transbordar

Porque há pessoas, pensamentos e sentimentos controversos.

Erica Marques

Paraense, jornalista, louca por séries e apaixonada por filmes. Escorpiana, tenta ser meiga, acredita ser romântica e na mudança através das obras cinematográficas e da leitura.
E tem como regra da vida: "Tudo o que você faz importa".

O que se pode aprender com One Tree Hill

One Tree Hill é bonita de se ver, pois possui uma boa construção dos personagens e de histórias a ponto de fazer algumas pessoas se identificarem ou se sensibilizarem em algum momento.


10629683_897994500221348_6584191802003870886_n.jpg Elenco de One Tree Hill nos bastidores de um dos episódios. Foto: Divulgação

Há três coisas que sou incrivelmente apaixonada: comida, filmes e séries. Sou tão louca pelos dois primeiros, que não tenho um preferido e não consigo ser aquelas pessoas que conseguem fazer uma lista dos 5 melhores, mas sempre comento e defendo com unhas e dentes as comidas que provei e os filmes que assisti inúmeras vezes. Já as séries... Bem, elas se tornaram meu amor mais recente e luto para não deixar de lado em meio a tanto trabalho e estudo.

Dentre as séries que já assisti tenho uma paixão especial por One Tree Hill ou conhecida simplesmente como OTH. Conheci e comecei a assistir em 2008. Depois, a emissora que passava a série parou de transmitir e não consegui mais acompanhar. Tempos depois, quando estava no último ano do ensino médio, construí uma amizade com uma menina totalmente diferente de mim, mas que tinha o mesmo vício que eu: OTH. E para minha felicidade ela possuía todos os episódios. E eu, com 17 anos, comecei a assistir novamente essa série Teen, conhecida por ter conquistado uma legião de fãs que ajudaram na sua sobrevivência por meio de campanhas na internet.

Já assisti, assisti novamente e abro um episódio quando sinto vontade de voltar para esse mundo. E apesar da série contar com situações romantizadas, sempre digo para meus amigos que One Tree Hill é bonita de se ver, pois possui uma boa construção dos personagens e de histórias lindas a ponto de fazer algumas pessoas se identificarem ou se sensibilizarem em algum momento. Mas apesar dessas características, a marca principal da série são as mensagens passadas no final de cada episódio e temporada, servindo de lição e reflexão até para as pessoas que não são fãs.

Eu digo que há muitas mensagens na série, mas falarei apenas quatro que, ao meu ver, se destacam:

Amizade é essencial. Esse sentimento pode ser encontrado em uma pessoa parecida, totalmente diferente, que se conversa diariamente ou até alguém que nós nunca imaginamos trocar uma palavra. A amizade é construída com conversa, desabafo, reciprocidade, confiança e ações. Um abraço, um consolo, um puxão de orelha, uma discordância, são capazes de nos fazer sentir seguro ao lado da pessoa que demonstra esse sentimento deixando a gente à vontade de fazer o mesmo.

Viver uma história de amor. Pode durar dias, semanas, meses, anos ou a vida inteira. Não importa. Uma hora será possível amar alguém. E quando isso acontecer, histórias serão construídas, planos serão feitos e momentos serão vividos. Todas as sensações serão lembradas, assim como as loucuras, tristezas e feitos inimagináveis. E tudo isso não está necessariamente ligado a um “felizes para sempre”, pois o "pra sempre" a dois é até quando durar. E o futuro da história desse amor foi construído ontem ou está sendo construído hoje.

Ah, e se atualmente estamos com a pessoa, ótimo. Se não estamos, ótimo também. O viver fortalece, amadurece, deixa feliz e com um coração e mente recheada de memórias para serem relembradas com carinho ou como lições de vida.

Pessoas sempre vão embora, mas às vezes voltam. Algumas pessoas partem da por causa de uma briga, compromissos diários, mudanças de ideais, falta de tempo e afins. Aquele espaço pode até ser preenchido, mas sempre terá algo que nos lembrará o alguém que fez parte de um determinado trecho da nossa vida e deixou alguma marca, seja ela boa, ruim ou os dois.

O que nunca se espera, mas às vezes se deseja, é a sua volta. Então, quando isso acontecer, não sabemos o quanto estaremos preparados ou não para esse reencontro.

O que você faz importa. Sim, o que fazemos importa, e como se faz também. Algum feito pode parecer pequeno, mas ele se torna grande a partir do olhar dos outros ou do outro que nos observa diariamente. Pois, assim como somos afetados pelos reflexos diários das atitudes das pessoas ao nosso redor, nós também afetamos.

E o que importa? É o que é feito e até onde esse feito pode nos levar.

Enfim, essas são algumas das mensagens que chamam a atenção em meio a nove temporadas cheias de casos de amor, lutas, reconquistas e superações. Pois só há uma Tree Hill e esse é só um pedacinho do mundo que você pode encontrar nessa série.


Erica Marques

Paraense, jornalista, louca por séries e apaixonada por filmes. Escorpiana, tenta ser meiga, acredita ser romântica e na mudança através das obras cinematográficas e da leitura. E tem como regra da vida: "Tudo o que você faz importa"..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Erica Marques