toca a fita

Um mixtape de música, filmes, livros e cotidiano

Rafael Moreno

Aquele clima despretensioso dos filmes dos anos oitenta, com uma dose de Tarantino e uma boa trilha sonora ao fundo.

O que é que está acontecendo?

Sabe aquele filme do Bruce Willis, em que ele encontra sua versão criança de oito anos de idade, Duas Vidas? Pois é, faça esse exercício e verá que seu eu de oito anos de idade também não ficaria muito bem contigo, por isso é melhor apertar o passo e correr atrás dele, antes que o perca de vista.


Duas-vidas-560x348.jpg

Olha, eu sei que essa é a profissão de vocês. Entendo a importância de toda analise envolvida no seu trabalho. Dos diversos olhares de cena, enquadramento, background, direção, arte sonoplastia, a fotografia, efeitos especiais e todas as outras categorias que devem existir no Oscar.

Sei, de verdade, que vocês fazem isso com a melhor das intenções, para nos ajudar a não perder tempo com algo não muito bom.

Mas sei lá, pra falar a verdade, me divirto com esses filmes. Minha infância toda foi repleta de Cinema em Casa e Sessão da Tarde. E vejam só, vocês devem se lembrar muito bem quais eram os tipos de filmes que passavam na Sessão da Tarde e no Cinema em Casa.

jumanji1995hdtv720pac3x-1200x675.jpg"Acho que não precisamos de legenda, certo?"

E aquilo me divertia.

Não quero ser nostálgico, muito longe disso. Aliás, aqui vai uma dica para vocês. Nunca, nunca, nuca mesmo reveja seus filmes, desenhos e Power Rangers da infância. Deixem eles lá no cantinho da sua memória, em que tudo era fantástico, até mesmo explosões no fundo da tela com cinco pessoas coloridas fazendo pose.

O que estou tentando contar para vocês é que a gente se perdeu em algum ponto no meio desse caminho. Antes acreditávamos que tudo aquilo que víamos era algo sensacional e não tínhamos pressa nenhuma com relação ao nosso tempo. O que dirá os intermináveis episódios de Dragon Ball Z, certo?

Mas daí, em algum ponto de toda essa história, deixamos de acreditar e passamos a exigir, cada vez mais, que nos surpreendam. O nosso nível de exigência aumentou. E, meu, esse nunca foi, e é, o melhor caminho. Pra piorar, todos surfaram, ou ainda surfam nessa onda, então temos filmes que se preocupam em nos fazer acreditar que são bons o bastante.

filmeslegais_dvds_antigos_f_008.jpg"Ao invés de aumentar sua exigência em se surpreender, que tal lembrar que você, em algum ponto da vida, já assistiu Querida, encolhi as crianças?

Por favor, não diga que isso se deve ao amadurecimento. Na verdade, está muito longe disso.

Existe uma diferença entre um filme que advoga para ele mesmo, tentando te convencer que é uma boa história e há filmes que pouco se importam com isso, estando somente preocupados em ter uma boa história a se contar, cabendo a você decidir se embarca nisso ou não.

Não preciso que o Christopher Nolan faça um personagem cujo papel na trama é explicar como o filme funciona cof cof A Origem cof cof. Também não preciso de fórmula pronta e nada do tipo “passamos aquilo que o público que ver”.

Marty-and-Doc-Brown-Michael-J-Fox-Christopher-Lloyd-screenshot-Jimmy-Kimmel.jpg"Porque envelhecer é só um detalhe"

Prefiro muito mais o Doc Brown usando palavras cientificas, inventadas pra me levar ao passado com o DeLorean, porque pouco importa todo o embasamento científico, a veracidade de todas essas coisas. Oras, estamos viajando no tempo, do que mais você precisa pra aceitar que isso, por si só, é tão fantástico?

Não entendo quando nos deixamos levar pelo cinismo e ceticismo. Em que ponto da nossa história quebrar um pescoço se tornou mais impactante do que voar?

superman-reboot-20100927034340049_640w_1292622781.jpg"Como pode um pescoço quebrado ser mais intenso, ousado e fantástico do que uma cena dessas?"

Sabe aquele filme do Bruce Willis, em que ele encontra sua versão criança de oito anos de idade, Duas Vidas? Pois é, faça esse exercício e verá que seu eu de oito anos de idade também não ficaria muito bem contigo, ao perceber toda essa sua exigência para se sentir fantástico.

Tenho certeza que essa criança te chutaria e sairia correndo ao perceber que você se tornou um profissional em exigir que um filme, uma história, tenha por obrigação ser maior que o ceticismo e o cinismo que cultivamos nos dias de hoje.

still-of-bruce-willis-and-spencer-breslin-in-the-kid-(2000)-large-picture.jpg"Corra atrás da sua criança interior, ela tem muita coisa a dizer."

Ou você estava achando que eu me referia aos críticos de cinema?

É melhor correr atrás do seu eu de oito anos de idade, antes que você o perca de vista.


Rafael Moreno

Aquele clima despretensioso dos filmes dos anos oitenta, com uma dose de Tarantino e uma boa trilha sonora ao fundo..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Rafael Moreno
Site Meter