the insolitus

A liberdade de expressão guiando o mundo

Thalia Fontinele

A escrita para mim não é fuga, é imersão. É o risco que não posso perder, é o momento. A decisão de fazer ou deixar para depois. E é fazendo que me torno vulnerável, e sendo vulnerável corro risco, me jogo. E é me jogando que eu escrevo - e me exponho. Em diante ciclo continua.

Solitude-se: queira estar só, por opção

“Um homem pode ser ele mesmo apenas se está sozinho; e se ele não ama a solitude, ele não vai amar a liberdade; pois é apenas quando ele está sozinho que pode ser verdadeiramente livre” (Schopenhauer)


090_lost_art_of_solitude_i_by_pigflightde-d32ygpr.jpg Todos os quadros tem diferentes perspectivas. A única semelhança existente é quem vai vivê-los: você.

Não adianta fugir, um dia, todos vão enfrentar a solidão. O fato de estar só não significa exatamente sofrimento. Ao contrário, quando se sabe estar consigo, tornamo-nos conscientes de nós mesmos - isso é a solitude. E, quanto mais se pratica, essa experiência é cada vez mais prazerosa. Porém, isso é mais complexo do que aparenta ser: temos que perceber o porquê de estarmos sozinhos e aceitar essa condição por um tempo determinado (até ao fim da nossa vida, seremos dignos desse sentimento).

071206solitude.jpg "Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois tambem sou o escuro da noite" - Clarice Lispector

Boa parte das pessoas são sozinhas em um relacionamento. E não percebem tal solidão porque estão tão imersas na sua ilusão que esquecem de si. Elas acham que aquela realidade em que vivem é seu passaporte para a liberdade. Enganam-se: elas estão vivendo no mundo das sombras, próprio do mito da Caverna de Platão. Lá, os prisioneiros encontram-se num estado de encantamento supremo que mal enxergam o mundo lá fora. E vivem o mundo sensível, o qual é passível de uma superficialidade enganosa. Sem a solitude, não podemos entender nossos medos e nossas angústias. Assim, não saberemos o que seria melhor para nós. E nossas escolhas seriam somente as escolhas dos outros, pois não tivemos contato consigo, só com outrem: e foi o mundo deles que nos foi dado como o nosso mundo.

HandRabbit.jpg Na vida real, a única pílula que te tira da caverna é o conhecimento de si.

Subitamente, percebe-se que aquela realidade sensível não é para sempre. Ontem você conheceu uma pessoa. Hoje se tornaram amigos. E amanhã? Quem sabe o amanhã? Qualquer que seja, saberemos de uma coisa: estaremos sozinhos. Por isso, pare de fingir sua felicidade. A ilusão é uma camada tão fina de consolo que dá para ver através dela. Mas, como viver a realidade de forma profunda? A minha forma de ficar sozinha como opção é me exteriorizando. Tenho um mundo dentro de mim transbordando, sendo assim, escrevo. Tudo o que sinto vai para o papel. Se odeio, se amo, se irrito, se alegro: tudo cabe em uma folha branca que vai sendo preenchida pouco a pouco. E vai me preenchendo de sentimentos até que eu os entenda na sua mais profunda honestidade. Estar sozinha, às vezes, não é só opção, também é necessidade. A sua forma de experimentar um pouco dessa liberdade chamada de solitude pode não ser a minha. Faça o que goste de fazer, sinta e entenda. Solitude-se.


Thalia Fontinele

A escrita para mim não é fuga, é imersão. É o risco que não posso perder, é o momento. A decisão de fazer ou deixar para depois. E é fazendo que me torno vulnerável, e sendo vulnerável corro risco, me jogo. E é me jogando que eu escrevo - e me exponho. Em diante ciclo continua..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Thalia Fontinele