toca a fita

Um mixtape de música, filmes, livros e cotidiano

Rafael Moreno

Aquele clima despretensioso dos filmes dos anos oitenta, com uma dose de Tarantino e uma boa trilha sonora ao fundo.

Vai nessa, toca a fita

Não perca tempo apegado com as músicas que possui. Elas estão ali, bem guardadas e não vão sair de lá. Mude um pouco, amplie seus sentidos e seus horizontes, há tantos mix a serem explorados que é quase uma covardia não fazer. Não se engaiole naquilo que te traz uma sensação de segurança. Vai lá, troca a fita, muda o cd, baixe um álbum diferente e tente se dar uma chance.


3319fc684c936e2d1eaab33a7855525e.jpg

Toca a fita.

Use sua caneta pra rebobinar e toque mais uma vez. Caso não tenha um daqueles walkman antigos, apele para seu diskman, para o seu mp3 ou o que tiver ao seu alcance.

Seja lá o que for ou como for fazer, que seja com a música em seus ouvidos. E na sua playlist de lembranças, bem naquele mixtape esquecido, ou melhor, guardado a sete chaves naquela bagunça que só você sabe explorar, escolha aquela música.

E quando eu falo sobre "aquela música", tô te falando para ouvir aquela música que te faz viajar sem sair do lugar. Que te leva para o espaço, para outro plano, a ponto de você perder o ponto do táxi, ônibus, trem ou metrô. Ela te leva para todos os lugares que não seja onde está agora.

Aquela música que acabou sendo a trilha sonora de um acontecimento que te marcou. Ou aquela que, só de apertar play, arranca uma lembrança da sua cabeça, a devolvendo com um sorriso de lembranças nostálgicas.

Sorrisos de nostalgias é a certeza de que tudo o que passou valeu a pena.

7a9efd6e37b655e095fc6502e3d0842b.jpg

E em meio a infinidades de opções e acontecimentos que estamos expostos por simplesmente ousar em ser o que somos, faça isso com a música. Com os fones nos ouvidos.

Não perca tempo apegado com as músicas que possui. Elas estão ali, bem guardadas e não vão sair de lá. Mude um pouco, amplie seus sentidos e seus horizontes, há tantos mix a serem explorados que é quase uma covardia não fazer. Não se engaiole naquilo que te traz uma sensação de segurança. Vai lá, troca a fita, muda o cd, baixe um álbum diferente e tente se dar uma chance.

Ahhh, e quanto as suas músicas preferidas, seja elas quais forem, não sinta vergonha em escutá-las em lugar nenhum. Ninguém as entende como você entende. Não existe esse negócio de música ruim, existem ouvidos diferentes e entender isso é meio caminho andado para você ter aquela música "fora da moda" ou que "ninguém conhece" sempre contigo. Sempre arrancando aqueles sorrisos nostálgicos.

Porque a graça da música é justamente essa. Ela é democrática e universal. Ao tocar aquela música, justamente aquela, a preferida de uma pessoa daqui e uma do outro lado do mundo, quando as duas trocarem o olhar ao som dela, encontrarão o mesmo brilho e sorriso.

tumblr_n65pz2Zecc1siyrhqo1_500.jpg

Esqueça o papo dos polegares opositores ou a inteligência acima da média. O que nos diferencia (ainda) dos animais é a nossa capacidade de transformar aquilo que sentimos e aquilo que somos em arte. Em nosso caso específico, em música.

A música é libertadora de todos os males.

Experimente cantar, mas cante bem alto, o máximo que puder. Arrisque uns passos aqui e ali. Não precisa ser tão coreografado como Flashdance ou como o John Travolta nos Embalos de Sábado a Noite. Apenas se mexa no ritmo daquela canção e perceba que, entre aqueles dois, quatro minutos, nenhuma tristeza ou pensamento negativo ousou ocupar o mesmo espaço na sua mente.

8667453_orig.jpg

Não se esqueça.

Toque a fita, rebobine quantas vezes forem necessárias. Limpe aquele seu cd com sua camiseta, experimente ouvir mesmo com os riscos nele. Faça download, passe para o pen drive ou grave no seu celular.

Seja lá o que for ou como for fazer, que seja com a música em seus ouvidos. Vá para todos os lugares possíveis e impossíveis com os fones no ouvido e, se escapou um daqueles sorrisos de nostalgias, é a certeza de que tudo o que passou valeu a pena.

O caminho é esse. Sempre acompanhado de uma boa música.


Rafael Moreno

Aquele clima despretensioso dos filmes dos anos oitenta, com uma dose de Tarantino e uma boa trilha sonora ao fundo..
Saiba como escrever na obvious.
version 44/s/recortes// @obvious //Rafael Moreno
Site Meter