tantas palavras

Um olhar aprofundado sobre as coisas e as pessoas do mundo

Bruno Lemos

É imprescindível sempre estar disposto a aprender mais com cada ser humano que cruza nosso caminho, pois a Estrada do Conhecimento é infinita.

Ensaio sobre os Solitários

A solidão que afeta os solitários do mundo também diz respeito a todos nós, que mais cedo ou mais tarde vamos ter que enfrentá-la na vida.


slidao1.jpg

Solidão é um fato muito ruim, embora muito comum. Nunca nos prepararam para a sua chegada. Deveríamos tê-la estudado e destrinchado-a com o furor de vestibulandos, ao invés de termos decorado Equações Químicas e as bacias hidrográficas do mundo antigo.

Normalmente, o Solitário sofre acerbos preconceitos da sociedade. Se ele for maior de 40 anos e solteiro, vão dizer que é gay. Se ela tiver mais de 30 e continuar solteira, vão falar que vai "ficar pra titia" ou é problemática. Se a pessoa é rica e vive reclusa, vão insinuar que é "esquizofrênica".

Estabeleceu-se um padrão no mundo segundo o qual os solteiros são incompetentes e fracassados, enquanto que os casados ou acompanhados são os realizados e bem sucedidos, quando na verdade existe muita gente solitária que é feliz assim e muita gente casada que é infeliz.

Penso que deveríamos ouvir mais as histórias das pessoas solitárias. Aprenderiamos mais em 1 dia sobre sabedoria de vida do que em todos os nossos anos passados no colégio ou na faculdade. Nem todos os solitários são pessoas difíceis ou problemáticas. Muitos deles gostam de ser assim, de ter sua rotina, seus programas específicos de lazer, seus prazeres simples. Vivem sós porque não encontraram pares ou amigos que lhes compartilhassem as pequenas coisas.

Entre viver se aperreando com gente que não lhes compreende e ficar sozinhos, fizeram a segunda opção. Geralmente são ótimos conversadores. Versados em música, literatura, cinema, artes, poesia e religião, Ciência e Turismo, têm prosa pra muitos anos.

Normalmente, não frequentam lugares de agito. Vivem isolados em livrarias, bunkers modernos contra a futilidade, a superficialidade e a mesmice social, caçando tesouros literários, tomando sorvete sozinhos nos Shoppings apinhados de gente barulhenta, conversando com os próprios pensamentos com frequência pra não enlouquecerem (solidão enlouquece...muitos pacientes psiquiátricos teriam sua saúde melhorada se apenas tivessem à mão um bom ouvinte...e como estes estão em falta hoje em dia...).

Mas, lá estão eles, em todos os lugares: lavando as calçadas, varrendo o quintal, indo e vindo com seus carros no trânsito sem fim, nas janelas dos edifícios olhando a noite passar, esperando a vida chegar e ir embora... Talvez não tenham percebido, mas ser solitário é condição inerente a qualquer ser humano..Novo, velho, rico, pobre, branco, preto, ateu ou cristão....E quer você queira ou não, é bom se preparar, ler os melhores livros a respeito, escutar as experiências de quem passa por isto: um belo dia, sem mais nem menos, todos nós estaremos conversando também com nossos próprios pensamentos...

Caminhando sozinho.png


version 1/s/recortes// @obvious //Bruno Lemos