno, já se declarou completamente incompetente para prever esta absurda Imprevisibilidade das Relações Humanas.

É que uma das melhores coisas que a vida reserva a todos nós, seres humanos, é o saboroso ineditismo do DIA SEGUINTE, o mesmo ineditismo que permeia os momentos do casal cúmplice que ainda estão por vir...


version 4/s/recortes// @destaque, @obvious //Bruno Lemos