the notebook

Communication. International Affairs. Politics. Photography. Culture. Thoughts. Memories

Péricles Carvalho

Mestre em Jornalismo, Mídia e Globalização pelas universidades de Aarhus (Dinamarca) e Swansea (Reino Unido). Escreve para libertar demônios e encontrar sentido à vida. Quer ler mais textos? Acesse: www.periclescarvalho.com

  • gay-talese-and-what-makes-a-man-time-life-for-getty.jpg
    Por que continuar escrevendo?

    Ainda que o processo seja extremamente solitário, dolorido e indulgente, ele requer experiência humana. Ele requer que sejamos, acima de tudo, um colecionador de vidas, de pessoas que passam por nós e nos fazem lembrar que viver é difícil mas vale a pena. E você vai continuar escrevendo porquê escrever é, acima de tudo, viver. Encha-se de vida, esteja cercado pelos grandes e continue juntando palavras.

  • image.jpg
    Diários de um ansioso offline

    No fundo, a falta do meu Mac e de um celular nos últimos dias é como a falta de um bom ansiolítico, de um instrumento de alienação, de uma droguinha qualquer. Como eu iria sair na rua e ter de encarar os olhares alheios sem poder desviá-los e focar apenas na tela retangular do smartphone? Como eu iria sobreviver sem rir, escutar meus próprios áudios e enviar GIFs enquanto assisto minhas séries na Netflix? Quando iria poder escrever um texto qualquer e problematizar nas redes sociais?

  • 1-wM78hZQIGEBgre0UlI-Pig.jpeg
    Em busca do trabalho dos sonhos

    A atriz e roteirista Lena Dunham criou em Girls o arquétipo perfeito para os dramas das gerações Y e Z em relação ao mundo do trabalho. Será que somos mesmo parecidos com Hannah Horvath? Será que estamos dispostos a repetir fórmulas do passado e viver a vida toda dentro do mesmo escritório?

  • Asymmetrical-101.jpg
    Conheça Colin Wright: minimalista, escritor, blogueiro e viajante

    "Eu acredito que chegamos a um ponto em que as consequências do excesso são evidentes para a maioria das pessoas e, como resultado disso, estamos vendo muitas soluções e potenciais soluções (das quais minimalismo é um exemplo) em deixar para trás esse modelo de consumo compulsório por outro modo de vida. Eu acho que as pessoas encontram mais contentamento quando estão focadas no que é mais importante para elas", explica Colin.

  • church.jpeg
    Descobrir-se gay em um meio evangélico

    Por muito tempo, a vergonha e o julgamento fizeram deste caminho de aceitação uma via crucis solitária. Neste tempo em que vivemos, é preciso apagar, de uma vez por todas, a fogueira da inquisição que ainda arde e destrói psicologicamente jovens com potencial e uma vida toda pela frente. É urgente a revisão de dogmas, a aceitação e o amor ao próximo.

  • jackkerouac21.jpg
    Quando encontrei a estrada de Kerouac

    A partir de On the Road, enxerguei com clareza as razões pelas quais 'movimento' transforma. Mover-se exige esforço. Exige o enfrentamento da solidão, dos medos, das adversidades, da nostalgia e das memórias que cada um de nós carregamos na vida. A 'estrada' fala muito mais sobre o que deixamos para trás, em termos de experiências, do que do próximo destino em questão. Assim sendo, continuar a jornada é uma questão de coragem e escrever sobre tal experiência, tal como Jack Kerouac, é uma dádiva.

  • 1380253_10202343050562253_978011440_n.jpg
    Os 27 anos chegaram sem pedir licença

    Aos 27 eu quero correr por ruas desconhecidas, quero conhecer gente nova, quero fazer coisas que nunca fiz. Quero me apaixonar como nunca me apaixonei e, quem sabe, mudar o curso da minha existência. Quero me reinventar, reparar as rachaduras que já começam a aparecer. Eu quero a leveza de encontrar um velho amigo e a alegria de bater um papo e tomar uma cerveja em uma esquina qualquer da cidade.

  • inveja.jpeg
    Quais são as suas invejas?

    Eu tenho, você tem e posso dizer, com 100% de certeza, que seus pais e vizinhos também nutrem — no mais íntimo de suas existências — algum tipo de inveja. E isso nem sempre é algo ruim: pode ser um estímulo para que você se torne quem deseja ser amanhã.

  • recife.jpeg
    Cidades que curam

    No futuro, médicos receitarão viagens ao invés de ansiolítico. As viagens curam, lugares são como ritos de passagem que nos ajudam a compreender o passado, aproveitar ao máximo o presente e forjar um futuro diferente.