tolices de todo mundo

as minhas, as deles e as suas.

Gabrielle Mariano

23 anos, soteropolitana. Do coração, para as palavras.

imensidão de si mesmo

(...) acordei cedo em um belo dia
E o rei sol a nascer me dizia
Que, assim, surgiria esta poesia


7c54eabe50209a7e0211fd0ea1699efd.jpg

Há muito tempo eu não escrevia

Abarrotada pela correria

Que a mim e a ti consumia

Mas acordei cedo em um belo dia

E o rei sol a nascer me dizia

Que, assim, surgiria esta poesia

A pureza, inocência, ingenuidade

Já não têm mais valor nessa cidade

Como os índios tiveram arrancada sua castidade

Também nós perdemos a vivacidade

E tudo isso, por quê? Mera vaidade

Que nos aprisiona e desumana sem piedade

Tudo isso em prol de poder

Um aliado maligno que todos queremos ter

O dinheiro, fez de nós seu capataz

E não tem fim: é sempre mais e mais e mais

Um pedaço de papel confundido com o paraíso

Em troca do brilho e do sorriso

Aonde foi parar aquela beleza?

Ao mesmo tempo refletida e oriunda da pureza

Das crianças, dos nascidos com riqueza

As quais perdemos com destreza

Cabe aqui falar da natureza

Que foi um dia nada menos que realeza

E eu gostaria de prolongar o que termina com -dade

Pra falar um pouco da minha saudade

Aquela, de viver sem profanos na autoridade

Manipulando com muita agilidade

Sendo vítimas de sua maldade

Que nos afasta uns dos outros, na verdade

Veja seu whatsapp, as conversas que lá estão

Escolha uma delas com o coração

Surpreenda seu amigo com a antiga emoção

De ir hoje mesmo lhe dar um abração

E lhe oferecer, de verdade, um pouco de atenção

Não se deixe render, a amizade não pode ser em vão

Porque a vida, amigo, passa

Num brevíssimo piscar de olhos

Restam arrependimentos e lamentos

Mas nunca, sem hipóteses, a chance de voltar atrás

E, quando se dá conta, você já caiu

Sim, o tempo já te iludiu

Aqui, quase nada rimou

Acho que minha mente novamente se esgotou

É hora de acordar, ela percebeu

Voltar a correr, a trabalhar

Se tornar a máquina que aqui cresceu

E, com esta percepção, meu coração doeu

Mas, amigos, vou voltar só um pouco a rimar

Porque sei que aqui também restou o amar

Então, uma mensagem quero deixar

Vamos viver, lutar e apreciar

A beleza que os olhos são capazes de enxergar

E, para, então, finalizar

Não desista! Você está aqui para mudar.


Gabrielle Mariano

23 anos, soteropolitana. Do coração, para as palavras..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Gabrielle Mariano